||  Início  ->  Revista Pergunte e Responderemos

NÚMERO

-008 Março de 1957 (11)
-007 Junho de 1957 (8)
-006 Julho de 1957 (12)
-005 Agosto de 1957 (7)
-004 Setembro de 1957 (9)
-003 Outubro de 1957 (10)
-002 Novembro de 1957 (15)
-001 Dezembro de 1957 (12)
001 Janeiro de 1958 (11)
002 Fevereiro de 1958 (11)
003 Março de 1958 (12)
004 Abril de 1958 (11)
005 Maio de 1958 (9)
006 Junho de 1958 (10)
007 Julho de 1958 (10)
008 Agosto de 1958 (9)
009 Setembro de 1958 (10)
010 Outubro de 1958 (10)
011 Novembro de 1958 (9)
012 Dezembro de 1958 (12)
013 Janeiro de 1959 (7)
014 Fevereiro de 1959 (8)
015 Março de 1959 (7)
016 Abril de 1959 (7)
017 Maio de 1959 (9)
018 Junho de 1959 (7)
019 Julho de 1959 (8)
020 Agosto de 1959 (6)
021 Setembro de 1959 (7)
022 Outubro de 1959 (5)
023 Novembro de 1959 (7)
024 Dezembro de 1959 (6)
025 Janeiro de 1960 (6)
026 Fevereiro de 1960 (7)
027 Março de 1960 (6)
028 Abril de 1960 (9)
029 Maio de 1960 (6)
030 Junho de 1960 (9)
031 Julho de 1960 (8)
032 Agosto de 1960 (8)
033 Setembro de 1960 (7)
034 Outubro de 1960 (7)
035 Novembro de 1960 (7)
036 Dezembro de 1960 (7)
037 Janeiro de 1961 (7)
038 Fevereiro de 1961 (6)
039 Março de 1961 (5)
040 Abril de 1961 (6)
041 Maio de 1961 (5)
042 Junho de 1961 (5)
043 Julho de 1961 (6)
044 Agosto de 1961 (5)
045 Setembro de 1961 (6)
046 Outubro de 1961 (7)
047 Novembro de 1961 (6)
048 Dezembro de 1961 (5)
049 Janeiro de 1962 (7)
050 Fevereiro de 1962 (5)
051 Março de 1962 (5)
052 Abril de 1962 (6)
053 Maio de 1962 (7)
054 Junho de 1962 (5)
055 Julho de 1962 (6)
056 Agosto de 1962 (7)
057 Setembro de 1962 (7)
058 Outubro de 1962 (6)
059 Novembro de 1962 (5)
060 Dezembro de 1962 (8)
061 Janeiro de 1963 (6)
062 Fevereiro de 1963 (5)
063 Março de 1963 (5)
064 Abril de 1963 (5)
065 Maio de 1963 (6)
066 Junho de 1963 (5)
240 Dezembro de 1979 (1)
344 Janeiro de 1991 (8)
345 Fevereiro de 1991 (8)
346 Março de 1991 (9)
347 Abril de 1991 (8)
348 Maio de 1991 (6)
349 Junho de 1991 (9)
350 Julho de 1991 (5)
351 Agosto de 1991 (8)
352 Setembro de 1991 (7)
356 Janeiro de 1992 (9)
360 Maio de 1992 (1)
368 Janeiro de 1993 (7)
369 Fevereiro de 1993 (5)
370 Março de 1993 (5)
371 Abril de 1993 (6)
373 Junho de 1993 (9)
374 Julho de 1993 (8)
377 Outubro de 1993 (11)
379 Dezembro de 1993 (7)
380 Janeiro de 1994 (7)
381 Fevereiro de 1994 (7)
382 Março de 1994 (7)
383 Abril de 1994 (6)
385 Junho de 1994 (6)
386 Julho de 1994 (10)
387 Agosto de 1994 (7)
388 Setembro de 1994 (10)
389 Outubro de 1994 (10)
390 Novembro de 1994 (6)
391 Dezembro de 1994 (8)
392 Janeiro de 1995 (6)
393 Fevereiro de 1995 (7)
395 Abril de 1995 (10)
397 Junho de 1995 (6)
398 Julho de 1995 (10)
399 Agosto de 1995 (7)
400 Setembro de 1995 (8)
401 Outubro de 1995 (11)
402 Novembro de 1995 (8)
403 Dezembro de 1995 (8)
449 Outubro de 1999 (1)
457 Junho de 2000 (8)
468 Maio de 2001 (8)
491 Maio de 2003 (14)
500 Fevereiro de 2004 (9)
501 Março de 2004 (8)
504 Junho de 2004 (15)
505 Julho de 2004 (7)
506 Agosto de 2004 (15)
507 Setembro de 2004 (7)
508 Outubro de 2004 (12)
509 Novembro de 2004 (12)
510 Dezembro de 2004 (9)
513 Março de 2005 (10)
516 Junho de 2005 (12)
517 Julho de 2005 (13)
518 Agosto de 2005 (20)
519 Setembro de 2005 (12)
520 Outubro de 2005 (13)
521 Novembro de 2005 (12)
522 Dezembro de 2005 (12)
523 Janeiro de 2006 (11)
524 Fevereiro de 2006 (11)
525 Março de 2006 (14)
526 Abril de 2006 (12)
527 Maio de 2006 (13)
528 Junho de 2006 (15)
529 Julho de 2006 (14)
530 Agosto de 2006 (15)
531 Setembro de 2006 (13)
532 Outubro de 2006 (14)
537 Março de 2007 (13)
539 Maio de 2007 (14)
543 Setembro de 2007 (18)
545 Novembro de 2007 (12)
547 Janeiro de 2008 (14)
548 Fevereiro de 2008 (15)
549 Março de 2008 (13)
551 Maio de 2008 (14)
554 Agosto de 2008 (15)
555 Setembro de 2008 (13)
 
...CAPA*TÓPASSUNTOTÍTULO (hits/dia)AUTORHITS PDF
1 #REVISTA = 349 
graça = 4 
embora pedaços = 2 
pedaços = 2 
graças = 2 
chegar = 2 
pedaços chegar = 2 
caminhada = 2 
estatura = 2 
graça graças = 2 
caindo embora = 2 
PeRReflexões Até o Fim (0.74) Estêvão Bettencourt 1795
#644 Junho 1991, 01 [349, junho 1991, Hélder Câmara, perseverança]

"Não; não pares. É graça divina começar bem. Graça maior persistir na caminhada certa, manter o ritmo. . . Mas a graça das graças é não desistir. Podendo ou não podendo, caindo embora aos pedaços, CHEGAR ATÉ O FIM. . . ! "
2 #REVISTA = 349 
rock = 32 
música = 19 
canções = 11 
jovens = 10 
satã = 9 
inferno = 9 
música rock = 8 
grupo = 8 
disco = 7 
sociedade = 7 
PeRO Que É? Música Rock, o que é? (0.75) Estêvão Bettencourt 1824
#645 Junho 1991, 01 [349, junho 1991, rock, satanismo, satanás, suicídios]

O "Rock" não é apenas um ritmo musical, mas implica uma filosofia de vida e um mundo de paixões, com grande detrimento para a cultura, a ciência e a educação. Em conseqüência do cultivo do "rock" têm-se verificado suicídios, instigados pela letra de certas canções, e a dificuldade do jovem para estudar e se formar. Também se tem registrado a invocação de Satanás em certas peças de "Rock'", juntamente com incitação ao erotismo, ao homossexualismo e ao incesto...
3 #REVISTA = 349 
camelo = 19 
agulha = 18 
jesus = 12 
comparação = 10 
senhor = 10 
deus = 9 
homem = 8 
buraco = 8 
buraco agulha = 7 
palavras = 7 
PeREscrituras O Camelo e o Fundo da Agulha (2.03) Estêvão Bettencourt 4912
#646 Junho 1991, 01 [349, junho 1991, riqueza, linguagem, Talmud, Buraco da Agulha, kámelos, kámilos]

As palavras de Jesus que afirmam ser mais fácil um camelo passar pelo fundo de uma agulha do que um rico entrar no Reino dos céus, recorrem a uma hipérbole surpreendente. Com efeito; são muito distantes um do outro o fundo de uma agulha e um camelo. Por isto alguns autores querem atenuar a disparidade, alegando que o texto grego do Evangelho não se refere a um buraco de agulha, mas a uma corda ou a uma porta de pouca altura em Jerusalém. Tais interpretações são despropositadas, porque se pode provar, por citações várias, que, para ilustrar o impossível, os semitas se valiam do contraste entre um grande animal e um minúsculo receptáculo.
4 #REVISTA = 349 
deus = 18 
bíblia = 13 
spong = 12 
terra = 11 
texto = 9 
jesus = 8 
moisés = 8 
apóstolo = 7 
homem = 7 
história = 7 
PeRApologética O Advogado do Diabo (0.96) Estêvão Bettencourt 2336
#647 Junho 1991, 01 [349, junho 1991, John Spong, sol, dilúvio, Abraão, Jericó, Moisés, Sodoma, São Paulo]

O bispo anglicano John Shelby Spong publicou o livro Resgatando a Bíblia do Fundamentalismo, em que critica o texto sagrado por ensinar pretensas "monstruosidades científicas"; além do quê, o Apóstolo São Paulo é tido como homossexual pelo autor. — Na verdade, Spong é que comete graves erros de exegese bíblica, que desabonam por completo suas objeções; verifica-se que não tem autoridade para falar de tais assuntos, como se poderá depreender da exposição abaixo.
5 #REVISTA = 349 
mulher = 54 
homem = 44 
homem mulher = 22 
deus = 21 
teologia = 18 
feministas = 18 
feminista = 17 
sociedade = 17 
daly = 17 
natureza = 15 
PeRMundo Atual Teologia Feminista (1.36) Estêvão Bettencourt 3297
#648 Junho 1991, 01 [349, junho 1991, feminismo, sexismo, andrógino, aborto, protestantismo, marxismo, igualitarismo, mulher, libertação]

A Teologia Feminista, cultivada na Europa e nos Estados Unidos, chega a reivindicar a extinção das diferenças de trato para mulheres e homens na sociedade, tecendo teorias sobre o andrógino primitivo para justificar suas teses. Algumas de suas protagonistas desejam ainda ficar dentro do Cristianismo, propugnando, porém, total revisão das concepções "machistas" da mensagem cristã e da estrutura eclesial. Outras querem emancipar-se totalmente do Cristianismo como sendo sistema de pensamento e vivência irrecuperável; aproximam-se das correntes de defesa da natureza ou ecológicas; constituem assim o que se chama "o Eco-Feminismo", com tendências panteístas.
6 #REVISTA = 349 
jesus = 17 
corpo = 15 
sentido = 14 
cristo = 13 
sangue = 8 
palavras = 8 
tradição = 8 
1cor = 7 
testemunhas = 7 
presença = 7 
PeRApologética Isto é o Meu Corpo (1.05) Estêvão Bettencourt 2539
#649 Junho 1991, 01 [349, junho 1991, Testemunhas de Jeová, protestantismo, Eucaristia, presença, pão, vinho, Erasmo de Rotterdam]

As Testemunhas de Jeová negam a real presença de Cristo na Eucaristia, alegando que na proposição "Isto é meu corpo", o verbo "é" significa "simboliza". — Ora a propósito parece evidente que Jesus não usou de expressão ambígua na sua última ceia, quando deixava as últimas instruções aos seus apóstolos; ademais o estudo do contexto de Mt 26,26 prova que o verbo "ser", no caso, deve ser tomado no sentido próprio. Mais: a Tradição oral, a partir dos primeiros decênios do Cristianismo, abona a interpretação literal das palavras de Cristo. Querer ignorar esta Tradição, para ler a Bíblia como se não estivesse essencialmente ligada à Palavra de Deus oral (que lhe é anterior e que a acompanha), é sujeitar-se a arbitrariedades subjetivas e falsas.
7 #REVISTA = 349 
sociedade = 11 
países = 9 
anos = 9 
suécia = 9 
igreja = 8 
família = 8 
situação = 7 
filhos = 7 
nórdicos = 6 
luterana = 6 
PeRMundo Atual Escandinávia: O Bem-Estar Que Não Satisfaz (1.30) Estêvão Bettencourt 3143
#650 Junho 1991, 01 [349, janeiro 1991, paraíso, materialismo, marxismo, igualitarismo, aborto, família, suicídio, secularização]

Nestas páginas vai publicada a entrevista dada pelo Pe. Bartolome Menchén, estudioso da sociedade escandinava, sobre o "bem-estar" dos quatro países nórdicos da Europa: Dinamarca, Suécia, Noruega, Finlândia. Aponta o suicídio de crianças, o aborto em alta escala, casais que se divorciam oficialmente, mas continuam a viver conjugalmente, porque o Estado dá uma pensão aos divorciados que fiquem com os filhos; alunos mal comportados na escola, que recebem pensão do Estado para que assistam às aulas e se comportem toleravelmente; a Igreja luterana esvaziada de muitos valores de fé; e machismo, no sentido de que a emancipação da mulher significa deixar de atender ao lar e aos filhos para ir trabalhar quase compulsoriamente fora de casa, como faz o homem.
8 #REVISTA = 349 
aborto = 44 
clínicas = 14 
dólares = 14 
mulheres = 13 
você = 12 
mulher = 11 
abortos = 9 
indústria = 9 
bebê = 9 
clínica = 8 
PeRAborto Tornei-me Rica Mediante o Aborto (0.90) Estêvão Bettencourt 2192
#651 Junho 1991, 01 [349, janeiro 1991, aborto, dinheiro, exploração, mulher, clínicas, indústria do aborto]

A Sra. Carol Everett foi proprietária de duas Clínicas de Aborto nos Estados Unidos e Diretora de duas outras desde 1977 até 1983. Deixou este ramo de trabalho, porque se converteu ao Cristianismo. Entrevistada por Marta Scheiber, descreve os procedimentos dos oficiais das Clínicas de Aborto, voltados principalmente para o lucro financeiro, a ponto de iludir e manipular as suas clientes. Menciona os bárbaros métodos aplicados para eliminar as crianças, e os artifícios dirigidos às respectivas mães para que sufoquem a dor e o trauma de ter matado uma criança. Mais de uma vez Carol Everett fala da "indústria do aborto", expressão que ela justifica ao referir as estratégias utilizadas pelos profissionais para aliciar mulheres e delas extrair dinheiro.
9 #REVISTA = 347 
oração = 10 
deus = 6 
vida = 6 
gandhi = 5 
sacramento = 5 
confissão = 5 
bem-aventurados = 4 
nova = 3 
cidade nova = 3 
cristo = 3 
PeRLivros Por que Confessar-se ? (0.72) Estêvão Bettencourt 1701
#817 Junho 1991, 01 [347, abril 1991, confissão, sacramento, Gandhi, reconciliação]

Eis um livro precioso que, de maneira simples e clara, ajuda o fiel católico a procurar o sacramento da Reconciliação. O autor expõe algumas das causas pelas quais custa ao homem reconhecer seus pecados (é desagradável sentir-se faltoso, é mais fácil atribuir a causas extrínsecas os pecados do indivíduo. . .). Mostra como a noção de pecado se prende à noção de Deus, que é santo, mas também é o Pai de misericórdia. Quem compreendeu o que é o pecado, concebe o desejo de se libertar dele; por isto procura o meio eficaz para o conseguir, ou seja, o sacramento instituído pelo próprio Jesus na noite de Páscoa como fruto da sua obra redentora; cf. Jo 20, 20-23. O sacramento é necessário todas as vezes que haja uma falta grave, e é recomendável para que haja ritmo de vida espiritual sadia no cristão, independentemente de faltas graves.