||  Início  ->  Revista Pergunte e Responderemos

NÚMERO

-008 Março 1957 (11)
-007 Junho 1957 (8)
-006 Julho 1957 (12)
-005 Agosto 1957 (7)
-004 Setembro 1957 (9)
-003 Outubro 1957 (10)
-002 Novembro 1957 (15)
-001 Dezembro 1957 (12)
001 Janeiro 1958 (11)
002 Fevereiro 1958 (11)
003 Março 1958 (12)
004 Abril 1958 (11)
005 Maio 1958 (9)
006 Junho 1958 (10)
007 Julho 1958 (10)
008 Agosto 1958 (9)
009 Setembro 1958 (10)
010 Outubro 1958 (10)
011 Novembro 1958 (9)
012 Dezembro 1958 (12)
013 Janeiro 1959 (7)
014 Fevereiro 1959 (8)
015 Março 1959 (7)
016 Abril 1959 (7)
017 Maio 1959 (9)
018 Junho 1959 (7)
019 Julho 1959 (8)
020 Agosto 1959 (6)
021 Setembro 1959 (7)
022 Outubro 1959 (5)
023 Novembro 1959 (7)
024 Dezembro 1959 (6)
025 Janeiro 1960 (6)
026 Fevereiro 1960 (7)
027 Março 1960 (6)
028 Abril 1960 (9)
029 Maio 1960 (6)
030 Junho 1960 (9)
031 Julho 1960 (8)
032 Agosto 1960 (8)
033 Setembro 1960 (7)
034 Outubro 1960 (7)
035 Novembro 1960 (7)
036 Dezembro 1960 (7)
037 Janeiro 1961 (7)
038 Fevereiro 1961 (6)
039 Março 1961 (5)
040 Abril 1961 (6)
041 Maio 1961 (5)
042 Junho 1961 (5)
043 Julho 1961 (6)
044 Agosto 1961 (5)
045 Setembro 1961 (6)
046 Outubro 1961 (7)
047 Novembro 1961 (6)
048 Dezembro 1961 (5)
049 Janeiro 1962 (7)
050 Fevereiro 1962 (5)
051 Março 1962 (5)
052 Abril 1962 (6)
053 Maio 1962 (7)
054 Junho 1962 (5)
055 Julho 1962 (6)
056 Agosto 1962 (7)
057 Setembro 1962 (7)
058 Outubro 1962 (6)
059 Novembro 1962 (5)
060 Dezembro 1962 (8)
061 Janeiro 1963 (6)
062 Fevereiro 1963 (5)
063 Março 1963 (5)
064 Abril 1963 (5)
065 Maio 1963 (6)
066 Junho 1963 (5)
240 Dezembro 1979 (1)
344 Janeiro 1991 (8)
345 Fevereiro 1991 (8)
346 Março 1991 (9)
347 Abril 1991 (8)
348 Maio 1991 (6)
349 Junho 1991 (9)
350 Julho 1991 (5)
351 Agosto 1991 (8)
352 Setembro 1991 (7)
356 Janeiro 1992 (9)
360 Maio 1992 (1)
368 Janeiro 1993 (7)
369 Fevereiro 1993 (5)
370 Março 1993 (5)
371 Abril 1993 (6)
373 Junho 1993 (9)
374 Julho 1993 (8)
377 Outubro 1993 (11)
379 Dezembro 1993 (7)
380 Janeiro 1994 (7)
381 Fevereiro 1994 (7)
382 Março 1994 (7)
383 Abril 1994 (6)
385 Junho 1994 (6)
386 Julho 1994 (10)
387 Agosto 1994 (7)
388 Setembro 1994 (10)
389 Outubro 1994 (10)
390 Novembro 1994 (6)
391 Dezembro 1994 (8)
392 Janeiro 1995 (6)
393 Fevereiro 1995 (7)
395 Abril 1995 (10)
397 Junho 1995 (6)
398 Julho 1995 (10)
399 Agosto 1995 (7)
400 Setembro 1995 (8)
401 Outubro 1995 (11)
402 Novembro 1995 (8)
403 Dezembro 1995 (8)
449 Outubro 1999 (1)
457 Junho 2000 (8)
468 Maio 2001 (8)
491 Maio 2003 (14)
500 Fevereiro 2004 (9)
501 Março 2004 (8)
504 Junho 2004 (15)
505 Julho 2004 (7)
506 Agosto 2004 (15)
507 Setembro 2004 (7)
508 Outubro 2004 (12)
509 Novembro 2004 (12)
510 Dezembro 2004 (9)
513 Março 2005 (10)
516 Junho 2005 (12)
517 Julho 2005 (13)
518 Agosto 2005 (20)
519 Setembro 2005 (12)
520 Outubro 2005 (13)
521 Novembro 2005 (12)
522 Dezembro 2005 (12)
523 Janeiro 2006 (11)
524 Fevereiro 2006 (11)
525 Março 2006 (14)
526 Abril 2006 (12)
527 Maio 2006 (13)
528 Junho 2006 (15)
529 Julho 2006 (14)
530 Agosto 2006 (15)
531 Setembro 2006 (13)
532 Outubro 2006 (14)
537 Março 2007 (13)
539 Maio 2007 (14)
543 Setembro 2007 (18)
545 Novembro 2007 (12)
547 Janeiro 2008 (14)
548 Fevereiro 2008 (15)
549 Março 2008 (13)
551 Maio 2008 (14)
554 Agosto 2008 (15)
555 Setembro 2008 (13)
 
...CAPA*TÓPASSUNTOTÍTULO (hits/dia)AUTORHITS PDF
1 #REVISTA = 393 
causa = 6 
mártires = 6 
cardeal = 4 
cristo = 4 
vida = 4 
morreram = 3 
durante = 2 
católicos = 2 
fiéis = 2 
anos = 2 
PeRMundo Atual São uma Legião de Mártires (0.71) Estêvão Bettencourt 1561
#840 Fevereiro 1995, 15 [393, fevereiro 1995, mártires, Igreja, santos]

Notícias provenientes da Europa nos dizem que mais e mais se vai tomando conhecimento do grande número de fiéis católicos — clérigos e leigos — que morreram por causa da sua fé durante os anos de regime comunista; suportaram cárceres (por vezes, cela solitária) ou trabalhos forçados..., que terminaram pelo desaparecimento ou pela deterioração física ou mental desses irmãos. Precisamente nos países em que o Catolicismo é minoritário, como Romênia e Bulgária, vêm à tona os nomes de grandes heróis; os Bispos da Romênia pediram à Santa Sé "que sejam acelerados os processos de canonização das testemunhas da fé que deram a vida por Cristo e pela Igreja durante os quarenta anos de perseguição".
2 #REVISTA = 393 
homem = 55 
deus = 44 
vida = 22 
mulher = 20 
anos = 19 
origem = 16 
natureza = 11 
evolução = 11 
matéria = 10 
hoje = 9 
PeRCiência e Fé Uma Nova Luz na Viagem do Homem (0.68) Estêvão Bettencourt 1494
#849 Fevereiro 1995, 15 [393, fevereiro 1995, evolução, revista Veja, ciência, criação, Charles Darwin, Einstein, Plank, Fleming]

A revista VEJA, edição de 28/9/94, pp. 86-92, publicou um artigo sobre fósseis, inclusive sobre o mais recentemente descoberto na Etiópia, o Australopitheramidus. O articulista não perde a ocasião de escarnecer sutilmente a mensagem bíblica, como se estivesse superada. — A propósito é de notar que a Bíblia não pretende descrever a fenomenologia da origem do mundo e do homem, mas tem por finalidade indicar ao homem o sentido da vida, do trabalho, do matrimônio, da morte, e o seu papel frente às demais criaturas. Em consequência, não há conflito entre o texto sagrado e as proposições dos cientistas. Estes, aliás, frequentemente confessam crer em Deus precisamente por causa dos resultados de suas pesquisas. Quanto à idade do gênero humano, não pode ser calculada a partir da "longevidade" dos Patriarcas bíblicos, pois esta é simbólica, indicando venerabilidade e respeitabilidade.
3 #REVISTA = 393 
homem = 53 
macaco = 20 
humano = 18 
animais = 17 
animal = 14 
criança = 12 
consciência = 11 
religião = 11 
experiência = 11 
senso = 8 
PeRCiência e Fé Homem é macaco aperfeiçoado? (0.87) Estêvão Bettencourt 1908
#850 Fevereiro 1995, 15 [393, fevereiro 1995, macaco, homem, símios, Charles Darwin, matéria, universal, abstrato]

Há quem diga que o homem não é mais do que um macaco aperfeiçoado; nada de específico e próprio haveria no homem. Eis, porém, que a observação atenta das manifestações do ser humano e do macaco dá a ver que no homem existe a faculdade de conceber o universo abstrato, formando definições, construindo linguagem sonora lógica, permitindo cálculos e progressos de civilização, cultivando o senso ético e a Religião — resultados estes que o macaco não consegue alcançar. A razão destas manifestações é a existência, no homem, de um princípio vital ou alma espiritual que transcende a matéria e por isto se exprime de maneiras que ultrapassam as capacidades da matéria.
4 #REVISTA = 393 
igreja = 53 
deus = 28 
autor = 25 
jesus = 23 
cristo = 23 
livro = 19 
homem = 16 
juanes = 14 
autoridade = 11 
obra = 11 
PeRApologética Documentos Confidenciais de João Paulo III (1.01) Estêvão Bettencourt 2207
#851 Fevereiro 1995, 15 [393, fevereiro 1995, lei natural, Eucaristia, Igreja, autoridade, moral católica, paganismo, protestantismo]

O livro de Francisco de Juanes vem a ser uma crítica acerba à Igreja, com sua história, sua fé, sua estrutura hierárquica... Diversos pontos da imagem da Igreja são censurados em termos passionais, imprecisos e sarcásticos; algumas acusações se baseiam em falsos pressupostos e são mal formuladas. Muito estranha, entre outras, é a noção de pecado proposta pelo autor: seria não empregar os meios para ser feliz (em termos materiais e até sensuais); "quem não é feliz, está, de alguma maneira, desobedecendo a Deus" (p. 196). Daí a rejeição de toda prática de mortificação e a liberdade para procurar o prazer do sexo nas relações pré-matrimoniais e no homossexualismo...
5 #REVISTA = 393 
franz = 16 
reinisch = 14 
juramento = 10 
vida = 9 
morte = 8 
consciência = 7 
fidelidade = 7 
católico = 7 
franz reinisch = 6 
igreja = 6 
PeRTestemunhos O Sim e o Sangue (0.79) Estêvão Bettencourt 1718
#852 Fevereiro 1995, 15 [393, fevereiro 1995, mártir, nazismo, fidelidade]

O Pe. Franz Reinisch (1903-1942), palotino, é o "mártir da consciência". Intimado a prestar juramento de fidelidade a Adolf Hitler, recusou-se peremptoriamente a fazê-lo, embora o quisessem persuadir a tanto os seus confrades. Na verdade, tal juramento se confundia com o da fidelidade à pátria, que, em guerra, apelava para a colaboração dos seus filhos. O Pe. Reinisch, após muito hesitar e rezar, julgou que não podia servir à causa de Hitler e, por isto, foi decapitado heroicamente. Levara uma juventude empolgada pelo namoro, a música e a dança, mas a devoção à Virgem Santíssima, invocada sob o título de "Mãe três vezes admirável" em Schoenstatt (Alemanha) o fortaleceu inquebrantavelmente. Atualmente está em curso o seu processo de Beatificação.
6 #REVISTA = 393 
inferno = 18 
maria = 11 
jesus = 11 
deus = 9 
maria valtorta = 7 
livro = 7 
valtorta = 7 
judas = 7 
cristo = 7 
texto = 7 
PeRSantos e Místicos As Revelações a Maria Valtorta (3.71) Estêvão Bettencourt 8102
#854 Fevereiro 1995, 15 [393, fevereiro 1995, Judas, inferno]

O livro "Sabedoria Divina", portador de revelações que Jesus teria feito a Maria Valtorta, não parece corresponder aos ensinamentos e ao linguajar de Jesus conhecidos através dos Evangelhos. O texto em pauta é vasado em estilo passional e pretende revelar minúcias para as quais não há fundamento sólido. Um dos pontos mais vulneráveis do livro é a afirmação de que Judas está certamente no inferno; ora a Teologia é propensa a crer que Deus não nos quis revelar a sorte póstuma de nenhuma criatura humana. O inferno existe, sim, mas nem o texto de Mt 26,24; Mc 14,21 implica na revelação de que Judas foi condenado ao inferno. Nenhuma criatura pode perceber o que se dá no íntimo da consciência do mais empedernido suicida antes de exalar o último suspiro.
7 #REVISTA = 393 
santa = 9 
martin = 9 
canonização = 7 
teresa = 7 
lisieux = 6 
virtudes = 6 
casal = 6 
família = 6 
jesus = 5 
zélia = 5 
PeRSantos e Místicos Os pais de Santa Teresinha de Lisieux (1.41) Estêvão Bettencourt 3078
#855 Fevereiro 1995, 15 [393, fevereiro 1995, beatificação, veneráveis]

Aos 26 de março de 1994 a Congregação para as Causas dos Santos (Roma) reconheceu, após minucioso exame e o parecer positivo de teólogos, a heroicidade das virtudes dos pais de Santa Teresinha de Lisieux — o Sr. Luís Martin e a Sra. Zélia Guérin. Em conseqüência, podem ser tidos como "Veneráveis" na linguagem da Igreja — o que vem a ser o primeiro passo para a Beatificação e a posterior Canonização desse casal admirável, modelo para os casais de nossos dias.