||  Início  ->  Revista Pergunte e Responderemos

NÚMERO

-008 Março 1957 (11)
-007 Junho 1957 (8)
-006 Julho 1957 (12)
-005 Agosto 1957 (7)
-004 Setembro 1957 (9)
-003 Outubro 1957 (10)
-002 Novembro 1957 (15)
-001 Dezembro 1957 (12)
001 Janeiro 1958 (11)
002 Fevereiro 1958 (11)
003 Março 1958 (12)
004 Abril 1958 (11)
005 Maio 1958 (9)
006 Junho 1958 (10)
007 Julho 1958 (10)
008 Agosto 1958 (9)
009 Setembro 1958 (10)
010 Outubro 1958 (10)
011 Novembro 1958 (9)
012 Dezembro 1958 (12)
013 Janeiro 1959 (7)
014 Fevereiro 1959 (8)
015 Março 1959 (7)
016 Abril 1959 (7)
017 Maio 1959 (9)
018 Junho 1959 (7)
019 Julho 1959 (8)
020 Agosto 1959 (6)
021 Setembro 1959 (7)
022 Outubro 1959 (5)
023 Novembro 1959 (7)
024 Dezembro 1959 (6)
025 Janeiro 1960 (6)
026 Fevereiro 1960 (7)
027 Março 1960 (6)
028 Abril 1960 (9)
029 Maio 1960 (6)
030 Junho 1960 (9)
031 Julho 1960 (8)
032 Agosto 1960 (8)
033 Setembro 1960 (7)
034 Outubro 1960 (7)
035 Novembro 1960 (7)
036 Dezembro 1960 (7)
037 Janeiro 1961 (7)
038 Fevereiro 1961 (6)
039 Março 1961 (5)
040 Abril 1961 (6)
041 Maio 1961 (5)
042 Junho 1961 (5)
043 Julho 1961 (6)
044 Agosto 1961 (5)
045 Setembro 1961 (6)
046 Outubro 1961 (7)
047 Novembro 1961 (6)
048 Dezembro 1961 (5)
049 Janeiro 1962 (7)
050 Fevereiro 1962 (5)
051 Março 1962 (5)
052 Abril 1962 (6)
053 Maio 1962 (7)
054 Junho 1962 (5)
055 Julho 1962 (6)
056 Agosto 1962 (7)
057 Setembro 1962 (7)
058 Outubro 1962 (6)
059 Novembro 1962 (5)
060 Dezembro 1962 (8)
061 Janeiro 1963 (6)
062 Fevereiro 1963 (5)
063 Março 1963 (5)
064 Abril 1963 (5)
065 Maio 1963 (6)
066 Junho 1963 (5)
240 Dezembro 1979 (1)
344 Janeiro 1991 (8)
345 Fevereiro 1991 (8)
346 Março 1991 (9)
347 Abril 1991 (8)
348 Maio 1991 (6)
349 Junho 1991 (9)
350 Julho 1991 (5)
351 Agosto 1991 (8)
352 Setembro 1991 (7)
356 Janeiro 1992 (9)
360 Maio 1992 (1)
368 Janeiro 1993 (7)
369 Fevereiro 1993 (5)
370 Março 1993 (5)
371 Abril 1993 (6)
373 Junho 1993 (9)
374 Julho 1993 (8)
377 Outubro 1993 (11)
379 Dezembro 1993 (7)
380 Janeiro 1994 (7)
381 Fevereiro 1994 (7)
382 Março 1994 (7)
383 Abril 1994 (6)
385 Junho 1994 (6)
386 Julho 1994 (10)
387 Agosto 1994 (7)
388 Setembro 1994 (10)
389 Outubro 1994 (10)
390 Novembro 1994 (6)
391 Dezembro 1994 (8)
392 Janeiro 1995 (6)
393 Fevereiro 1995 (7)
395 Abril 1995 (10)
397 Junho 1995 (6)
398 Julho 1995 (10)
399 Agosto 1995 (7)
400 Setembro 1995 (8)
401 Outubro 1995 (11)
402 Novembro 1995 (8)
403 Dezembro 1995 (8)
449 Outubro 1999 (1)
457 Junho 2000 (8)
468 Maio 2001 (8)
491 Maio 2003 (14)
500 Fevereiro 2004 (9)
501 Março 2004 (8)
504 Junho 2004 (15)
505 Julho 2004 (7)
506 Agosto 2004 (15)
507 Setembro 2004 (7)
508 Outubro 2004 (12)
509 Novembro 2004 (12)
510 Dezembro 2004 (9)
513 Março 2005 (10)
516 Junho 2005 (12)
517 Julho 2005 (13)
518 Agosto 2005 (20)
519 Setembro 2005 (12)
520 Outubro 2005 (13)
521 Novembro 2005 (12)
522 Dezembro 2005 (12)
523 Janeiro 2006 (11)
524 Fevereiro 2006 (11)
525 Março 2006 (14)
526 Abril 2006 (12)
527 Maio 2006 (13)
528 Junho 2006 (15)
529 Julho 2006 (14)
530 Agosto 2006 (15)
531 Setembro 2006 (13)
532 Outubro 2006 (14)
537 Março 2007 (13)
539 Maio 2007 (14)
543 Setembro 2007 (18)
545 Novembro 2007 (12)
547 Janeiro 2008 (14)
548 Fevereiro 2008 (15)
549 Março 2008 (13)
551 Maio 2008 (14)
554 Agosto 2008 (15)
555 Setembro 2008 (13)
 
...CAPA*TÓPASSUNTOTÍTULO (hits/dia)AUTORHITS PDF
1 #REVISTA = 517 
tempo = 10 
vida = 5 
valores = 3 
pouco = 3 
apóstolo = 2 
2cor = 2 
valor = 2 
façamos = 2 
colherá = 2 
cristão = 2 
PeRReflexões Enquanto Temos Tempo (0.54) Estêvão Bettencourt 1099
#1309 Julho 2005, 15 [517, julho 2005, tempo, São Paulo, semear, alienação, fim]

Numa importante passagem de seu epistolário, o Apóstolo lembra a fugacidade do tempo e a necessidade de o aproveitarmos com afinco. E por quê? Porque o tempo é a ocasião da semeadura de valores que colheremos na vida póstuma; quem semeia pouco, colherá pouco, mas quem semear muito, muito colherá (cf. Gl 6,10; 2Cor 9, 7-9).
2 #REVISTA = 517 
texto = 17 
evangelhos = 13 
novo = 11 
testamento = 11 
novo testamento = 11 
aramaico = 8 
anos = 8 
jesus = 8 
joão = 7 
hoje = 7 
PeREscrituras O texto dos evangelhos é fiel? (1.43) Estêvão Bettencourt 2897
#1315 Julho 2005, 15 [517, julho 2005, evangelho, exegese, papirologia, tempo]

Com referência a uma carta publicada pela Revista do jornal O GLOBO no domingo 9/01, impõem-se algumas observações: os Evangelhos de Marcos, Lucas e João não foram escritos em aramaico, mas em grego. A seqüência dos manuscritos existentes desde o século II permite acompanhar a história do texto e verificar que há continuidade na transmissão do mesmo sem as alterações de que fala a carta. Há mesmo fragmentos de Mateus e Marcos que bons críticos atribuem a meados do século I, a tal ponto que o papirólogo Carsten Peter Thiede pode afirmar ser o Evangelho de Mateus o de "uma testemunha ocular de Jesus". Aliás, tem-se verificado um fato Imprevisto: quanto mais a papirologia progride, tanto mais ela mostra quão próxima de Jesus está a redação dos Evangelhos. A multiplicação de manuscritos descobertos recentemente confirma a transmissão fiel dos originais.
3 #REVISTA = 517 
papa = 25 
paulo = 8 
mundo = 8 
deus = 8 
ateu = 7 
joão = 7 
joão paulo = 6 
anos = 5 
igreja = 4 
terra = 4 
PeRTestemunhos Eu não gostava de João Paulo II (0.82) Estêvão Bettencourt 1669
#1316 Julho 2005, 15 [517, julho 2005, Papa João Paulo II, Arnaldo Jabor, ateísmo, transcendência]

Arnaldo Jabor, ateu como é, diz ter ficado profundamente impressionado pela figura do Papa quando este chegou ao fim dos seus dias na Terra. Reconheceu então o valor da Transcendência e da espiritualidade (termos ainda vagos, mas que superam o materialismo ateu).
4 #REVISTA = 517 
papa = 20 
profecia = 19 
malaquias = 18 
papas = 15 
pastor = 11 
mundo = 11 
profecia malaquias = 9 
lista = 8 
após = 8 
joão = 8 
PeRSantos e Místicos A Predição de São Malaquias (1.75) Estêvão Bettencourt 3553
#1320 Julho 2005, 15 [517, julho 2005, São Malaquias, profecias, predição, papas, fim do mundo]

A predição atribuída a São Malaquias, bispo de Armagh (Irlanda), no século XII não era conhecida até 1595. Os pesquisadores chegaram à conclusão de que foi forjada por interessados políticos que queriam colocar sobre a Cátedra de Pedro o Cardeal Simoncelli, de Orvieto, precisamente indicado pelo Espírito Santo mediante o dístico "De antiquitate urbis". A falsidade da profecia logo se evidenciou, pois foi eleito Papa não Simoncelli mas o Cardeal Sfondrate. A profecia é um instrumento da desonestidade política e não merece crédito.
Ver comentários...
5 #REVISTA = 517 
judeus = 26 
deus = 15 
cristãos = 12 
filhos = 10 
negros = 10 
escravos = 9 
escravatura = 8 
guerra = 8 
tais = 7 
escravidão = 7 
PeRHistória A teologia católica na formação da colônia (0.99) Estêvão Bettencourt 2007
#1321 Julho 2005, 15 [517, julho 2005, colonização, Brasil, anti-semitismo, escravidão, guerra santa, Riolando Azzi]

O autor vai buscar em premissas do pensamento religioso do passado a explicação de muitos comportamentos dos católicos de outrora, comportamentos que parecem estranhos ao homem contemporâneo. Assim são elucidados (não justificados aos olhos do leitor ateu) o anti-semitismo, a escravidão, a guerra santa... O regime de cristandade tendo cedido ao pluralismo religioso, as razões aduzidas outrora perderam seu significado.
6 #REVISTA = 517 
deus = 17 
prazer = 12 
alegria = 11 
pecado = 10 
morte = 7 
culpa = 7 
cristão = 6 
mundo = 6 
humano = 6 
vida = 6 
PeRApologética Nossa Culpa (0.69) Estêvão Bettencourt 1393
#1323 Julho 2005, 15 [517, julho 2005, Marcos Tavares, alegria, tristeza, pecado original, Adão, culpa, hedonismo, pecado, arrependimento, Papa Inocêncio XI]

Há quem acuse o Cristianismo de fomentar o complexo de culpa e a tristeza. Ora isto é falso. A alegria é um dos frutos do Espírito Santo; cf. Gl 5, 22. O pecador sente a dor de haver pecado, mas alegra-se por sentir tal dor, visto que ela é dom de Deus.
7 #REVISTA = 517 
pecado = 63 
deus = 39 
confissão = 20 
pecados = 17 
grave = 16 
mortal = 15 
penitência = 14 
pessoa = 13 
sacramento = 11 
vida = 11 
PeRSacramentos A Confissão Sacramental (1.29) Estêvão Bettencourt 2612
#1326 Julho 2005, 15 [517, julho 2005, confissão, penitência, arrependimento, ato de contrição, Espírito Santo, pecado, venial, mortal, grave]

Respondendo a perguntas recebidas via internet, o presente artigo afirma que os pecados devidamente confessados no sacramento da Reconciliação estão perdoados após a absolvição dada pelo confessor. Todavia deixam o principio do pecado muito vivo na alma do penitente, tanto que não é rara a recaída no mesmo pecado. Daí a necessidade de se praticar a virtude da penitência para extirpar as raízes do pecado mesmo após a absolvição sacramental.
8 #REVISTA = 517 
macumba = 7 
pega = 7 
macumba pega = 5 
espuma = 5 
orixás = 5 
deus = 5 
celina = 4 
despachos = 4 
naqueles = 4 
demônio = 4 
PeRPrática Cristã Macumba pega ? (2.49) Estêvão Bettencourt 5044
#1330 Julho 2005, 15 [517, julho 2005, macumba, demônio, umbanda, despacho, orixás, exus]

Dissipando equívocos... O artigo procura dissipar a crença de que o demônio é o equivalente aos exus e orixás da Umbanda. Despachos e trabalhos de Umbanda não atraem o Maligno que é um ser incorpóreo, não interessado por oferendas materiais.
9 #REVISTA = 517 
jesus = 29 
código = 23 
maria = 18 
vinci = 14 
verdade = 14 
evangelho = 14 
código vinci = 11 
verdade trás = 9 
trás = 9 
madalena = 9 
PeRLivros A verdade por trás do Código Da Vinci (2.00) Estêvão Bettencourt 4043
#1331 Julho 2005, 15 [517, julho 2005, Richard Abanes, da vinci, dan brown, história, ficção]

O jornalista Richard Abanes acompanha, passo a passo, as afirmações de Dan Brown e mostra que não têm fundamento histórico. Dan Brown escreveu um romance policial, que é uma ficção baseada em premissas criadas pelo autor e não sobre dados históricos.
10 #REVISTA = 517 
humanos = 13 
humana = 6 
seres = 6 
seres humanos = 6 
ciência = 5 
embrião = 5 
somos = 5 
violência = 5 
refiro-me = 4 
pesquisa = 4 
PeRÉtica e Moral Ciência para ou contra o homem? (0.59) Estêvão Bettencourt 1192
#1332 Julho 2005, 15 [517, julho 2005, ciência, DNA, chimpanzé, Eliane Azevedo, ética, moral, embrião, ser humano]

Ao longo de sua história biológica a humanidade vem construindo a percepção de si mesma como uma espécie que se diferenciou das demais por ter sido capaz de desenvolver consciência moral. Pouco diferimos dos chimpanzés em relação à quantidade e qualidade de DNA. Não está a nível molecular a grande diferenciação que nos torna "humanos"...
11 #REVISTA = 517 
vida = 6 
deus = 6 
você = 4 
homossexual = 4 
igreja = 3 
tenho = 3 
nunca = 3 
posso = 2 
dois = 2 
realmente = 2 
PeRPrática Cristã Resposta a um amigo homossexual (0.64) Estêvão Bettencourt 1290
#1336 Julho 2005, 15 [517, julho 2005, ser feliz, homossexualismo, sexo, castidade]

"Quando mais jovem, participei muito da Igreja; atualmente estou afastado. Meu afastamento se deu quando descobri que era homossexual. Nunca fui promíscuo nem pretendo ser. Assim sou uma pessoa solitária. Porém não tenho vocação para a castidade como propõe a Igreja. Quero ter uma vida afetiva. Por que Deus me fez assim? Para me condenar à solidão. Tenho muita inveja de meus colegas de trabalho "normais", que têm suas esposas e compartilham sua vida com alguém. Já pensei muito em suicídio, mas não tenho coragem. Minha vida perdeu totalmente o sentido, estou cansado de representar o tempo todo um papel, sem nunca ser o que sou realmente. Saber que Jesus morreu na cruz por mim não muda em nada meu conflito Interior. Ele disse que veio para que todos tenham vida em abundância; por que então eu não posso ter uma vida plena, incluindo a sexualidade? Se Deus me ama, porque Ele me fez assim, impedido de ser feliz?"
12 #REVISTA = 517 
edith = 9 
papa = 5 
paulo = 5 
papa joão = 4 
joão paulo = 4 
cracóvia = 4 
judia = 4 
joão = 4 
homem = 4 
outra = 3 
PeRTestemunhos A Garota Judia e o Seminarista Polonês (1.12) Estêvão Bettencourt 2272
#1338 Julho 2005, 15 [517, julho 2005, história, nazismo, guerra, Papa João Paulo II, caridade, Polônia]

Em homenagem ao Papa João Paulo II vai, a seguir, transcrito um artigo de O ESTADO DE SÃO PAULO, edição de 7/4/05, com o título acima e a autoria de Roger Cohen do THE NEW YORK TIMES. Eis uma história de família do papa João Paulo II - um conto íntimo sobre sua humanidade.
13 #REVISTA = 517 
você = 13 
valor = 7 
pergunte = 7 
perceber valor = 7 
perceber = 7 
você perceber = 5 
tempo = 4 
saldo = 3 
cada = 3 
perdeu = 3 
PeRSabedoria Tempo (0.54)Leda Tormén 1101
#1339 Julho 2005, 15 [517, julho 2005, tempo]

Imagine que você tenha uma conta corrente e a cada manhã você acorde com um saldo de R$ 86.400,00. Só que não é permitido transferir o saldo do dia para o dia seguinte. Todas as noites o saldo é zerado, mesmo que você não tenha conseguido gastá-lo durante o dia. O que você faria?