||  Início  ->  Revista Pergunte e Responderemos

NÚMERO

-008 Março 1957 (11)
-007 Junho 1957 (8)
-006 Julho 1957 (12)
-005 Agosto 1957 (7)
-004 Setembro 1957 (9)
-003 Outubro 1957 (10)
-002 Novembro 1957 (15)
-001 Dezembro 1957 (12)
001 Janeiro 1958 (11)
002 Fevereiro 1958 (11)
003 Março 1958 (12)
004 Abril 1958 (11)
005 Maio 1958 (9)
006 Junho 1958 (10)
007 Julho 1958 (10)
008 Agosto 1958 (9)
009 Setembro 1958 (10)
010 Outubro 1958 (10)
011 Novembro 1958 (9)
012 Dezembro 1958 (12)
013 Janeiro 1959 (7)
014 Fevereiro 1959 (8)
015 Março 1959 (7)
016 Abril 1959 (7)
017 Maio 1959 (9)
018 Junho 1959 (7)
019 Julho 1959 (8)
020 Agosto 1959 (6)
021 Setembro 1959 (7)
022 Outubro 1959 (5)
023 Novembro 1959 (7)
024 Dezembro 1959 (6)
025 Janeiro 1960 (6)
026 Fevereiro 1960 (7)
027 Março 1960 (6)
028 Abril 1960 (9)
029 Maio 1960 (6)
030 Junho 1960 (9)
031 Julho 1960 (8)
032 Agosto 1960 (8)
033 Setembro 1960 (7)
034 Outubro 1960 (7)
035 Novembro 1960 (7)
036 Dezembro 1960 (7)
037 Janeiro 1961 (7)
038 Fevereiro 1961 (6)
039 Março 1961 (5)
040 Abril 1961 (6)
041 Maio 1961 (5)
042 Junho 1961 (5)
043 Julho 1961 (6)
044 Agosto 1961 (5)
045 Setembro 1961 (6)
046 Outubro 1961 (7)
047 Novembro 1961 (6)
048 Dezembro 1961 (5)
049 Janeiro 1962 (7)
050 Fevereiro 1962 (5)
051 Março 1962 (5)
052 Abril 1962 (6)
053 Maio 1962 (7)
054 Junho 1962 (5)
055 Julho 1962 (6)
056 Agosto 1962 (7)
057 Setembro 1962 (7)
058 Outubro 1962 (6)
059 Novembro 1962 (5)
060 Dezembro 1962 (8)
061 Janeiro 1963 (6)
062 Fevereiro 1963 (5)
063 Março 1963 (5)
064 Abril 1963 (5)
065 Maio 1963 (6)
066 Junho 1963 (5)
240 Dezembro 1979 (1)
344 Janeiro 1991 (8)
345 Fevereiro 1991 (8)
346 Março 1991 (9)
347 Abril 1991 (8)
348 Maio 1991 (6)
349 Junho 1991 (9)
350 Julho 1991 (5)
351 Agosto 1991 (8)
352 Setembro 1991 (7)
356 Janeiro 1992 (9)
360 Maio 1992 (1)
368 Janeiro 1993 (7)
369 Fevereiro 1993 (5)
370 Março 1993 (5)
371 Abril 1993 (6)
373 Junho 1993 (9)
374 Julho 1993 (8)
377 Outubro 1993 (11)
379 Dezembro 1993 (7)
380 Janeiro 1994 (7)
381 Fevereiro 1994 (7)
382 Março 1994 (7)
383 Abril 1994 (6)
385 Junho 1994 (6)
386 Julho 1994 (10)
387 Agosto 1994 (7)
388 Setembro 1994 (10)
389 Outubro 1994 (10)
390 Novembro 1994 (6)
391 Dezembro 1994 (8)
392 Janeiro 1995 (6)
393 Fevereiro 1995 (7)
395 Abril 1995 (10)
397 Junho 1995 (6)
398 Julho 1995 (10)
399 Agosto 1995 (7)
400 Setembro 1995 (8)
401 Outubro 1995 (11)
402 Novembro 1995 (8)
403 Dezembro 1995 (8)
449 Outubro 1999 (1)
457 Junho 2000 (8)
468 Maio 2001 (8)
491 Maio 2003 (14)
500 Fevereiro 2004 (9)
501 Março 2004 (8)
504 Junho 2004 (15)
505 Julho 2004 (7)
506 Agosto 2004 (15)
507 Setembro 2004 (7)
508 Outubro 2004 (12)
509 Novembro 2004 (12)
510 Dezembro 2004 (9)
513 Março 2005 (10)
516 Junho 2005 (12)
517 Julho 2005 (13)
518 Agosto 2005 (20)
519 Setembro 2005 (12)
520 Outubro 2005 (13)
521 Novembro 2005 (12)
522 Dezembro 2005 (12)
523 Janeiro 2006 (11)
524 Fevereiro 2006 (11)
525 Março 2006 (14)
526 Abril 2006 (12)
527 Maio 2006 (13)
528 Junho 2006 (15)
529 Julho 2006 (14)
530 Agosto 2006 (15)
531 Setembro 2006 (13)
532 Outubro 2006 (14)
537 Março 2007 (13)
539 Maio 2007 (14)
543 Setembro 2007 (18)
545 Novembro 2007 (12)
547 Janeiro 2008 (14)
548 Fevereiro 2008 (15)
549 Março 2008 (13)
551 Maio 2008 (14)
554 Agosto 2008 (15)
555 Setembro 2008 (13)
 
...CAPA*TÓPASSUNTOTÍTULO (hits/dia)AUTORHITS PDF
1 #REVISTA = 551 
ranjith = 8 
mons = 8 
papa = 7 
mons ranjith = 6 
missa = 5 
motu proprio = 5 
motu = 5 
proprio = 5 
rito = 4 
deve = 4 
PeRLiturgia Danças, Músicas e Aplausos na Missa (2.05) Estêvão Bettencourt 4449
#1250 Maio 2008, 15 [551, maio 2008, Missa, liturgia, música, dança, aplausos, novo ordo, rito tridentino, motu proprio]

O clero, em todos os níveis, deve obedecer ao Papa: é a parte central da mensagem do Mons. Albert Malcolm Ranjith Patabendige, Secretário da Congregação do Culto Divino e da Disciplina dos Sacramentos, entrevistado exclusivamente pelo site "Petrus".
2 #REVISTA = 520 
mãos = 35 
comunhão = 15 
receber = 10 
deus = 7 
corpo = 7 
cristo = 6 
símbolos = 6 
senhor = 6 
linguagem = 6 
boca = 6 
PeRLiturgia Gestos e Símbolos (1.85)José Aldazabal 4125
#1026 Outubro 2005, 15 [520, outubro 2005, liturgia, símbolos, Eucaristia, comunhão na mão]

O autor mostra a importância dos símbolos, especialmente na Liturgia. Esta é celebrada por seres psicossomáticos, aos quais é natural exprimir-se não só pela palavra, mas também pela linguagem corpórea das mãos, do olhar, do caminhar, do trajar-se... O livro analisa o significado de vários símbolos e gestos da Liturgia, descortinando aos olhos do leitor um pouco do Além manifestado pelo aquém.
3 #REVISTA = 45 
cruz = 80 
sinal = 43 
sinal cruz = 29 
cristo = 24 
cristãos = 15 
testa = 9 
dedos = 9 
forma = 9 
três = 8 
gamada = 8 
PeRLiturgia O Significado do Sinal da Cruz (2.66) Estêvão Bettencourt 4116
#2862 Setembro 1961, 15 [045, setembro 1961, sinal da cruz, protestantismo, história]

«Qual a origem do sinal da cruz dos cristãos? Que significa propriamente?»
4 #REVISTA = -3 
velas = 11 
alma = 5 
vela = 5 
igreja = 5 
benta = 4 
junto = 4 
senhor = 4 
deus = 4 
fogo = 3 
sete = 3 
PeRLiturgia Significado da Vela Acesa (2.03) Estêvão Bettencourt 3742
#2296 Outubro 1957, 15 [-003, outubro 1957, vela, fogo]

Pedro (Rio de Janeiro): "Qual o significado da vela acesa a uma imagem?"
Júlia (Barbacena): "Por que os católicos acendem velas durante o dia sobre os altares?"
5 #REVISTA = 39 
páscoa = 44 
cristo = 14 
morte = 13 
senhor = 13 
ressurreição = 13 
data = 12 
domingo = 12 
cristãos = 11 
nisã = 11 
calendário = 10 
PeRLiturgia Por que varia a data da Páscoa? (2.19) Estêvão Bettencourt 3502
#2776 Março 1961, 15 [039, março 1961, páscoa, semana santa, ressurreição, quartodecimanos, história]

MILTON (Fortaleza): «Por que a Semana Santa muda de data todos os anos, ao passo que outras celebrações litúrgicas ocorrem em época fixa?»
6 #REVISTA = 42 
gestos = 22 
procissões = 20 
deus = 19 
alma = 18 
corpo = 18 
culto = 12 
piedade = 10 
homem = 9 
cristão = 8 
senhor = 8 
PeRLiturgia O significado das procissões (2.20) Estêvão Bettencourt 3462
#2816 Junho 1961, 15 [042, junho 1961, procissões, liturgia, paganismo, idolatria, religiosidade]

JOÃO SANTOS (Monte Alegre, Pará): «Que sentido têm as procissões tão estimadas pela piedade popular? Não serão concessões indevidamente feitas à religiosidade primitiva ou à mentalidade pagã?»
7 #REVISTA = 525 
deus = 29 
liturgia = 16 
beleza = 13 
palavra = 13 
missa = 10 
celebração = 10 
silêncio = 9 
humano = 9 
escutar = 8 
deve = 8 
PeRLiturgia O Simbolismo na Liturgia (1.37) Estêvão Bettencourt 3268
#601 Março 2006, 01 [525, março 2006, liturgia, linguagem, estética, respeito, flores, postura, silêncio, boas maneiras]

O ser humano é psicossomático, de tal modo que "nada há no intelecto que não tenha passado pelos sentidos" (Aristóteles). A Liturgia deve ser a expressão desta realidade, desenvolvendo a linguagem dos símbolos para tornar visível o Invisível. Seja celebrada com estética simples (sem teatralidade), pois a beleza vem de Deus e faz voltar a Deus.
8 #REVISTA = 43 
genuflexão = 28 
deus = 10 
joelhos = 8 
adorar = 7 
adoração = 6 
costume = 6 
reverência = 6 
praxe = 6 
algo = 5 
homem = 5 
PeRLiturgia Significado da Genuflexão (2.04) Estêvão Bettencourt 3201
#2830 Julho 1961, 15 [043, 1961 julho, genuflexão, história, adoração, protestantismo, evangélicos]

Câmara (BH): «Que significa a genuflexão? Não exprime um ato de adoração, que os católicos prestam aos anjos e santos, contrariamente às indicações da Sagrada Escritura? Nesta se lê que os anjos e São Pedro recusaram a genuflexão que outras criaturas lhes quiseram prestar (cf. At 10,25s; Apc 19,10; 22,8s)».
9 #REVISTA = 28 
corpo = 15 
fiéis = 14 
missa = 14 
durante = 13 
culto = 12 
homem = 8 
deus = 8 
celebração = 7 
posições = 7 
alma = 7 
PeRLiturgia A linguagem corporal durante a Missa (1.39) Estêvão Bettencourt 2368
#2609 Abril 1960, 15 [028, abril 1960, liturgia, Missa, expressão, corpo]

U. A. M. (Vila Velha) : «Quais as posições que os fiéis devem tomar durante a celebração da S. Missa ? Há diversos costumes referentes ao ajoelhar-se, ao levantar-se e ao sentar-se!».
10 #REVISTA = -4 
liturgia = 20 
língua = 18 
latim = 16 
culto = 11 
idioma = 10 
missa = 9 
línguas = 8 
igreja = 7 
vernáculo = 7 
missal = 5 
PeRLiturgia Por que celebra-se a Missa em latim? (1.27) Estêvão Bettencourt 2352
#2269 Setembro 1957, 15 [-004, setembro 1957, Missa, liturgia, idioma, vernáculo, latim, história]

Isolina Rocha de Belo Horizonte: "Porque é celebrada a Missa em latim?"
11 #REVISTA = -7 
altar = 15 
mesa = 12 
superfície = 10 
superfície mesa = 9 
pedra = 9 
base = 7 
sepulcro = 5 
deve = 4 
consagrado = 3 
bloco pedra = 3 
PeRLiturgia O Altar (0.95) Estêvão Bettencourt 2122
#1010 Junho 1957, 15 [-007, junho 1957, altar, liturgia]

1) Quais as exigências litúrgicas para que seja consagrado um altar? 2) O altar deverá ser de pedra; esta pedra deverá necessariamente atingir a rocha, mesmo sendo esta profunda? 3) Poderá o altar consagrado levar revestimento de madeira no frontal e nos lados?
12 #REVISTA = 507 
missa = 33 
comunhão = 27 
celebração = 27 
fiéis = 19 
eucaristia = 18 
sagrada = 17 
deve = 16 
lugar = 12 
sempre = 12 
sacramento = 12 
PeRLiturgia Desvios na Liturgia (0.96) Estêvão Bettencourt 2063
#1289 Setembro 2004, 15 [507, setembro 2004, liturgia, Eucaristia, missa, , comunhão, sacramentos, leituras, culto, instrução]

A Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos emitiu uma Instrução que corrige abusos ocorrentes na celebração da Liturgia: leituras não bíblicas em lugar da Bíblia, cantos profanos, Oração Eucarística dita pela assembleia... Visa assim a preservar a dignidade do culto sagrado.
13 #REVISTA = 44 
santa = 40 
filomena = 32 
igreja = 27 
devoção = 19 
santa filomena = 17 
santos = 13 
caso = 12 
santo = 11 
documentação = 10 
tais = 9 
PeRLiturgia Sta Filomena, São Jorge e Outros (1.28) Estêvão Bettencourt 1990
#2844 Agosto 1961, 15 [044, agosto 1961, santos, milagres, canonização]

Diversos (Rio e Estados): «Como se explica o recente 'caso de Santa Filomena'? Como pode a Igreja cancelar a festa da santa, quando se lhe atribuem tantos milagres e favores? E que dizer do tratamento dado a São Jorge?»
14 #REVISTA = 457 
altar = 11 
interpretação = 9 
funções = 8 
santa = 8 
leigos = 8 
cânon = 7 
bispo = 7 
divino = 6 
culto divino = 6 
serviço = 6 
PeRLiturgia Acólito e Acólita de Missa (0.71) Estêvão Bettencourt 1450
#1685 Junho 2000, 15 [457, junho 2000, acólito, acólita, Igreja, liturgia, coroinhas, Missa]

A Santa Sé não se opõe a que meninas e senhoras sirvam ao altar na qualidade de acólitas (coroinhas). Todavia lembra que sempre será muito oportuno seguir a nobre tradição do serviço ao altar por parte dos meninos. Onde, por licença do Sr. Bispo, haja meninas ou senhoras servindo ao altar, recomenda-se que esta praxe seja bem explicada aos fiéis à luz das normas da Igreja. Ademais a autorização para servir ao altar há de ser concedida temporariamente pelo Sr. Bispo, podendo este renovar ou não a concessão feita.
15 #REVISTA = 35 
ação = 12 
graças = 11 
ação graças = 11 
missa = 9 
após = 8 
jesus = 5 
comunhão = 5 
senhor = 4 
graças após = 4 
sensibilidade = 3 
PeRLiturgia Após a comunhão, como proceder? (0.85) Estêvão Bettencourt 1381
#2708 Novembro 1960, 15 [035, novembro 1960, Eucaristia, comunhão, ação de graças]

CATEQUISTA interroga : "Será necessário incutir a ação de graças após a Santa Missa de Comunhão ou pode-se admitir que os comungantes se retirem da igreja logo após terminada a Missa?"
16 #REVISTA = 50 
igreja = 26 
liturgia = 19 
arte = 17 
fiéis = 13 
deus = 11 
igrejas = 9 
deve = 8 
constantini = 8 
imagens = 8 
eucaristia = 8 
PeRLiturgia O que é Igreja Litúrgica? (0.87) Estêvão Bettencourt 1232
#2981 Fevereiro 1962, 15 [050, fevereiro 1962, liturgia, Igreja]

A.F.P. (BH): «Que se entende por 'igreja litúrgica' ou, consequentemente, por 'estilo litúrgico'?»