MUNDO ATUAL (180)'
     ||  Início  ->  
Artigo

aumentam AS PRÁTICAS ESOTÉRICAS NA VENEZUELA

 

Cinco crianças em tratamento psicológico por terem concordado, supostamente, com o demônio, no município de Morán; quatro altares satânicos destruídos por oficiais da Polícia Nacional Bolivariana (PNB) em Sarare; e três mortes de menores sob investigação por ter jogado "The Blue Whale". Esse é o saldo deixado por ritos satânicos nos últimos quatro meses.

 

"Esta terra sempre foi receptiva à magia negra. É suficiente percorrer os negócios de El Manteco e ver como os que mais vendem são as lojas de bruxaria. Nem em Yaracuy, nem em Portuguesa, o espiritualismo se move como aqui”, confessou "Rojo", um homem que dedicou sua vida à feitiçaria.

O informante diz que as montanhas de Laredo são escolhidas por santeros de outros estados para fazer pactos com Satanás. "É muito comum encontrar altares que são abandonados porque foram usados para um ritual específico. Lara é uma terra que se presta a santeria, a qual não pode ser negada nem pelos padres nem pelos pastores evangélicos", diz ele com orgulho.

 

Martín Salas, sociólogo da Universidade Andrés Bello, compartilha a opinião do feiticeiro e disse que, em termos gerais, o país é dominado pela feitiçaria e santeria.

 “O que é ruim em outras sociedades é bom para nós. Quando se estuda os padrões de comportamento de outros países em relação à feitiçaria, percebe-se que o sujeito é tratado com muito medo e até mesmo repulsão. Existem países que isolam os praticantes da magia negra porque os consideram malignos ou diabólicos, mas na Venezuela tal não acontece. Aqui, ver uma bruxa ou santero é comum”, diz Salas.

 

O especialista explica que a feitiçaria na Venezuela está tão enraizada que a sociedade vê isso como uma coisa boa. "Quantas vezes não ouvimos dizer que há um feiticeiro que trabalha com coisas boas e está dedicado a curar pessoas. Nós distorcíamos tanto o conceito do feiticeiro, fazendo deles médicos capazes de curar o câncer”.

 

Para Salas, ter um governo que promove as tradições indígenas é um fator determinante para explicar o surgimento da magia negra.

"Avaliar os atos da santeria pode ser considerado um insulto a uma grande parte da população e é por isso que os governantes preferem ser politicamente corretos e lavar as mãos. Também ouvimos repetidas vezes como o presidente Nicolás Maduro confessou ser um crente em almas e espíritos”, diz ele.

 

Salas diz que isso não é novo desde que o governo de Rafael Caldera Venezuela foi vinculado à santeria. Na sede do Conselho para a Proteção de Crianças e Adolescentes de Iribarren (Cpnai), três casos de crianças relacionadas a atos de feitiçaria chegam mensalmente (1).

 

Os sacerdotes venezuelanos afirmam que os ritos satânicos estão se tornando mais frequentes

Uma vez a cada duas semanas, o padre Jhon Jairo García (pároco de Andrés Eloy Blanco, estado de Lara, Venezuela) recebe um caso relacionado a atos satânicos em sua igreja. A declaração é feita pelo sacerdote depois de saber que, aparentemente, cinco crianças na aldeia Maraca del Tocuyo concordaram com o diabo em troca de favores.

Um fenômeno alarmante

"A questão dos ritos satânicos é alarmante e preocupa que os casos sejam cada vez mais frequentes", disse um padre em uma conversa telefônica com La Prensa. De acordo com Osman Rojas, o padre explica que esses pactos são facilmente influenciados pela facilidade que as pessoas têm de acessar a internet e a falsa crença de que o diabo pode trazer prosperidade e felicidade também são fatores determinantes.

Outro padre católico, Carlos Arroyo, explica que nos últimos anos tem havido o fenômeno de pessoas que caem na depressão e buscam refúgio organizando missas negras (como veneração de Satanás). "Sempre que as famílias nos procuram ajuda e um estudo da pessoa é feito, uma profunda tristeza é evidente. Essas são as almas que o diabo prefere porque são pessoas entregues à dor. Infelizmente, ninguém aqui, além da Igreja, está preocupado em monitorar esses casos", diz Arroyo.

O padre diz que 40% dos pactos com o diabo são registrados depois de uma perda ou tragédia (física ou material) que leva as pessoas a buscar qualquer maneira de reconstruir suas vidas. "Fale com um santero que está começando e pergunte-lhe por que ele/ela faz isso. Na maioria das vezes, vai dizer que quer outra vida, porque sofreu uma decepção ou porque perdeu algo muito querido. Satanás busca pessoas que estão em crise”, diz o padre.

Também os pastores evangélicos

Matías Amaro, pastor evangélico, compartilha a opinião de Arroyo. Ele diz que os pactos diabólicos representam uma saída que, mais cedo ou mais tarde, acaba fazendo exame de seu pedágio nos protagonistas. "A Bíblia nos diz que no mundo teremos aflições. Mas as escrituras também nos ensinam que temos que confiar no Senhor porque Ele superou o mundo. Muitas pessoas não sabem disso e estão procurando concordar com o diabo para aliviar seus fardos sem perceber que isso é muito pior”, diz ele.

O evangélico assegura que todas as pessoas tenham demônios (ganância, ego, raiva conhecida na Igreja Católica como pecados capitais); No entanto, os problemas começam quando as pessoas se afastam do rebanho e proclamam-se o filho do diabo. "Semanalmente, vamos às comunidades e oramos. Declaramos a palavra do Senhor e proclamamos o território para Cristo. Todos os dias há uma luta contra demônios que tentam agarrar as almas que nosso Deus ganhou na cruz”, diz ele.

"A guerra espiritual sempre existiu. Infelizmente, temos governantes que não conhecem a Palavra do Senhor e permitem coisas estranhas. Vivemos em um país que foi acordado por muitas pessoas que usam santería para ganhar poder, o que é lamentável", diz Amaro.

 

Conclusão

 

Nos momentos de crises, conflitos, de tragédias, fome, perseguição, guerras e de comoção social, o espaço está totalmente aberto para ser ocupado pelos charlatões, vigaristas, videntes, bruxos, sacerdotes satânicos, falsos profetas, líderes religiosos oportunistas e mestres do esoterismo capitalista. Na dor, no sofrimento, no desemprego, na doença, na separação e na perda do ente querido a pessoa fica por demais vulnerável a cair no golpe religioso, na promessa de melhorar, sair do desespero, encontrar consolo e a pessoa amada, ser curado, se libertar da opressão e tomar posse da prosperidade via trabalhos ritualísticos pagos nos lugares de cultos e de centros espiritualistas. O medo, a boçalidade e a falta ortodoxa da doutrina cristã proporcionam a muitos serem enganados, perturbados e outros que perdem a vida. Os danos são enormes para o cidadão e a nação que tem uma cultura de morte, uma política de desigualdade social, sem ética na política e sem respeito pela dignidade da pessoa humana.

 

Frei Inácio José do Vale

Professor, Psicanalista e Conferencista

Sociólogo em Ciência da Religião

Fraternidade Sacerdotal Jesus Cáritas

 

Fontes:

(1)    http://www.laprensalara.com.ve/?p=402559

(2)    http://infocatolica.com/blog/infories.php/1712230810-sacerdotes-venezolanos-afirma


Como você se sente ao ler este artigo?
Feliz Informado Inspirado Triste Mal-humorado Bizarro Ri muito Resultado
2 0
PUBLICAR - COMENTAR - EMAIL -  FACEBOOK 

:-)