||  Início  ->  Revista Pergunte e Responderemos

NÚMERO

-008 Março 1957 (11)
-007 Junho 1957 (8)
-006 Julho 1957 (12)
-005 Agosto 1957 (7)
-004 Setembro 1957 (9)
-003 Outubro 1957 (10)
-002 Novembro 1957 (15)
-001 Dezembro 1957 (12)
001 Janeiro 1958 (11)
002 Fevereiro 1958 (11)
003 Março 1958 (12)
004 Abril 1958 (11)
005 Maio 1958 (9)
006 Junho 1958 (10)
007 Julho 1958 (10)
008 Agosto 1958 (9)
009 Setembro 1958 (10)
010 Outubro 1958 (10)
011 Novembro 1958 (9)
012 Dezembro 1958 (12)
013 Janeiro 1959 (7)
014 Fevereiro 1959 (8)
015 Março 1959 (7)
016 Abril 1959 (7)
017 Maio 1959 (9)
018 Junho 1959 (7)
019 Julho 1959 (8)
020 Agosto 1959 (6)
021 Setembro 1959 (7)
022 Outubro 1959 (5)
023 Novembro 1959 (7)
024 Dezembro 1959 (6)
025 Janeiro 1960 (6)
026 Fevereiro 1960 (7)
027 Março 1960 (6)
028 Abril 1960 (9)
029 Maio 1960 (6)
030 Junho 1960 (9)
031 Julho 1960 (8)
032 Agosto 1960 (8)
033 Setembro 1960 (7)
034 Outubro 1960 (7)
035 Novembro 1960 (7)
036 Dezembro 1960 (7)
037 Janeiro 1961 (7)
038 Fevereiro 1961 (6)
039 Março 1961 (5)
040 Abril 1961 (6)
041 Maio 1961 (5)
042 Junho 1961 (5)
043 Julho 1961 (6)
044 Agosto 1961 (5)
045 Setembro 1961 (6)
046 Outubro 1961 (7)
047 Novembro 1961 (6)
048 Dezembro 1961 (5)
049 Janeiro 1962 (7)
050 Fevereiro 1962 (5)
051 Março 1962 (5)
052 Abril 1962 (6)
053 Maio 1962 (7)
054 Junho 1962 (5)
055 Julho 1962 (6)
056 Agosto 1962 (7)
057 Setembro 1962 (7)
058 Outubro 1962 (6)
059 Novembro 1962 (5)
060 Dezembro 1962 (8)
061 Janeiro 1963 (6)
062 Fevereiro 1963 (5)
063 Março 1963 (5)
064 Abril 1963 (5)
065 Maio 1963 (6)
066 Junho 1963 (5)
240 Dezembro 1979 (1)
344 Janeiro 1991 (8)
345 Fevereiro 1991 (8)
346 Março 1991 (9)
347 Abril 1991 (8)
348 Maio 1991 (6)
349 Junho 1991 (9)
350 Julho 1991 (5)
351 Agosto 1991 (8)
352 Setembro 1991 (7)
356 Janeiro 1992 (9)
360 Maio 1992 (1)
368 Janeiro 1993 (7)
369 Fevereiro 1993 (5)
370 Março 1993 (5)
371 Abril 1993 (6)
373 Junho 1993 (9)
374 Julho 1993 (8)
377 Outubro 1993 (11)
379 Dezembro 1993 (7)
380 Janeiro 1994 (7)
381 Fevereiro 1994 (7)
382 Março 1994 (7)
383 Abril 1994 (6)
385 Junho 1994 (6)
386 Julho 1994 (10)
387 Agosto 1994 (7)
388 Setembro 1994 (10)
389 Outubro 1994 (10)
390 Novembro 1994 (6)
391 Dezembro 1994 (8)
392 Janeiro 1995 (6)
393 Fevereiro 1995 (7)
395 Abril 1995 (10)
397 Junho 1995 (6)
398 Julho 1995 (10)
399 Agosto 1995 (7)
400 Setembro 1995 (8)
401 Outubro 1995 (11)
402 Novembro 1995 (8)
403 Dezembro 1995 (8)
449 Outubro 1999 (1)
457 Junho 2000 (8)
468 Maio 2001 (8)
491 Maio 2003 (14)
500 Fevereiro 2004 (9)
501 Março 2004 (8)
504 Junho 2004 (15)
505 Julho 2004 (7)
506 Agosto 2004 (15)
507 Setembro 2004 (7)
508 Outubro 2004 (12)
509 Novembro 2004 (12)
510 Dezembro 2004 (9)
513 Março 2005 (10)
516 Junho 2005 (12)
517 Julho 2005 (13)
518 Agosto 2005 (20)
519 Setembro 2005 (12)
520 Outubro 2005 (13)
521 Novembro 2005 (12)
522 Dezembro 2005 (12)
523 Janeiro 2006 (11)
524 Fevereiro 2006 (11)
525 Março 2006 (14)
526 Abril 2006 (12)
527 Maio 2006 (13)
528 Junho 2006 (15)
529 Julho 2006 (14)
530 Agosto 2006 (15)
531 Setembro 2006 (13)
532 Outubro 2006 (14)
537 Março 2007 (13)
539 Maio 2007 (14)
543 Setembro 2007 (18)
545 Novembro 2007 (12)
547 Janeiro 2008 (14)
548 Fevereiro 2008 (15)
549 Março 2008 (13)
551 Maio 2008 (14)
554 Agosto 2008 (15)
555 Setembro 2008 (13)
 
...CAPA*TÓPASSUNTOTÍTULO (hits/dia)AUTORHITS PDF
1 #REVISTA = 504 
videira = 12 
deus = 5 
cristo = 4 
frutos = 3 
uvas = 3 
cristão = 3 
israel = 3 
senhor = 3 
nele = 2 
senhor deus = 2 
PeRReflexões Eu sou a videira, verdadeira (0.69) Estêvão Bettencourt 1448
#1101 Junho 2004, 15 [504, junho 2004, videira, Israel, corpo de Cristo]

Eis o mistério da Encarnação: Deus se faz videira, e videira indefectível. Nessas condições, merece para todas as criaturas humanas a inserção em seu tronco a fim de que possam produzir fruto múltiplo.
2 #REVISTA = 504 
coptas = 20 
egito = 19 
século = 16 
copta = 12 
alexandria = 12 
católica = 11 
patriarca = 9 
igreja = 8 
cristãos = 7 
monofisismo = 6 
PeRO Que É? Os Coptas, quem são? (1.58) Estêvão Bettencourt 3307
#1102 Junho 2004, 15 [504, junho 2004, coptas, Egito, Abissínia, monofisismo, Alexandria, Constantinopla, Etiópia]

Os coptas são os cristãos do Egito, que no século V adotaram o monofisismo condenado pelo Concílio de Calcedônia (451). No século XVI uma parte da população copta reuniu-se à Igreja Católica, reconhecendo o primado de Pedro. Os dissidentes já não professam a heresia que lhes ocasionou a origem. Estenderam sua pregação até a Etiópia, onde também existem comunidades coptas.
3 #REVISTA = 504 
ordem = 21 
cavaleiros = 15 
templários = 15 
cavaleiro = 8 
jerusalém = 6 
santa = 6 
grão-mestre = 6 
papa = 6 
terra = 5 
bens = 5 
PeRHistória Os Templários (0.67) Estêvão Bettencourt 1403
#1103 Junho 2004, 15 [504, junho 2004, cavaleiros, cruzadas, templários, Jerusalém, terra santa, palestina, peregrinos]

A Ordem dos Cavaleiros Templários foi fundada em 1118 a fim de proteger os cristãos peregrinos na Terra Santa. Desempenharam papel heróico na defesa dos redutos cristãos na Palestina, o que lhes valeu a estima dos nobres e do povo, os quais lhes fizeram muitas doações. Quando em 1291 os cristãos ocidentais deixaram a Terra Santa, onde haviam constituído o Reino Latino de Jerusalém, os templários perderam sua razão de ser e se estabeleceram no Ocidente como ricos proprietários e financistas, o que suscitou a cobiça de quem queria apoderar-se de seus bens. Foram acusados de graves faltas. Apesar dos protestos de Jacques DeMolay, Grão-Mestre da Ordem, foram condenados e a Ordem extinta em 1312 pelo Papa Clemente V.
4 #REVISTA = 504 
demolay = 45 
ordem = 35 
maçonaria = 25 
ordem demolay = 24 
igreja = 15 
escola = 11 
templários = 10 
frank = 10 
jovens = 9 
maçons = 8 
PeRO Que É? Ordem DeMoley (0.69) Estêvão Bettencourt 1449
#1112 Junho 2004, 15 [504, junho 2004, maçonaria, demoley, Shermann Land, juventude]

A Ordem DeMolay deriva seu nome de Grão-mestre Jacques de Molay, da Ordem dos Templários, vítima de difamação e morto em 1314. Tal Ordem reunia Cavaleiros destinados a proteger os peregrinos que visitavam a Terra Santa; o nome de Templários lhes foi dado pelo fato de terem sua sede principal junto à Esplanada do antigo Templo de Salomão em Jerusalém. O mestre maçom Frank Shermann Land fundou em 1919 uma sociedade, a "Ordem DeMolay", destinada a formar jovens de 13 a 21 anos no exercício de sete virtudes principais aptas a torná-los cidadãos úteis à sociedade. Não é dito como é ministrada a formação aos membros da Ordem. Tal iniciativa é incompatível com os princípios do Cristianismo (várias confissões cristãs não católicas condenaram a Maçonaria). Uma das razões é o caráter relativista que a Maçonaria assume frente a Deus e à verdade.
5 #REVISTA = 504 
jesus = 20 
possessão = 16 
diabólica = 11 
autor = 11 
possessão diabólica = 10 
prática = 10 
igreja = 10 
exorcismo = 9 
rabuske = 9 
demônio = 9 
PeRLivros Jesus Exorcista, por Irineu Rabuske (1.22) Estêvão Bettencourt 2547
#1113 Junho 2004, 15 [504, junho 2004, Irineu Rabuske, exorcismo, demônio, parapsicologia, sociologia, possessão]

O autor tem em vista atualizar a prática exorcística de Jesus. Em nossos dias a possessão diabólica está "secularizada"; ela consiste na opressão das classes mais humildes no tocante à saúde pública, à distribuição de rendas, à reforma agrária... O exorcismo há de consistir em uma renovação da sociedade sociopolítica e econômica. O autor não nega explicitamente a existência do demônio e a possessão diabólica, pois reconhece que a Igreja as professa, mas "privilegia" a nova interpretação. O livro assim concebido fica sempre ambíguo.
6 #REVISTA = 504 
masturbação = 27 
prazer = 13 
prática = 13 
hábito = 9 
grave = 7 
marcos nogueira = 7 
marcos = 7 
nogueira = 7 
moral = 6 
veja = 5 
PeRPrática Cristã O Prazer em suas Mãos (0.73) Estêvão Bettencourt 1517
#1115 Junho 2004, 15 [504, junho 2004, masturbação, sexo, psicologia, vício, moral, super interessante]

Volta à baila a tese de que a masturbação é saudável e necessária ao desenvolvimento da personalidade. Tal proposição é contraditada não somente por moralistas, mas também por médicos e psicólogos: Aceitar o hábito da masturbação é sujeitar-se a dependência e correr o risco do ensimesmamento.
7 #REVISTA = 504 
verdade = 17 
cético = 8 
professor = 7 
ceticismo = 5 
engano = 5 
existe = 5 
afirmar = 5 
existência = 4 
nada = 4 
contradição = 4 
PeRFilosofia Conhecemos Realmente a Verdade? (0.89) Estêvão Bettencourt 1863
#1116 Junho 2004, 15 [504, junho 2004, verdade, ceticismo, inteligência, intelecto, conhecimento, santo agostinho]

O ceticismo alega que não conhecemos a verdade. Cai, porém, em contradição, pois afirma ser verdade que não conhecemos a verdade. A rigor, o cético não pode afirmar nem mesmo o seu ceticismo. - O intelecto humano só tem razão de ser se é capaz de apreender a verdade; corrigindo seus erros, chega progressivamente ao conhecimento da verdade.
8 #REVISTA = 504 
congregação = 16 
santo = 13 
santo ofício = 12 
ofício = 12 
papa = 10 
paulo = 5 
doutrina = 5 
livros = 4 
defender = 4 
constituição = 4 
PeRO Que É? O Santo Ofício (0.74) Estêvão Bettencourt 1542
#1117 Junho 2004, 15 [504, junho 2004, santo ofício, Vaticano, doutrina, fé]

O Santo Ofício é um Dicastério (Ministério) da Igreja fundado em 21/7/1541 para coibir o avanço de teses protestantes na Itália. No decorrer dos tempos foi remodelado. Atualmente tem o nome de Congregação para a Doutrina da Fé, cujos procedimentos são assaz diferentes dos do Santo Ofício de outrora. Proporemos as origens e traços históricos do chamado ‘Santo Ofício’...
9 #REVISTA = 504 
livros = 15 
index = 12 
catálogo = 11 
século = 8 
obras = 7 
igreja = 6 
papa = 6 
muratori = 5 
proibidos = 5 
livros proibidos = 5 
PeRHistória O catálogo dos livros proibidos (0.98) Estêvão Bettencourt 2044
#1118 Junho 2004, 15 [504, junho 2004, livros, imprensa, catálogo]

Desde remotas épocas existiram na Igreja Papas e Bispos que chamaram a atenção dos fiéis para a leitura de certas obras como sendo nocivas à Fé e à Moral dos cristãos. A invenção da imprensa (séc. XV) e o surto do Protestantismo (século XVI) fizeram que a vigilância se tornasse mais assídua. O século XIX, com suas correntes filosóficas materialistas, provocou a intervenção frequente dos Papas. Todavia em 1965 Paulo VI, tendo em vista a orientação emanada do Concílio do Vaticano II, houve por bem extinguir o Index, transferindo para o foro da consciência a obrigação que incumbe a todo fiel católico, de não expor sua fé à agressividade de más leituras.
10 #REVISTA = 504 
igreja = 16 
papa = 9 
água = 8 
benta = 8 
jesus = 6 
água benta = 6 
católica = 6 
igreja católica = 5 
crucificado = 4 
contra = 4 
PeRApologética Quando o tiro sai pela culatra (0.71) Estêvão Bettencourt 1481
#1119 Junho 2004, 15 [504, junho 2004, protestantismo, acusações, Igreja, infalibilidade, impecabilidade, água benta, crucifixo, cruz]

O artigo considera algumas objeções levantadas contra a igreja Católica, mostrando quão inconsistentes são. Muitas pessoas enviam a PR panfletos ou impressos vários que atacam a Igreja, e solicitam explicações a respeito. Não nos furtamos a esta tarefa, que toca de perto a fé do povo de Deus. Eis por que passamos a folhear o jornal "ÁGUA VIVA", da Igreja homônima, edição de janeiro 2004, em que se lêem as seguintes afirmações...
11 #REVISTA = 504 
milagre = 16 
deus = 14 
fato = 8 
milagres = 7 
homens = 6 
leis = 6 
jesus = 6 
autor = 6 
determinismo = 6 
causa = 5 
PeRTeologia Pode-se crer em milagres? (0.75) Estêvão Bettencourt 1573
#1120 Junho 2004, 15 [504, junho 2004, milagres, Klaus Berger, sinal, plano físico, plano metafísico]

O autor considera as várias objeções que se levantam contra a possibilidade de milagres; rejeita o que ele chama "a interpretação fundamentalista ou literal" dos respectivos relatos evangélicos e adota o conceito de "vivência mítico-mística", ou seja, o milagre como experiência subjetiva da ação de Deus. Na verdade, a Igreja não faz questão de proclamar milagres, mas ela verifica que ocorrem fatos reais e objetivos que a ciência não explica, produzidos como resposta de Deus às preces de seus fiéis.
12 #REVISTA = 504 
você = 24 
edel = 18 
vida = 17 
deus = 16 
quanto = 8 
fazer = 7 
cristo = 6 
existe = 6 
pecado = 6 
agora = 5 
PeRTestemunhos Fala um ator católico (0.65) Estêvão Bettencourt 1349
#1121 Junho 2004, 15 [504, junho 2004, Jim Caviezel, testemunho, oração]

Vai, a seguir, publicada uma entrevista concedida por Jim Caviezel, ator católico de Hollywood, a Edel M. Cech. Fala do seu firme propósito de fidelidade aos princípios cristãos num ambiente que atrai em direções muito diversas, Jim sente-se chamado a dar testemunho de fé a quantos o acompanham em sua carreira.
13 #REVISTA = 504 
jesus = 15 
estação = 14 
estação jesus = 12 
cruz = 4 
sacra = 3 
estações = 3 
paulo = 2 
joão = 2 
pregado = 2 
pregado cruz = 2 
PeRPrática Cristã As 14 estações da Via Sacra (7.07) Estêvão Bettencourt 14767
#1122 Junho 2004, 15 [504, junho 2004, via sacra, Papa João Paulo II, calvário, cruz, crucifixão, meditação]

A Via Sacra é o exercício de piedade que procura, pela meditação, acompanhar Jesus na sua penosa caminhada até o Calvário. Consta atualmente de quatorze estações inspiradas pelo texto do Evangelho e por apócrifos (as três quedas de Jesus, o véu de Verônica...)
14 #REVISTA = 504 
papa = 7 
roma = 6 
século = 6 
influente = 4 
bispos = 4 
europeu = 4 
bispo = 4 
anos = 4 
apelativo = 4 
bispo roma = 4 
PeRNotícias O europeu mais influente (0.73) Estêvão Bettencourt 1532
#1123 Junho 2004, 15 [504, junho 2004, Papa João Paulo II, papa, bispo de Roma]

O Papa João Paulo II foi indicado como o europeu mais influente dos últimos 25 anos. Segundo uma pesquisa realizada pelo jornal britânico Financial Times, para festejar o 25° aniversário da edição européia. Depois do Papa aparecem o último presidente da União Soviética, Mikhail Gorbatchov e a ex-primeira-ministra britânica, Margaret Thatcher...
15 #REVISTA = 504 
grave = 5 
pecado = 5 
confessar = 3 
comungar = 3 
pecado grave = 3 
antes = 3 
condições = 2 
fazer = 2 
desse = 2 
mortal = 2 
PeRPrática Cristã Para receber a sagrada Eucaristia (0.96) Estêvão Bettencourt 2006
#1124 Junho 2004, 15 [504, junho 2004, Eucaristia, comunhão, pecado, estado de graça, pecado mortal, pecado leve, confissão]

Para receber dignamente a Sagrada Eucaristia, requer-se o estado de graça ou a ausência de pecado grave ou mortal. E que é pecado grave ou mortal?