REVISTA PeR (1328)'
     ||  Início  ->  
Artigo

PERGUNTE E RESPONDEREMOS 351/agosto 1991

Refexões

Simples Voz ou Palavra de Deus?

 

O Imperador Trajano (98-117) em 107 quis oferecer ao povo de Roma "grandioso espetáculo": homens ilustres e gladiadores seriam expostos a 11.000 feras no Coliseu, a fim de que o público presenciasse a luta e "se divertisse".([1]) Entre os condenados, estava um cristão chamado Inácio, bispo de Antioquia (Síria). Fora preso por causa da sua fé. Durante a viagem para Roma, a escolta que o acompanhava fez escala em Esmirna (Turquia de hoje); aí Inácio resolveu escrever uma carta aos cristãos de Roma.

E que lhes diria? Queria pedir-lhes que não intercedessem em seu favor junto às autoridades imperiais, mas deixassem que fosse levado até o certame final e o martírio.([2]) Dessa carta merece destaque, entre outros, o seguinte trecho:

"Se vos calardes a meu respeito, serei Palavra (Lógos) de Deus; se, porém, amardes a minha carne, serei simples voz (phoné)" (no 2).

A distinção entre phoné simples voz e lógos palavra ou discurso significativo era usual entre os antigos. S. Inácio a aplica a si: o martírio ou o testemunho de Cristo proferido até a morte cruenta o tornará palavra de Deus; caso contrário, perderia a grande oportunidade da sua vida e se julgaria reduzido à condição de simples sopro.

Os dizeres de S. Inácio têm valor perene. Lembram-nos que todo homem, por seu teor de vida, pode assumir três configurações:

    será simples voz, sem significado, caso ceda à futilidade, supondo um coração vazio;

    será palavra... de homem, caso sua vida se norteie pelas luzes da mera razão ou pela mensagem de um filósofo sem fé;

    será Palavra... de Deus, desde que o cristão faça da mensagem do Senhor o dínamo da sua existência. Em tal caso, o seu viver já é Palavra de Deus. Tal é a dignidade máxima que a vida humana possa assumir, qualquer que seja a sua classe social; despretensiosa, voltada para os afazeres modestos de cada dia, tal existência traduz concretamente a mensagem de Deus. Mesmo que fale pouco, tal vida é eloqüente e persuasiva; ela levanta os ânimos e abre horizontes. O mundo procura tal tipo de existência, pois está cheio de vozes (phonai), mas carente de Logos (Palavra) de Deus.

Todo cristão é chamado a responder a tal anseio, fazendo de sua vida a expressão da mensagem de Deus.

E.B.



[1] Não sem razão se diz que o povo da antiga Roma se contentava com panes et circenses (pão e espectáculos de circo).

[2] "Deixai que seja presa dos animais ferozes; por eles chegarei a Deus; oxalá seja moído pelos dentes dos animais, para tornar-me o pão puro de Cristo" (no 4).


GoNet - PR
Como você se sente ao ler este artigo?
Feliz Informado Inspirado Triste Mal-humorado Bizarro Ri muito Resultado
2 0
PUBLICAR - COMENTAR - EMAIL -  FACEBOOK 
-

:-)