ESPIRITUALIDADE (471)'
     ||  Início  ->  
Artigo

REAVIVAMENTO MISSIONÁRIO

“O Espirito de Cristo é o espirito de missões e quanto mais próximos estivermos d’Ele mais nos tornaremos missionários com maior intensidade”.

Henry Martin (1781-1812)

Missionário britânico na Índia e Pérsia.

Há um provérbio africano que diz: “Aquele que não ama missões, é possível que nunca tenha encontrado Cristo”. No norte da África, um fenômeno de nível espiritual chamou a atenção de missionários, pastores e líderes cristãos que se dedicam a evangelizar o continente. Eles afirmam categoricamente que até antes do surgimento do islamismo na região, não era possível identificar tantas pessoas confessando a sua crença em Jesus Cristo! O fato é que um notável avivamento está conduzindo homens e mulheres a uma comunhão com Deus nunca antes vista. Após viajar e presenciar o que Deus tem realizado nesse território africano, o cineasta cristão Tino Qahoush trouxe na bagagem imagens que serão reunidas em um documentário. “O que Deus está fazendo na África do Norte, da Mauritânia até a Líbia é algo sem precedentes na história das missões. Tive o privilégio de gravar depoimentos e ouvir histórias de homens e mulheres de todas as idades... Eles viveram a presença de Deus de modo real... Alguns contam histórias de como conversaram com ele, não apenas com uma luz que aparece”, comemora.

Analistas ligados à missiologia indicam que há mais de 10 anos que os nativos do norte africano experimentam uma grandiosa ação divina nas ações onde habitam. São países onde as estatísticas indicam a predominância islâmica, como Mauritânia, Saara Ocidental, Marrocos, Argélia, Líbia e Tunísia. “Às vezes eu sinto inveja de como Jesus visita o mundo mulçumano neste momento. Já não ouvimos falar disso nas comunidades tradicionalmente cristã”, afirma o cineasta.

Mas o que realmente pavimentou esse poderoso avivamento foi o desenvolvimento do cristianismo nos últimos 20 anos. Algo sem precedentes. O país que chama mais a atenção dentro deste contexto é a Argélia. No vídeo, o pastor Salah disse que jamais imaginaria que a igreja nacional fosse crescer tanto. O curioso é que o ministro evangélico mora e trabalha em um país onde 99% da população professa a fé islâmica. Hoje ele é responsável por uma igreja de 1,2 mil pessoas. Ele conta que uma grande fatia dessas pessoas é egressa do islamismo e não foi nada fácil terem trocado Maomé por Jesus. As perseguições foram inevitáveis.

Youssef Ourahmane, outro pastor de Argélia denuncia a intolerância das autoridades aos cidadãos que ousam “apostatar” da crença nacional. Segundo ele, os cristãos são ocasionalmente intimidados e perseguidos. Apesar das hostilidades, os crentes veem portas abertas para testemunhar toda vez que são conduzidos à cadeia. O missionário estima que o advento dos canais de televisão cristãos via satélite e a internet contribuíram para uma nova percepção das pessoas acerca do cristianismo. A tecnologia ajudou não somente na evangelização das pessoas, mas também em seus conceitos religiosos. A instrumentalidade tecnológica é uma grande ferramenta na obra missionária que faz alcançar pessoas e lugares que jamais seriam alcançadas pela pessoa do missionário.

CHARLES DE FOUCAULD – APÓSTOLO DO SAARA

Este “Apóstolo do Saara” missionário dos Tuaregues, mundialmente conhecido como  “Irmão Universal”, nasceu em Estrasburgo, França, em 15 de setembro de 1858. Sua origem rica e aristocrática – visconde de Foucauld, torna-se um missionário pobre entre os mais pobres.

O legado da vida e da obra de Charles de Foucauld nas missões africanas foi e continua importante para posteridade. Seu trabalho vive de forma atual e fecunda. Seu lema era: “Gritar com a vida o Evangelho de Cristo”. Seu amor por aqueles que não conhecem Jesus Cristo e seu Evangelho foi colossal! A sua entrega foi radical pela causa missionária.

A evangelização do Marrocos era seu projeto, já que o tinha bem conhecido devido a seu trabalho de explorador, pelo qual foi premiado com uma medalha de ouro pela Sociedade Francesa Geográfica. Não conseguindo residir neste país, como era o seu desejo, ele se estabeleceu o mais próximo possível, em Béni-Abbes, Argélia. Ele já estava convencido: “Farei o bem na medida em que for santo”. O espírito de sacrifício, a pobreza, o cuidado dos doentes e dos necessitados tornou-se o principal objetivo de sua vida, que inflamava em suas longas horas de adoração diante da Eucaristia:  “A Eucaristia é Deus conosco, é Deus em nós, é Deus que se dá perenemente a nós, para amar, adorar, abraçar e possuir”. Sabia por experiência que “quanto mais se ama, melhor se ora”.

Entre 1904 e 1905 se estabeleceu em Tamanrasset com os Tuaregues do Hoggar argelino. Ele corajosamente realizou um trabalho formidável de inculturação, primeiramente, traduzindo em tuareg os Evangelhos e, no sentido inverso, traduzindo poesias tuareg para o francês. Ele é autor de um dicionário francês-tuareg e tuareg-francês, de uma gramática e de várias obras sobre esta tribo nômade. Este era o seu desejo: “Eu quero ser bom o suficiente para que digam: “Se tal for o servidor, como então será o Mestre”?”.

Em 1909 ele deu início à União de Irmãos e Irmãs do Sagrado Coração de Jesus a fim de levar a fé à África. Nos onze anos em que viveu com os tuaregues se tornou um com eles, sem medir esforços, com a alegria de saber que assim cumpriria fielmente a missão para a qual ele sentiu-se chamado por Cristo. Ele amou aquele povo até o fim e ali entregou a sua vida. No dia 01 de dezembro de 1916 uma bala no meio de uma emboscada de bereberés deu fim a este grande apóstolo.

A sua influência na obra missionária e a sua espiritualidade é encontrada em várias instituições: nos Irmãozinhos e Irmãzinhas de Jesus, nas Irmãs e os Irmãos do Evangelho, nos Irmãozinhos da Visitação, na Comunidade Monástica dos Pequenos Irmãos da Cruz, nas Irmãs de Nazaré, nas Irmãs do Sagrado Coração de Jesus e na Fraternidade Sacerdotal Jesus Caritas.

CONCLUSÃO

Não há nada mais poderoso no mundo do que a proclamação da Palavra de Deus. Ela gera fé  (Rm 10, 17). Ela transforma o coração mais duro, a nação mais incrédula, o homem mais ímpio. Ela transforma o sistema iníquo. Fará isto e ainda muito mais com milhões pessoas pela nossa prática missionária, seja ajudando economicamente, ou indo ao campo em missões. “Missões se fazem com os pés dos que vão, com os joelhos dos que ficam e com as mãos dos que contribuem”. A principal missão da Igreja é missionar, é informar, formar e enviar seus missionários para o mundo inteiro. Obedecer ao ide Jesus Cristo (Mc 16, 15) é ser verdadeiramente discípulo e missionário do projeto do Reino de Deus e alegrar-se pelo crescimento da Igreja e pela felicidade de contemplar o mundo mais justo, fraterno e de paz no Espírito Santo. O reavivamento missionário é obra grandiosa do Espírito Santo numa nova configuração libertadora diante dos atuais desafios contrários ao Evangelho da vida.

Pe. Inácio José do Vale

Fraternidade Sacerdotal Jesus Cáritas

Irmãozinho da Fraternidade da Visitação de Charles de Foucauld

E-mail: [email protected]

 

Fontes:

Seara em Foco, Julho/agosto de 2016, p.20.

Chatelard, Antoine. Charles de Foucauld, o caminho rumo a Tamanrasset, São Paulo: Edições  Paulinas, 2009.

Charles de Foucauld. Ermitão no Saara: Écrits spirituels, Paris, 1927.

 


Como você se sente ao ler este artigo?
Feliz Informado Inspirado Triste Mal-humorado Bizarro Ri muito Resultado
3 0
PUBLICAR - COMENTAR - EMAIL -  FACEBOOK 

:-)