TESTEMUNHOS (1639)'
     ||  Início  ->  
Artigo

Confissões de líderes protestantes

Hoje, muitos pastores protestantes já começam a enxergar que o protestantismo não é uma doutrina conforme os ensinamentos de Jesus, já existindo alguns que defendem o Papa e a Igreja Católica com frases de impacto, que realmente impressionam, mostrando como realmente os olhos estão se abrindo, deixando divergências de lado e enxergando mais claramente a Igreja Católica e sua importância para o cristianismo.

Pastor Juan Carlos Ortiz em seu livro diz:
Não obstante o que a Bíblia ensina, também nós os protestantes temos as nossas tradições: as denominações. Jesus tem somente uma esposa, a Igreja. Ele não é polígamo. No entanto chegamos até a dizer que as denominações fazem parte da vontade de Deus. Assim nós culpamos a Deus pelas nossas divisões e falta de amor. E depois criticamos os Católicos pelas suas tradições. Pelo menos suas tradições são mais antigas que as nossas. Não devemos tentar remover o argueiro dos olhos dos católicos, enquanto não tiramos a trave que encontra-se diante dos nossos (O discípulo, p.132, Editora Betânia).

Sobre a "Bible League," o Dr. Booth diz:
Se as agressões às Escrituras continuarem, virá o tempo quando quem for fiel a Deus terá um refúgio, e será a Igreja Católica Romana.

#‎O Bispo Anglicano de Londres, Eng., Dr. Ingraham, diz:
No momento presente, só há uma Igreja na Inglaterra que oficialmente aceita as Escrituras como a Palavra infalível de Deus, e esta Igreja é a Igreja de Roma.

Dr. Decosta (Protestante) disse:
"A Igreja de Roma foi, antes de o inglês ser descoberto e dos protestantes, a única defensora da Bíblia em sua integridade e totalidade".

A Rev. O. J. Nelson, de Bellingham, Washington, diz:
"No sentido exato, ninguém além dos Católicos tem uma Bíblia infalível e ninguém além dos Católicos podem ser chamados de cristãos ortodoxos. Só há uma Igreja Cristã de realidade e autoridade consistente e esta é a Igreja Católica".

Charles Buder (Protestante), em sua “Horae Biblicae”,” diz:
"Pelas escritas sagradas que contêm a Palavra de Deus, e pelas tradições, nós estamos endividados, sob a Providência, pelo zelo e esforço dos padres e monges da Igreja de Roma".

Um editorial no New York Sun, diz: O tempo está vindo, se, realmente, já não veio, quando estas igrejas definitivamente e decididamente têm que se perguntar se a Bíblia é de Deus ou do homem. E neste campo, o Papa é o único e exclusivo Campeão da Bíblia como a Palavra de Deus.

O Reverendo Dr. A. S. Crapsey, escrevendo a "Free Religious Association":
A maioria das denominações protestantes estão retornando, voltando para os Católicos. Eles estão perdendo sua liderança intelectual por não manter passo com os estudiosos. O protestantismo seguirá e obedecerá a lei da gravitação, desintegrará, e assim perderá todo o poder”.

O Bispo metodista, Dr. Seliew:
"O espírito do protestantismo está declinando na América com o Progresso do Catolicismo. Está morrendo, e logo será uma coisa do passado".

Diz o Rev. C. Tinsley, ministro metodista:
"A Bíblia é um livro muito embaraçoso por causa de suas muitas contradições".

Na "History of Literature", de Hallam, lemos:
"A tradução do VT e NT por Lutero é mais renomada pela pureza da linguagem alemã que por sua aderência ao texto original. Simon foi acusado de ignorância do hebraico e quando vemos o quanto ele chegou no conhecimento do hebraico e grego, e em seu uso, vemos que ele foi muito avançado".

O Rev. Dr. Aked, ministro batista, escrevendo no “Appleton's Magazine”, setembro 1908, disse:
"Nas páginas da versão protestante da Bíblia acham-se erros históricos, enganos aritméticos, inconsistências e contradições múltiplas, e, o que é longe pior, a pessoa acha que os crimes mais horríveis são cometidos por homens que falam: 'Deus disse’, em justificação de seus terríveis atos. Além disso, a Bíblia inglesa é uma versão de uma versão que é uma tradução de uma tradução. Veio do hebraico, grego e latim até o inglês. Em todas suas fases antigas foi copiada à mão de um manuscrito a outro por escritores diferentes, um processo que resultou em muitos enganos".

O crítico bíblico protestante, George Campbell, diz:
"A vulgata é, no geral, uma versão boa e fiel".
Obs.: a Vulgata, Bíblia oficial da Igreja Católica, contém os sete livros excluídos por Lutero das bíblias protestantes.

Fonte: Lista Apologética Aplicada.
Paulo Lelis


Como você se sente ao ler este artigo?
Feliz Informado Inspirado Triste Mal-humorado Bizarro Ri muito Resultado
8 1
PUBLICAR - COMENTAR - EMAIL -  FACEBOOK 

:-)