PERGUNTE E RESPONDEREMOS 543/setembro 2007

Apologética

Pergunta um jovem:

 

"POR QUE JESUS NASCEU COMO HOMEM? POR QUE SOFREU, MORREU E RESSUSCITOU?"

 

Em síntese: Jesus é o novo Adão, que veio recapitular o primeiro Adão, oferecendo ao Pai, em nome de toda a humanidade, a obediência e o amor que o primeiro Adão lhe recusou. É Cabeça de uma nova humanidade, à qual comunica sua vida mediante os sacramentos. Sofreu ao extremo para poder assegurar a todo ser humano angustiado que Deus já santificou e transfigurou toda dor humana.

* * *

As perguntas acima foram enviadas a PR por um jovem interessado em compreender o porquê do Crucifixo e dos símbolos católicos em geral. O jovem assim toca num ponto fundamental do Cristianismo, que é o mistério da Encarnação. A seguir, responder-lhe-emos focalizando o âmago da mensagem cristã.

 

1. Por que nasceu como homem?

Vamos responder a partir da estaca zero:

1.  O bem é difusivo de si (axioma filosófico).

2.  Ora Deus é o Sumo Bem. Por isto também é sumamente difusivo de Si.

3.  Daí a criação. Deus tirou do nada seres inteligentes que pudessem compartilhar sua bem-aventurança. Eis a razão pela qual nós existimos.

4.  O homem recém-criado foi enriquecido com grandes dons extraordinários, que o tornavam filho adotivo de Deus.

5.  O Criador queria que o homem dissesse Sim ao seu plano de amor. Por isto apresentou-lhe um modelo de vida que o homem devia observar, afirmando sua fidelidade a Deus.

6.  Levado pela soberba, os primeiros pais disseram Não a esse modelo. Quiseram ser autônomos e não teônomos; o homem faria sua própria regra de vida.

7.  Em vista da recusa, o Criador podia ter deixado o homem entregue a si mesmo, sujeito à dor e à morte. Todavia não se deixou vencer pelo mal; mas venceu o mal com o bem (cf. Rm 12, 21).

8.  Como salvar o homem decaído? - O Senhor Deus "inventou" a forma mais generosa e bela de o salvar: a própria carne, instrumento do pecado, havia de se tornar instrumento de redenção e salvação.

9.  Em conseqüência, na plenitude dos tempos, após quase dezenove séculos de preparação em Israel, Deus Filho assumiu a natureza humana no seio de Maria Virgem. Ele veio como novo ou segundo Adão para dizer ao Pai aquele Sim que o primeiro Adão lhe recusou. Por isto foi até a morte por obediência e amor ao Pai, já que o primeiro Adão foi até a morte por desobediência e desamor ao Criador. Esta retomada de posição se chama "recapitulação".

 

2. Por que sofreu?

10. O segundo Adão ou Jesus sofreu ao extremo para santificar e valorizar o sofrimento de todo ser humano. O sofrimento não é mero castigo, mas é escola para que o homem se liberte de suas paixões desordenadas e mais se entregue ao Pai unido a Jesus Cristo.

11. Jesus, porém, venceu a morte ressuscitando, ele era inocente, nada devia ao império da morte, que assim foi transfigurada como passagem para a plenitude da vida. O que era mera conseqüência do pecado tornou-se entrada na vida sem fim no face-a-face da visão beatífica.

12. Desta maneira Jesus quer ser mais do que o preço da nossa salvação; quer ser mais do que um mártir-modelo heróico para todos os homens. Ele é Cabeça de um Corpo, do qual nós somos membros; Ele é tronco de videira, da qual nós somos os ramos vivendo da seiva do tronco.

13. Essa participação na vida de Cristo se faz mediante os sacramentos, dos quais o primeiro é o Batismo e o cume é a Eucaristia.

14. Sacramento é uma realidade sensível que realiza o que ela assinala. A água do Batismo lava o corpo e purifica a alma; o pão e o vinho da Eucaristia alimentam o corpo e corroboram a vida de Cristo em nossas almas.

15. Podemos dizer que o Cristianismo é essencialmente a religião do sacramento. O primeiro sacramento é a humanidade de Jesus pela qual passou a graça do Pai. Essa humanidade se prolonga no Corpo Místico de Cristo ou na Igreja e atinge cada cristão mediante os sete ritos que chamamos simplesmente "sacramentos" (Batismo, Crisma, Eucaristia, Reconciliação, Unção dos Enfermos, Ordem e Matrimônio).

16. Estas verdades implicam que o Cristianismo não é apenas uma escola de bons costumes nem apenas um aglomerado de pessoas que compartilham as mesmas idéias e se ajudam mutuamente, mas um Grande Sacramento ou uma comunhão de vida com Jesus Cristo, que leva os irmãos ao Pai no Espírito Santo. Jesus usa a fórmula "Vós em mim e eu em vós". O que isto quer dizer, não pode ser adequadamente expresso por palavras, mas só pode ser reconhecido pela experiência de fidelidade incondicional a Cristo e à sua Igreja na qual Ele vive não apenas como pregador, mas como fonte de vida para os fiéis.

17. Ser cristão portanto implica uma realidade muito densa, a saber: existe em nós a herança do primeiro Adão com suas paixões desordenadas. Mas existe também o princípio de vida nova que Cristo nos comunica; donde se segue que a grande tarefa do cristão consiste em morrer para o velho Adão com seus desmandos e abrir sempre mais espaço para a vida de filhos de Deus que recebemos através dos sacramentos.

Eis as razões da Encarnação do Filho de Deus.

Como você se sente ao ler este artigo?
Feliz Informado Inspirado Triste Mal-humorado Bizarro Ri muito Resultado
5 0
PUBLICAR - COMENTAR - EMAIL -  FACEBOOK 
-

:-)