||  Início  ->  Revista Pergunte e Responderemos

NÚMERO

-008 Março 1957 (11)
-007 Junho 1957 (8)
-006 Julho 1957 (12)
-005 Agosto 1957 (7)
-004 Setembro 1957 (9)
-003 Outubro 1957 (10)
-002 Novembro 1957 (15)
-001 Dezembro 1957 (12)
001 Janeiro 1958 (11)
002 Fevereiro 1958 (11)
003 Março 1958 (12)
004 Abril 1958 (11)
005 Maio 1958 (9)
006 Junho 1958 (10)
007 Julho 1958 (10)
008 Agosto 1958 (9)
009 Setembro 1958 (10)
010 Outubro 1958 (10)
011 Novembro 1958 (9)
012 Dezembro 1958 (12)
013 Janeiro 1959 (7)
014 Fevereiro 1959 (8)
015 Março 1959 (7)
016 Abril 1959 (7)
017 Maio 1959 (9)
018 Junho 1959 (7)
019 Julho 1959 (8)
020 Agosto 1959 (6)
021 Setembro 1959 (7)
022 Outubro 1959 (5)
023 Novembro 1959 (7)
024 Dezembro 1959 (6)
025 Janeiro 1960 (6)
026 Fevereiro 1960 (7)
027 Março 1960 (6)
028 Abril 1960 (9)
029 Maio 1960 (6)
030 Junho 1960 (9)
031 Julho 1960 (8)
032 Agosto 1960 (8)
033 Setembro 1960 (7)
034 Outubro 1960 (7)
035 Novembro 1960 (7)
036 Dezembro 1960 (7)
037 Janeiro 1961 (7)
038 Fevereiro 1961 (6)
039 Março 1961 (5)
040 Abril 1961 (6)
041 Maio 1961 (5)
042 Junho 1961 (5)
043 Julho 1961 (6)
044 Agosto 1961 (5)
045 Setembro 1961 (6)
046 Outubro 1961 (7)
047 Novembro 1961 (6)
048 Dezembro 1961 (5)
049 Janeiro 1962 (7)
050 Fevereiro 1962 (5)
051 Março 1962 (5)
052 Abril 1962 (6)
053 Maio 1962 (7)
054 Junho 1962 (5)
055 Julho 1962 (6)
056 Agosto 1962 (7)
057 Setembro 1962 (7)
058 Outubro 1962 (6)
059 Novembro 1962 (5)
060 Dezembro 1962 (8)
061 Janeiro 1963 (6)
062 Fevereiro 1963 (5)
063 Março 1963 (5)
064 Abril 1963 (5)
065 Maio 1963 (6)
066 Junho 1963 (5)
240 Dezembro 1979 (1)
344 Janeiro 1991 (8)
345 Fevereiro 1991 (8)
346 Março 1991 (9)
347 Abril 1991 (8)
348 Maio 1991 (6)
349 Junho 1991 (9)
350 Julho 1991 (5)
351 Agosto 1991 (8)
352 Setembro 1991 (7)
356 Janeiro 1992 (9)
360 Maio 1992 (1)
368 Janeiro 1993 (7)
369 Fevereiro 1993 (5)
370 Março 1993 (5)
371 Abril 1993 (6)
373 Junho 1993 (9)
374 Julho 1993 (8)
377 Outubro 1993 (11)
379 Dezembro 1993 (7)
380 Janeiro 1994 (7)
381 Fevereiro 1994 (7)
382 Março 1994 (7)
383 Abril 1994 (6)
385 Junho 1994 (6)
386 Julho 1994 (10)
387 Agosto 1994 (7)
388 Setembro 1994 (10)
389 Outubro 1994 (10)
390 Novembro 1994 (6)
391 Dezembro 1994 (8)
392 Janeiro 1995 (6)
393 Fevereiro 1995 (7)
395 Abril 1995 (10)
397 Junho 1995 (6)
398 Julho 1995 (10)
399 Agosto 1995 (7)
400 Setembro 1995 (8)
401 Outubro 1995 (11)
402 Novembro 1995 (8)
403 Dezembro 1995 (8)
449 Outubro 1999 (1)
457 Junho 2000 (8)
468 Maio 2001 (8)
491 Maio 2003 (14)
500 Fevereiro 2004 (9)
501 Março 2004 (8)
504 Junho 2004 (15)
505 Julho 2004 (7)
506 Agosto 2004 (15)
507 Setembro 2004 (7)
508 Outubro 2004 (12)
509 Novembro 2004 (12)
510 Dezembro 2004 (9)
513 Março 2005 (10)
516 Junho 2005 (12)
517 Julho 2005 (13)
518 Agosto 2005 (20)
519 Setembro 2005 (12)
520 Outubro 2005 (13)
521 Novembro 2005 (12)
522 Dezembro 2005 (12)
523 Janeiro 2006 (11)
524 Fevereiro 2006 (11)
525 Março 2006 (14)
526 Abril 2006 (12)
527 Maio 2006 (13)
528 Junho 2006 (15)
529 Julho 2006 (14)
530 Agosto 2006 (15)
531 Setembro 2006 (13)
532 Outubro 2006 (14)
537 Março 2007 (13)
539 Maio 2007 (14)
543 Setembro 2007 (18)
545 Novembro 2007 (12)
547 Janeiro 2008 (14)
548 Fevereiro 2008 (15)
549 Março 2008 (13)
551 Maio 2008 (14)
554 Agosto 2008 (15)
555 Setembro 2008 (13)
 
...CAPA*TÓPASSUNTOTÍTULO (hits/dia)AUTORHITS PDF
1 #REVISTA = 11 
impedimento = 22 
igreja = 18 
linha = 17 
matrimônio = 16 
direito = 15 
grau = 13 
casamento = 12 
dispensa = 12 
pessoas = 9 
caso = 9 
PeRSacramentos Impedimentos Dirimentes do Matrimônio (3.71) Estêvão Bettencourt 6599
#2471 Novembro 1958, 15 [011, novembro 1958, casamento nulo, matrimônio, direito eclesiástico]

Agaelième (Salvador) e Estudante (Rio de Janeiro): «Quais os impedimentos dirimentes do matrimônio?»
Eles são 12: idade, impotência, vínculo, disparidade de culto, ordem sacra, voto de castidade, rapto, crime, consanguinidade, afinidade, honestidade pública, parentesco espiritual.
2 #REVISTA = 521 
exorcismo = 19 
igreja = 17 
exorcista = 9 
deus = 8 
ritual = 7 
demônios = 6 
forma = 6 
jesus = 6 
fiéis = 6 
diabo = 6 
PeRSacramentos Ritual de exorcismo e outras súplicas (2.53) Estêvão Bettencourt 5246
#1585 Novembro 2005, 15 [521, novembro 2005, exorcismo, diabo, ritual, sacramento]

A publicação do Ritual dos Exorcismos revisto e atualizado levou a imprensa a dizer que a Igreja Católica reformou seu Ritual coagida pela frequente aplicação do exorcismo nas comunidades protestantes. Não querendo perder seus fiéis, a Igreja terá decidido atualizar a prática do exorcismo em seus templos, tirando do esquecimento essa prática. - Tal interpretação dos fatos não corresponde à realidade, como se depreende da leitura das páginas subsequentes.
3 #REVISTA = 350 
penitência = 74 
pecados = 44 
pecado = 38 
deus = 36 
sacramento = 28 
igreja = 27 
vida = 25 
século = 25 
reconciliação = 23 
pecador = 22 
PeRSacramentos O Sacramento da Reconciliação (1.90) Estêvão Bettencourt 4779
#209 Julho 1991, 01 [350, julho 1991, sacramento, reconciliação, confissão, pecados, penitência, perdão]

Após apresentar a fundamentação bíblica (noção de pecado e instituição ao sacramento da Penitência por parte de Jesus), o artigo percorre as três etapas da história do Sacramento; 1) até o século VI (Penitência comunitária ou pública, ministrada uma só vez na vida, com sérias conseqüências para o penitente absolvido; 2) do século VI ao século XIII (Penitência oferecida mais de uma vez, com satisfação tarifada, segundo o costume dos monges irlandeses vindos para o continente europeu); 3) o Sacramento como hoje é ministrado, tantas vezes quantas queira o penitente, com satisfação abrandada por motivos pastorais, devendo o penitente encarregar-se de livrar-se dos resquícios do pecado mediante o exercício da virtude da penitência.
4 #REVISTA = 15 
espírito = 52 
santo = 24 
espírito santo = 24 
cristo = 18 
mãos = 18 
imposição mãos = 17 
imposição = 17 
jesus = 12 
unção = 12 
batismo = 12 
PeRSacramentos Fundamentos do Sacramento da Crisma (1.98) Estêvão Bettencourt 3868
#1964 Março 1959, 15 [015, março 1959, Espírito Santo, batismo, unção, ungido, imposição das mãos]

Antônio de Botucatu, Penna e Zuleika de Belo Horizonte perguntam: “Quais os fundamentos bíblicos do sacramento da Crisma? Não será este uma instituição meramente humana?”
5 #REVISTA = 17 
rito = 28 
tiago = 23 
unção = 21 
pecados = 15 
doentes = 15 
sacramento = 13 
senhor = 13 
cristo = 12 
unção doentes = 11 
doença = 11 
PeRSacramentos O Rito da Extrema Unção (1.77) Estêvão Bettencourt 3423
#2029 Maio 1959, 15 [017, maio 1959, extrema unção, São Tiago, enfermidades, pecados]

Amy Camus de Poços de Caldas: “O rito da Extrema-Unção terá sido instituído por Cristo? E, se foi instituído pelo Senhor, qual o seu autêntico significado?”
6 #REVISTA = 379 
confissão = 30 
confessor = 18 
sacerdote = 18 
sigilo = 18 
joão = 17 
pecado = 15 
segredo = 14 
sacramental = 13 
penitente = 12 
pecados = 12 
PeRSacramentos O Segredo da Confissão (1.21) Estêvão Bettencourt 2936
#429 Dezembro 1993, 01 [379, dezembro 1993, confissão, reconciliação, sacramento, pecados, perdão, perdoar]

O sacramento da Reconciliação tem seu fundamento bíblico em Jo 20,22s: Jesus conferiu aos seus Apóstolos a faculdade de perdoar e não perdoar,... não perdoar aos penitentes não suficientemente dispostos a abandonar o pecado. Ora este discernimento supõe conhecimento do estado de ânimo do cristão — o que só pode ser obtido mediante a confissão dos pecados; esta, portanto, está implícita na instituição do sacramento realizada por Jesus. Compreende-se que, desde os primeiros tempos, se tenha exigido sigilo da parte dos confessores. Tal sigilo hoje em dia é mais rigoroso do que o segredo profissional de médicos, psicólogos, advogados, pois a violação do mesmo acarreta a pena de excomunhão para o sacerdote; a este não é lícito revelar faltas ouvidas em confissão nem fazer uso dos conhecimentos adquiridos em confissão, se este uso redunda em detrimento do penitente.
7 #REVISTA = 517 
pecado = 63 
deus = 39 
confissão = 20 
pecados = 17 
grave = 16 
mortal = 15 
penitência = 14 
pessoa = 13 
sacramento = 11 
vida = 11 
PeRSacramentos A Confissão Sacramental (1.26) Estêvão Bettencourt 2711
#1326 Julho 2005, 15 [517, julho 2005, confissão, penitência, arrependimento, ato de contrição, Espírito Santo, pecado, venial, mortal, grave]

Respondendo a perguntas recebidas via internet, o presente artigo afirma que os pecados devidamente confessados no sacramento da Reconciliação estão perdoados após a absolvição dada pelo confessor. Todavia deixam o principio do pecado muito vivo na alma do penitente, tanto que não é rara a recaída no mesmo pecado. Daí a necessidade de se praticar a virtude da penitência para extirpar as raízes do pecado mesmo após a absolvição sacramental.
8 #REVISTA = 457 
confissão = 25 
pecados = 16 
pecado = 11 
igreja = 10 
consciência = 8 
deus = 8 
reconciliação = 8 
perdão = 7 
sacramento = 7 
faltas = 7 
PeRSacramentos A Confissão e o Perdão (1.22) Estêvão Bettencourt 2488
#1675 Junho 2000, 15 [457, junho 2000, confissão, reconciliação, Igreja, pecados, perdão, consciência, medo]

Jean Delumeau, historiador francês, colecionou documentos que exprimem o pensamento dos teólogos do século XIII ao século XVIII com referência a diversos aspectos do sacramento da Reconciliação: contrição e atrição, satisfação expiatória, acusação de pecados graves... O livro é interessante como documentário, pois oferece o contato com textos que o leitor dificilmente encontraria em obras originais. Todavia o livro é perpassado pela suposição de que a confissão dos pecados é devida simplesmente a uma instituição da Igreja - o que é falso, como será evidenciado nas páginas seguintes.
9 #REVISTA = 344 
absolvição = 5 
pecados = 4 
acusação = 3 
igreja = 3 
rito = 3 
sacramento = 3 
preparação = 2 
coletiva = 2 
comunitária = 2 
perdão = 2 
PeRSacramentos A Celebração do Sacramento da Reconciliação (0.99) Estêvão Bettencourt 2349
#641 Janeiro 1991, 01 [344, janeiro 1991, reconciliação, confissão, pecados, sacramento]

Existem três formas de se ministrar a reconciliação sacramental, que é o meio ordinário e necessário para se obter o perdão dos pecados graves ou mortais, como veremos neste breve artigo.
10 #REVISTA = 373 
deus = 16 
batismo = 16 
igreja = 13 
crianças = 10 
rito = 9 
novo = 7 
água = 6 
jesus = 6 
particular = 6 
senhor = 5 
PeRSacramentos Novo Rito de Batismo ? (0.90) Estêvão Bettencourt 2113
#744 Junho 1993, 01 [373, junho 1993, batismo, rito, revelação particular, limbo]

Uma revelação particular, atribuída a Jesus, ensina novo rito de Batismo em favor das crianças que estão para morrer ou já morreram no seio materno. Tal rito é estranho e não goza do reconhecimento da S. Igreja. Esta tem seu rito batismal, que exige o contato físico da água com a pele do batizando. A criancinha que morra sem ter recebido o Batismo assim concebido, não está excluída da bem-aventurança celeste, como ensinam os teólogos recentes, baseados em válidos argumentos; a existência do limbo das crianças nunca foi definida como objeto de fé.
11 #REVISTA = 529 
símbolo = 7 
cristo = 6 
artigo = 5 
eucaristia = 5 
realidade = 5 
simbólica = 4 
vida = 4 
comunhão = 4 
união = 3 
grego = 3 
PeRSacramentos A Celebração Eucarística é Ação Simbólica? (0.94) Estêvão Bettencourt 1937
#1659 Julho 2006, 15 [529, julho 2006, liturgia, Eucaristia, simbolismo]

É analisado o teor de um artigo propagado entre Ministros Extraordinários da Comunhão Eucarística, que deixou dúvidas na mente de vários leitores...
12 #REVISTA = 389 
comunhão = 11 
missa = 9 
pecado = 9 
eucaristia = 9 
grave = 9 
pecado grave = 8 
eucarística = 6 
deus = 6 
propósito = 5 
comungar = 5 
PeRSacramentos Respeitar a Eucaristia (0.82) Estêvão Bettencourt 1753
#1352 Outubro 1994, 15 [389, outubro 1994, Eucaristia, comunhão, hóstia, Gérard Dufois, corpo do Senhor, Missa, liturgia, confissão]

A Missa e a Comunhão Eucarística são o ápice de todo o culto cristão e a fonte de todas as bênçãos. Por isto a Eucaristia há de ser sempre recebida em estado de graça, não sendo lícito aos fiéis comungar em pecado grave, mesmo que tenham o propósito de se confessar na primeira oportunidade. O fato de alguém acompanhar uma família em festa ou em luto durante a S. Missa não justifica a recepção da S. Comunhão por parte de quem esteja em pecado grave.
13 #REVISTA = -5 
deus = 19 
confissão = 15 
pecado = 8 
sacerdote = 7 
igreja = 7 
senhor = 7 
pecados = 6 
jesus = 5 
penitente = 5 
pecador = 5 
PeRSacramentos Confesso meus pecados a Deus. Por que não? (0.90) Estêvão Bettencourt 1673
#2237 Agosto 1957, 15 [-005, agosto 1957, pecados, absolvição, perdão, confissão]

A. C. do Rio de Janeiro: "Confesso os meus pecados diretamente a Deus. Não preciso de intermediário para ser absolvido!"
Ver comentários...
14 #REVISTA = 508 
pecados = 4 
pecado = 3 
proveito = 2 
deus = 2 
igreja = 2 
modo = 2 
comunhão = 2 
corpo = 2 
serão = 2 
somente = 2 
PeRSacramentos Confessar os Pecados? (0.73) Estêvão Bettencourt 1466
#1783 Outubro 2004, 15 [508, outubro 2004, pecados, perdão, sacramentos, confissão, Igreja, corpo místico]

Por que os fiéis não podem confessar os pecados somente a Deus?
15 #REVISTA = 457 
mãos = 23 
comunhão = 23 
fiéis = 22 
eucaristia = 20 
século = 9 
boca = 8 
partícula = 8 
fiel = 7 
cada = 7 
receber = 7 
PeRSacramentos A Comunhão Eucarística na Mão? (0.67) Estêvão Bettencourt 1379
#1684 Junho 2000, 15 [457, junho 2000, comunhão, boca, mão]

A Comunhão Eucarística foi ministrada nas mãos dos comungantes até o século IX. Verificaram-se, porém, abusos e irreverências, que levaram a Igreja a preferir dar a Eucaristia na boca dos fiéis. Em nossos dias a praxe antiga foi restaurada sob certas condições, que visam a garantir o respeito ao Ssmo. Sacramento. Uma Declaração recente da Santa Sé enfatiza o direito, dos fiéis, de recebera Comunhão na boca desde que o desejem.