PRáTICA CRISTã (4873)'
     ||  Início  ->  
Artigo

Como Lidar com os Espíritas?

 

Temos que ter em conta que no discernimento dos espíritos, seja como dom comum da inteligência ilustrada pela doutrina, seja como dom carismático infundido pelo Espírito Santo, são três as categorias possíveis: coisas que vem de Deus, coisas que vem dos homens, coisas que vem do demônio. O espiritismo é uma categoria muito vasta que engloba muitas coisas.


É claro que segundo a Verdade Revelada tanto a evocação dos espíritos dos mortos, como as práticas de adivinhação e magia, como também a adoração de outros deuses é algo condenável e pecaminoso. Porém, sabemos que a inteligência humana obscurecida pelo pecado original não pode conhecer plenamente a verdade sem a luz da revelação e da graça de Deus. Creio que algumas manifestações do dito "espiritismo" pode ter a ver com uma busca, por vezes até mesmo sincera, do homem que não conhece Cristo, mas possui naturalmente um sentimento religioso.

 

Outros, certamente, procuram as práticas "espíritas" por ganância, sede de poder, busca egoística dos próprios interesses, etc. Ou seja, por sua própria maldade.

As doutrinas espíritas são, em minha opinião, frutos destas duas fontes, posto que não se baseiam exatamente em uma revelação, mas em uma dita "experiência psicológica ou espiritual". É difícil dizer, de modo geral, que o demônio tenha participação em todas estas experiências.

Assim, é verdade que o Demônio, aproveitando-se da ingenuidade e maldade do coração humano pode utilizar-se destas pessoas e, em alguns casos, posso testemunhar que isto se deu e com consequências nefastas. Porém tenho também conhecimento de casos concretos onde a doutrina espírita foi uma verdadeira preparação evangélica: despertou o sentimento religioso de pessoas que posteriormente conheceram, inclusive por tal doutrina, o evangelho e hoje são verdadeiros cristãos.

Dizer que algo "é do demônio" no púlpito, por exemplo, como nos perguntou nosso amigo Willian, pode ser contraproducente para aqueles que vivem sinceramente uma religião que julgam boa, em uma verdadeira busca de Deus; e ineficaz para aqueles que, por sua maldade, sabem exatamente onde estão indo e o que querem, ou quiseram, este caminho.

Muito mais eficaz é suscitar dúvidas que levem tais indivíduos a questionar-se, levando inclusive a uma conversa pessoal, sobre os valores espíritas.

A experiência que tenho é que a doutrina espírita se combate "corpo-a-corpo", com amizade e cuidado. Os "embates públicos" não ajudam muito. De modo que, se um espírita kardecista, por exemplo, me pergunta se o espiritismo é do demônio, eu conversaria com ele para que juntos chegássemos a conclusão de que "sim, é do demônio". Só deste modo ele teria argumento suficiente para decidir (isso mesmo!) se quer continuar no espiritismo ou não, ou melhor, se quer seguir a Jesus Cristo ou não.

Padre José Ruy Corrêa Júnior

Paróquia do Cônego, Nova Friburgo/RJ


Como você se sente ao ler este artigo?
Feliz Informado Inspirado Triste Mal-humorado Bizarro Ri muito Resultado
6 7
PUBLICAR - COMENTAR - EMAIL -  FACEBOOK 

:-)