APOLOGéTICA (2779)'
     ||  Início  ->  
Artigo

QUESTIONAMENTO EVANGÉLICO

1)-A Proibição (Ex 20,3-5); 2)-Deus Modificou a Palavra?; 3)-Idolatria; 4)-Adorar ou Venerar?; 5)-Após a Morte; 6)-Os filisteus e a Arca; 7)-Sacrifício no Velho Testamento; 8)-Sacrifício Católico; 9)-O Sacrifício no Protestantismo; 10)-Protestante explique (tente...)João 6,35ss; 11)-O Sacramento da Ordem; 12)-Testemunhos da Igreja Nascente; 13)-Testemunho de Lutero; 14)-Questionamento Evangélico.

1)-A Proibição (Ex 20,3-5)

O contexto.
3.Não terás outros deuses diante de minha face.
4.Não farás para ti escultura, nem figura alguma do que (refere-se a “outros deuses” do versículo 3, que na errada imaginação dos pagãos) está em cima, nos céus, ou embaixo, sobre a terra, ou nas águas, debaixo da terra.
5.Não te prostrarás diante delas e não lhes prestarás culto...

Algumas versões usam “escultura”, já a TEB, numa tradução mais apurada, traz o termo “ídolo”. Ex 20,4 “Não farás para ti ídolos ou...” Tradução: Fesél = Êidolon = Ídolo.

O contexto da proibição de ter imagens de “outros deuses” é do versículo 3 ao 5.
A “escultura” do versículo 4, refere-se á “outros deuses” do versículo 3.
(considere que a Bíblia não era dividida por capítulos e versículos)

Os filisteus fizeram imagens e Deus aceitou. Não só aceitou, como aceitou que a Arca caminhasse lado a lado com elas. Aceitou também o costume pagão de oferecimento de “imagens” das partes curadas.

2)-Deus Modificou a Palavra?

As proibições Ex 20,3-5; Dt 4.15-19; e Lv 19,4 eram condicionadas:
1) Pelo perigo de idolatria que continuamente ameaçava Israel;
2) Pelo fato de que o Senhor Deus nunca se manifestava com alguma forma que pudesse ser reproduzida.

Não obstante, tomadas as cautelas contra o perigo de idolatria, o Senhor não somente permitiu, mas até mandou se confeccionassem imagens: Nm 21,8 (serpente); Ex 25, 18 (querubins); Ex 25,22 (Deus dava ordens no meio das imagens); 1 Rs 6,23 - 2Cr 3,10 (no lugar mais Sagrado do templo, Deus manda fazer 2 querubins de 5 metros de altura); 1 Rs 6,18 (tinha tantas imagens de flores que não se via a parede); 2Cr 4,3 (na parte inferior 10 bois por côvado [10x30 – contorno, versículo anterior =300 bois] cercavam o Mar), 2 Cr 4,4 (estes bois repousavam sobre 12 bois).

“... Nós nos saciamos com os bens da tua casa, com as coisas sagradas do teu templo”
(Sl 65[64],5). Portanto, cada objeto de lá, imagem ou ornamento, era Sagrado.

1 Cr 16,29 “tributai ao Senhor a glória devida ao seu nome. Trazei oferendas e chegai à sua presença, adorai o Senhor com ornamentos sagrados.”

Até as vestes eram Sagradas, aliás, até hoje são usadas na consagração dos sacerdotes. Êxodo 29,29 – “As vestes sagradas de Aarão serão herdadas pelos seus filhos, que as vestirão quando forem ungidos e consagrados.”

Então, se Deus proíbe e depois não proíbe, Deus voltou atrás com sua palavra?
Não voltou, não..., não...; é que Deus proibiu fazer é somente Imagem de ídolo.

“A minha palavra não volta atrás” - Isaías 45,23.
Se primeiro proibiu e depois mandou fazer, Deus voltou atrás; e, não seguiu Isaías.

“Eu, o Senhor, não mudo”, Malaquias 3,6.
Se primeiro proibiu e depois mandou fazer, então Deus mudou a palavra; e, não seguiu Malaquias.

“Deus não é um homem, para que minta,...” Números, 23,19.
Se primeiro proibiu e depois mandou fazer, então Deus mentiu; e, não seguiu Números.

1 Sm 15,29 “...O Esplendor de Israel não mente, nem se arrepende...”

Alguns protestantes argumentam que só é possível fazer imagens quando Deus expressamente permite.
Pergunta-se: onde está essa norma na Bíblia? Porque os filisteus puderam fazer?

No Novo Testamento, é Jesus Cristo que garante que suas palavras não são modificáveis, afirmando: “Passarão os céus e a terra, mas as minhas palavras não passarão” Lucas 21,33.

Será que Deus voltou atrás, modificou a própria palavra?

Deus “não voltou atrás”, “não mudou sua palavra”, muito menos “mentiu”.
Deus não falou aquilo que erradamente muitas pessoas não enxergaram, não viram e não entenderam, e, pior ainda, não querem entender! Deus proibiu fazer é Imagem de ídolo.

3)-Idolatria

Idolatria é quando se coloca alguém ou alguma coisa no lugar de Deus.
Os pagãos acreditavam que nos deuses (imagens), existia Deus; assim, quebrando a imagem acabava o Deus.
A imagem cristã apenas representa quem está no céu; assim, quebrando a imagem, não acontece nada com quem está céu.
Para o católico ser idólatra, este teria que considerar os(as) Santos(as) como se fossem ou tivessem o poder de Deus.

Os povos vizinhos dos judeus acreditavam e faziam imagens de deuses. O determinante se uma imagem é cristã ou ídolo é: se acreditar que Deus mora nessa imagem, então é imagem de um falso deus, se acreditar que a imagem apenas representa quem já está no céu, então é cristã.

O motivo desta celeuma é que, todos os cultos, na aparência, são iguais, o que diferencia é o sacrifício (externo) e o coração do fiel (interno).

Se na oração, o fiel está pedindo para a imagem fazer algo na terra, apesar dessa imagem representar alguém que está no céu, é idolatria.
Deixa de ser idolatria, quando se pede a quem a imagem “representa” que “interceda” junto a Deus. Notar que não está pedindo para o morto (que está no céu), sua ação aqui na terra, apenas que, interceda junto a Deus; a ação vai depender única e exclusivamente de Deus.


4)-Adorar ou Venerar?

Podemos usar “Adorar” no sentido de “Adorar ou Venerar”.
Também podemos usar “venerar” no sentido de “Adorar ou Venerar”.
Não aceitam a diferença entre venerar e adorar, e acusam o Católico de idólatra; esquecem que somente Deus pode sondar o coração do homem. Com isso os Evangélicos (que afirmam isso) são usurpadores da onisciência de Cristo; somente Cristo sabe o que está oculto. “Desejar” ou “tomar decisão que denotem ONISCIÊNCIA” é idolatria. Os acusadores são como estátuas de pau.
- Espera ai, estátua não fala!
- Mas, em ambos os casos, da estátua e da acusação, não se aproveita nada.

Exemplo de adorar no sentido de venerar: "(Hino Nacional)...terra adorada... ". Neste hino, está evidenciado “um” uso onde o “adoro” não está reconhecendo um Deus. Se alguém, entender que a “terra” tem poder como Deus, este sim, está cometendo o pecado de idolatria.

Exemplo de Venerar no sentido de Adorar: "Os pagãos veneram seus ídolos". Neste caso, “venerar” se trata de adoração, porque o objeto de culto é considerado Deus.

"Eu adoro N.Sa. Aparecida” , aqui, o adoro tem o sentido de veneração, pois N.Sa. Aparecida não é considerada Deus.
Adorar é reconhecer Deus “como Deus”.
Quem venera um anjo ou um santo, não reconhece neles, um Deus.

Adoração é oferecer o melhor da nossa vida para Deus.
Veneração é agradecer pelo de melhor da nossa vida a Deus.

Adoração implica que além do reconhecimento (Salmo 144[145],4) – “Uma geração apregoa as tuas obras à outra, proclamando as tuas façanhas”, a submissão a Deus.
Veneração é reconhecimento das coisas que Deus fez (faz ou fará): – Salmo 144(145),4.

Reverenciar, louvar, venerar etc. é distinto de adorar. "... reverenciareis meu santuário. Eu sou Javé" (Lv 19,30).

Os católicos só adoram a Deus. Mateus 4,10 (Adorarás o Senhor, teu Deus e só a ele servirá) Cf. Lucas 4,8 e Dt 6,13. Aos Santos e Anjos, é prestado culto de veneração, porque Santos e Anjos não são reconhecidos “como Deus”.
É proibida a adoração das Criaturas de Deus - Exemplos: Atos 10, 25-26 (Adoração de Cornélio a Pedro); Apocalipse 19,10 (prostrei-me ... não faças isso).
É permitido venerar - os gestos são os mesmos mas a pessoa reconhece que aquele que recebe a veneração não é Deus (nesse caso não é adoração).
Exemplos: Gênesis 33, 1-3 (prostrou-se diante do irmão); Números 22,31 (Balaão prostrou-se diante do anjo); 2 Samuel 14,22 (prostrou-se diante do rei); I Reis 1, 16 (Betsabeia prostrou-se diante do rei); 2 Reis 4, 36-37 (prostrou-se diante de Eliseu); I Crônicas 29,20 (assembleia prostrou-se diante do rei).

A Verdadeira Adoração deve cultuar em espírito e verdade (João 4,23).
Isto é, é o Espírito quem inspira em nós a prática na comunhão com a Verdade que é Cristo. Romanos 8,14 “pois todos os que são conduzidos pelo Espírito de Deus são filhos de Deus”.


5)-Após a Morte

Como Jesus virá julgar os vivos e os mortos (2Tm 4,1; 1Pe 4,5), os protestantes entendem que não houve ainda julgamento e que ninguém foi ainda para o céu.

Não entendem eles que Paulo e Pedro estão se referindo ao julgamento universal, onde todos verão os julgamentos de todos. Eles não observam Hb 9,27, onde o julgamento é particular “... morre uma vez só, e logo em seguida vem o juízo”. Após o 1° julgamento, as almas dos eleitos, irão para o céu, ou melhor, já estão no céu.

Os Saduceus não admitiam a ressurreição (Lc 20,27); Jesus lhes explica que a ressurreição (primeira) já aconteceu. Notar que justamente para eles, contrários da ressurreição, Jesus diz: “todos vivem para Ele”, Jesus não disse “viverão”, disse “vivem” Lc 20,38.

“Moisés chamou ao Senhor: Deus de Abraão, Deus de Isaac, Deus de Jacó. Ora Deus não é Deus dos mortos, mas dos vivos porque todos vivem para Ele” (Lc 20, 37-38).

Portanto, Jesus nos diz que os santos falecidos VIVEM para Ele, ou seja, não estão mortos para Ele!

O livro do Apocalipse também ensina que os santos falecidos não estão adormecidos, mas mesmo antes da ressurreição, suas almas dialogam e intercedem junto a Deus:
“Vi sob o altar as almas dos homens imolados... e clamaram em alta voz: ..., e foi-lhes dito, também, que aguardassem ainda um pouco ..., que iriam ser mortos como eles.” (Apc 6,9-11)

Neste diálogo, as almas dos santos falecidos clamam a Deus para que apresse o dia do Juízo Final. Observe que as almas não estão adormecidas, mas estão sob o altar de onde falam com Deus. E, enquanto aguardam, o que fazem estas almas? Aguardam adormecidas ou VIVAS e ACORDADAS? Vejamos:

“...Por isso, estão diante do trono de Deus, e o servem, dia e noite, no seu templo.” (Apc 7,13-15)

Portanto, as almas (eleitas) estão diante do trono de Deus, e não no pó da terra.

Por isso Jesus disse para não temer os que matam o corpo mas não podem matar a alma (Mateus 10,28). Este texto está claro: o morto tem o espírito vivo. No Apocalipse essas almas falam e servem a Deus.

Outro texto: Hebreus 12,23 “da assembleia festiva dos primeiros inscritos no livro dos céus e de Deus, juiz universal, e das almas dos justos que CHEGARAM à perfeição,”.
a – Se está inscrito no Livro dos Céus, é porque já houve um julgamento.
b - Chegaram à perfeição; acaso ficar no pó da terra é CHEGAR à perfeição?

Abraão foi ajuntado ao seu povo (Gn 25,8); Depois da morte, os ímpios fazem parte do povo de Abraão? Não, o povo de Abraão é constituído pelas almas dos Santos, que por sinal, já estão no céu. Ver Lucas 16,22-31 (parábola do rico e Lázaro – Abraão conversa)


6)-Os filisteus e a Arca

O Profeta Samuel está em dois períodos da história de Israel, isto é, na transição entre os juízes e os reis, portanto, muito tempo depois do Pentateuco. Samuel nos diz, claramente, sem como contestar, que Deus não é contra a fabricação de Imagens. Atenção, disse imagens; não disse ídolos.
1 Samuel, Capítulo 5
Nos versículos 1 e 2, os filisteus conquistam a Arca de Deus e a colocam junto do ídolo.
Nos versículos 3 e 4, o deus Dagon é encontrado aos pés da Arca.
Nos versículos 6 e 9, o Senhor feriu os filisteus, com hemorroidas.
No versículo 11, os príncipes decidem devolver a Arca.

1 Samuel, Capítulo 6
Nos versículos 2 e 3, os sacerdotes pagãos e adivinhos sugerem aos príncipes, devolução da Arca com reparação. A sugestão (versículo 4) foi imagens de ouro de tumores e ratos.
Nos versículos 7 e 8, os príncipes atendem a sugestão.
Nos versículos 9 e 11, puseram no carro a Arca do Senhor, junto com o cofre que continha as imagens de ratos e tumores. Para provar que não foi um simples acidente, as vacas caminharam, sem se desviar, nem para a direita nem para a esquerda (versículo 12).
No versículo 17, o número de imagem de hemorroida de ouro; uma por cada príncipe filisteu.
No versículo 18, a quantidade de imagem de rato de ouro; ofereceram tantos ratos de ouro quantas cidades havia pertencentes aos cinco príncipes.

O Senhor Deus, não somente aceitou a imagens, como também aceitou costume pagão: muitos antigos ofereciam gravadas em ouro ou tabuinhas, as efígies das partes curadas.
Mais, a Arca de Deus, caminhou lado a lado com as imagens dos filisteus.(versículo 11)
Há de se notar, que as imagens não tinham sido adoradas como ídolos, pois eram novas (1Sm 6,5).

Em 1º Sm 6, 19, o Senhor Deus feriu os israelitas que olharam dentro da Arca – Bíblia Ave Maria. Já a Bíblia CNBB diz “os filhos de Jeconias não fizeram festa como os outros”, seja por olharem dentro ou não fazer festa, o fato é que os israelitas foram castigados.

1 Samuel, Capítulo 7
Samuel vence os filisteus e chama o lugar “Pedra do Socorro”. Segundo Samuel, o nome “Pedra do Socorro” era porque: Até aqui nos socorreu o Senhor. (Versículo 12)

Tem Igreja Evangélica que tem como lema “Até aqui nos socorreu o Senhor”. É uma contradição, pois Deus socorreu com uso de imagens pagãs, e no entanto, eles são contra imagens.

Os protestantes poderão falar que os filisteus não fizeram o que os católicos fazem; católico pede e reza às imagens.
O que dizer?

Se algum católico pede para a imagem fazer algo, está errado, devemos pedir é para quem a imagem representa (que já está no céu), assim mesmo, a “única” coisa que o representado pode fazer, é pedir para Deus (intercessão); o representado não pode fazer nada na terra.
Acredito que alguns católicos, por falta de formação, peçam algo “para a imagem”, vou repetir, “para a imagem”, esse não é o ensinamento da Igreja.

Se algum protestante julga que a ICAR “ensina” que os mortos possam fazer alguma coisa na terra, é uma opinião pessoal, sem consequência para os católicos; os únicos prejudicados são os protestantes, que não podendo provar, cometem calúnia.

Se algum católico fizer, a Igreja não pode ser penalizada. É mais ou menos assim, se um membro da igreja Evangélica fizer algo errado, posso falar (sem provar) que é ensinamento da Igreja Evangélica?
É isso que acontece com os Evangélicos.

Católico aparece na televisão dizendo que a Imagem conseguiu alguma coisa e já é prato feito: está vendo, é uma Igreja de idólatras, quando na verdade, quem errou foi “somente” o membro. Volto a dizer o óbvio, a Igreja não “ensina” que a imagem tem poder.


7)-Sacrifício no Velho Testamento

A legislação cerimonial acrescido no Levítico pelos escribas e fariseus, atribuído a Moisés, o Senhor Deus permitiu porque foi a maneira dos judeus conservarem tais leis. No entanto, o Senhor Deus sabia que elas seriam derrogadas depois de Jesus Cristo.
Disse derrogadas e não revogadas, porque os sacrifícios continuam para sempre (Hb 7,27); eram agradáveis ao Senhor (cf. Lv1, 9; e outros) e apagavam pecados (cf. Lv 4, 20; e outros), agora, vivemos o Sacrifício de Cristo que é para sempre (nunca acaba; melhorado, Mateus 5,17), atendendo sua própria ordem Lc 22,19 (isto é o Meu corpo, fazei isto em memória de mim).

Jr 7,22 - “porquanto não falei a vossos pais e nada lhes prescrevi a respeito de holocaustos e sacrifícios, no dia em que os fiz sair do Egito.”

O próprio Senhor Deus fez uso das Leis Cerimoniais: Número 15, 1-3 - “O Senhor disse a Moisés: Dize aos israelitas o seguinte: quando entrardes na terra de vossa habitação, que eu vos hei de dar, e oferecerdes ao Senhor algum sacrifício pelo fogo,...”

Israel caiu em mãos inimigas; todos os castigos são merecidos por sua infidelidade. Apesar de tudo, Deus voltará a perdoá-los. E isso só se pode conseguir por meio de um culto perfeito.

Confira nas citações abaixo, a presença INDISPENSÁVEL de Vítima, Sacerdote e Altar nos Sacrifícios.

(Holocausto de gado) Levítico 1, 3-9 – (5)Vítima, (5)Sacerdote, (5)Altar.

(Holocausto de cordeiro ou cabrito) Levítico 1, 10-13 –(11)Vítima, (11)Sacerdote, (11)Altar.

(Holocausto de Ave) Levítico 1, 14-17 – (15)Vítima, (15)Sacerdote, (15)Altar.

(Oferenda Vegetal - Oblação) - Levítico 2,1-8 - (1)Vítima, (2)Sacerdote, (2)Altar.

(Oferenda Vegetal – Oblação) – cozida em forno ou cozida em assadeira – Levítico 2, 4-8 - (4)Vítima – (forno) / (5)Vítima – (frigideira), (8)Sacerdote, (8)Altar.

(Sacrifício de Paz - Pacíficos) Levítico 3, 1-16
a - (gado) - (1)Vítima, (2)Sacerdote, (2)Altar.
b - (cordeiro) - (8)Vítima, (8)Sacerdote, (8)Altar.
c- (cabra) - (13)Vítima, (13)Sacerdote, (13)Altar.

(Sacrifício pelo Pecado - Expiação) - Levítico 4, 1-34
a- (Sacerdote Consagrado que peca) – Levítico, 4, 4,7 – (4)Vítima, (5)Sacerdote, (7)Altar.
b- (Comunidade que peca) – Levítico 4, 13-19 - (14)Vítima, (16)Sacerdote, (19)Altar.
c- (Príncipe que peca) - Levítico 4, 23-25 - (23)Vítima, (25)Sacerdote, (25)Altar.
d- (Homem do povo que peca) - Levítico 4, 27-30 –
d1- (cabra) - (28)Vítima, (30)Sacerdote, (30)Altar.
d2- (cordeiro) - Levítico 4, 32-35 - (32)Vítima, (34)Sacerdote, (34)Altar.

No capítulo 5 do Levítico, trata-se tocar animal impuro, falso juramento etc.; seguir o rito de absolvição do pecado. No caso de reparação, deve reembolsar o Santuário e seguir o rito de absolvição do pecado.


8)-Sacrifício Católico

No Levítico, Moisés estabelece as leis do sacrifício; todo sacrifício requer um sacerdote, um altar e uma vítima.

O mesmo Sacrifício de Cristo (Eucaristia), cruento, é oferecido em todas as Missas (incruento).
Todos os sacrifícios necessitam de Altar, Vítima e Sacerdote. E um Sacerdote Consagrado, conferir: Êxodo 29,29 - quando forem ungidos e consagrados; Levítico 6,15 -O sacerdote consagrado que te suceder...”

Jesus Cristo, embora não fosse sacerdote durante a sua vida terrena, depois de ressuscitar tornou-se sacerdote de uma nova “ordem” «Tu és sacerdote para sempre, segundo a ordem de Melquisedec». Hb 5,6 (Sl 109.4)

Na Paixão, Jesus é Vítima e Sacerdote, e o Altar? Altar é onde colocava a vítima para ser imolado. Onde Jesus foi imolado?

O Sacrifício de Cristo na Cruz é oferecido a Deus na Santa Missa, este Sacrifício é tornado novamente presente (não repetido), de forma incruenta. O centro da Missa é o Sacrifício, oferecido pelo sacerdote na Pessoa de Cristo em benefício de toda a Igreja.


9)-O Sacrifício no Protestantismo

“Não julgueis que vim abolir a lei ou os profetas. Não vim para os abolir, mas sim para levá-los à perfeição” (Mateus 5,17).
“...é a misericórdia que eu quero, não o sacrifício...” (Mateus 9,13) .
”... oferecer todos os dias sacrifícios,... pois isto o fez de uma só vez para sempre, oferecendo-se a si mesmo (Hb 7,27).

Com esses versículos, os evangélicos dizem que fica abolido o sacrifício.

Mas, Hebreus não diz que o Sacrifício acabou, diz sim que é para sempre. Estamos vivendo o Sacrifício, pois Ele (o sacrifício) é para sempre. Em todas as Missas revivemos o Sacrifício.


10)- Protestante explique (tente...)João 6,35ss

Em João 6,41-41 o entendimento era literal (não é Jesus, filho de José... como diz: Desci do céu). Porque entenderiam “figurado” João 6,54, “Quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna; e eu o ressuscitarei no último dia.“ ?

Quem come e bebe terá a recompensa real e não figurada, João 6,51.53.54.57.58.

Nos versículos 50-58 Jesus continua afirmando que é pão do céu, e o pão que “hei de dar” (ainda não tinha instituído a Eucaristia) é a sua carne. O verbo no futuro, demonstra que o contexto não se refere ao ensino doutrinário de Jesus, pois esse ensino já estava em andamento.

Se os judeus entendessem que o sentido era figurado não fariam a pergunta “Como pode este dar-nos a sua carne a comer?” (v.52)

Se fosse simbólico quando Jesus afirma: "O que come minha carne e bebe o meu sangue..." (versículo 53) então também seria simbólico quando Ele diz: "...terá a vida eterna e eu o ressuscitarei no último dia" (Jo 6,54). O pão é simbólico mas a ressurreição não é simbólica? Decidam-se, protestantes!

Discurso “duro” Jo 6,60-61
(61) Sabendo Jesus que os discípulos murmuravam por isso, perguntou-lhes: Isso vos escandaliza?

Se “Comer e Beber” (versículo 53), fosse para ser entendido em sentido figurado este discurso seria “duro” (versículo 60)? Seja sincero; há razão para considerar um sentido figurado “duro”?
Vou perguntar de novo. Se entendessem em sentido figurado este discurso seria “duro”?

Os judeus estavam tão certos que teriam que literalmente comer a carne, que estavam escandalizados (versículo 61). Se o sentido fosse figurado, haveria razão de escândalo?
Seja sincero, se o sentido fosse figurado, os judeus ficariam escandalizados a tal ponto de abandonar Jesus (versículo 66)?

Os que ficaram e os que abandonaram, entenderam a mesma coisa; teriam que “comer e beber”!

Nas narrativas da instituição da Eucaristia (Mt 26,26s; Mc 14,22s; Lc 22,19s; I Cor 11,23s) vemos que Nosso Senhor disse que o Pão e o Vinho são Seu Corpo e Seu Sangue (Isto é Meu Corpo; Isto é o cálice do Meu Sangue).

Atenção protestante: os 3 Evangelistas usam “Esti” (em grego), que traduzido para o português, temos “É” ou “Representa”? Faça uma pesquisa honesta, disso depende...

11)-O Sacramento da Ordem

Êxodo 29,29 – “As vestes sagradas de Aarão serão herdadas pelos seus filhos, que as vestirão quando forem ungidos e consagrados.” Essa lei de Moisés não foi revogada, foi derrogada. Por isso, a pessoa que vai ser ordenada receberá os poderes de Jesus Cristo, tal como os Apóstolos os receberam na Santa Ceia: “Fazei isto em memória de mim” (Lc 22,19) e, ainda, na ressurreição: “Ide a todas as nações, batizando-as em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo” (Mt 28,19): no sacramento do Perdão: “Recebei o Espírito Santo, aqueles a quem vocês perdoarem serão perdoados” (Jo 20,22-23).

É o sacramento da “função” sacerdotal à semelhança do próprio Cristo (Hb 6,20 –ordem de Melquisedec).
Este sacramento da ordem é perpetuado na Igreja através do rito da imposição das mãos, acompanhado também do poder de consagrar, ordenado por Jesus Lc 22,19 e de perdoar Jo 20,22-23.

Correlatos no Novo Testamento:

Mt 18, 18 – (o que ligares na terra).
1 Tm 4:14.– (carisma dado em assembleia por Imposição das Mãos).
2Tm 1, 6 – (reavivar o dom pela imposição de minhas mãos).
Atos 1,20 – (inclusão de Matias “Que outro receba o seu cargo; 108 [109],8”. Não houve imposição das mãos; precisaria? Ver versículo 24. Houve imposição das mãos com os outros 11 Apóstolos?)
Hb 6, 2 – (imposição das mãos).
At 6,6 – (oraram e impuseram as mãos sobre eles – Instituição dos sete).

Correlatos no Velho Testamento:

Êxodo 29,29 – “As vestes sagradas de Aarão serão herdadas pelos seus filhos, que as vestirão quando forem ungidos e consagrados.”
Levítico 6,15 “O sacerdote consagrado que te suceder fará o mesmo...”

Portanto, os textos bíblicos e a “história”, numa corrente contínua nos garantem a ligação com os Apóstolos, sempre, numa ordenação renovada.

Pedro se declara Presbítero/ancião, ( = Sacerdote/Padre) 1 Pedro 5, 1-5.
João se chama de Presbítero 2 Jo 1,1.
João se chama de Presbítero 3 Jo 1,1.
Paulo e Timóteo considerados Presbíteros Atos 16,4.

12)-Testemunhos da Igreja Nascente

Clemente Romano (97 d.C)
“...Também os apóstolos sabiam, por Nosso Senhor Jesus Cristo, que haveria contestações a respeito da dignidade episcopal... além disso, instruções no sentido de que, após a morte deles, outros homens comprovados lhes sucedessem em seu ministério...” (Carta aos Coríntios capítulos 42 e 44)

Orígenes (185 - 254 d.C.)
“...O ensinamento da Igreja se impôs devido a uma ordem pela sucessão dos apóstolos e permanece nas igrejas até o presente momento...” (As Doutrinas Fundamentais 1, 2) http://www.apologistascatolicos.com.br/index.php/patristica/estudos-patristicos/629-pais-da-igreja-e-a-tradicao-apostolica

Acreditar nos testemunhos de Clemente e Orígenes (começo da Igreja), ou no testemunho de Lutero (1517)?

13)-Testemunho de Lutero

A mesma frase testemunhadas por 2 historiadores.

O'Brien e Grisar
"Há tantas seitas e crenças quantas cabeças. Um não terá nada a fazer com o batismo; outro nega o Sacramento; um terceiro acredita que há outro mundo entre este e o último dia. Alguns ensinam que Cristo não é Deus; " (Martinho Lutero, John A. O'Brien, Ed. Vozes, 1959, p.32) e Grisar, Luther, IV, 386-407, B. Herder, St. Louis, 1917.
http://eucaristiadiaria.blogspot.com.br/2013/01/lutero-em-sua-famosa-frase-ha-tantas.html

Em 1525, ele (Lutero) deplorava tristemente a anarquia a que o seu próprio princípio da interpretação privada da Escritura dera nascimento.

Duas frases de Lutero:

“Certamente Deus é grande e poderoso, ... mas é estúpido”. http://www.otumulovazio.com/seculo21/protestantes_lutero.html

"Uma vez você abre a porta ao erro, aí você não pode mais fechá-la."
http://www.veritatis.com.br/apologetica/protestantismo/1265-a-lamentavel-reforma-protestante

Infelizmente Lutero quebrou a corrente Imposição das Mãos, mas, felizmente a Igreja Católica Apostólica Romana seguiu o profeta Jeremias capítulo 33, versículo 18 (nunca faltará sacerdote). Quem impõe as mãos nos seguidores de Lutero? Desde quando é válida a imposição de dissidentes?

Depois disso dá para seguir os ensinamentos de Lutero?

14)-Questionamento Evangélico

“É tolice falar que os Bispos são sucessores dos Apóstolos”.
Eu então lhe pergunto, com que autoridade os Apóstolos de Cristo instituíram outro homem para preencher o ofício deixado por Judas?

(resposta católica) - Os apóstolos o fizeram com base na própria autoridade dada a eles por Cristo, justamente para cumprir o que Ele lhos havia ordenado, ou seja, pregar o Evangelho e edificar a Igreja.

José Francisco de Almeida
[email protected]


Como você se sente ao ler este artigo?
Feliz Informado Inspirado Triste Mal-humorado Bizarro Ri muito Resultado
10 0
PUBLICAR - COMENTAR - EMAIL -  FACEBOOK 

:-)