REFLEXõES (1072)'
     ||  Início  ->  
Artigo

Até quando a pedofilia será crime?

 

Antes que alguém desista de ler este texto por taxar como incoerente e ideológico, sentencio que a pedofilia trata-se de um crime horrendo que deve responsabilizar os agressores sem deixar de defender as timas. Pom não consigo entender porque as agências de notícias insistem em mostrar escândalos de pedofilia dentro do clero calico, como o fato da ONU estar agora cobrando responsabilidades do Vaticano por ocultar informações de crigos que tiveram envolvimentos em casos de pedofilia. Não que eu considere correto que alguns padres e religiosos cometam tais atrocidades, mas porque noto que nestes noticrios uma evidente intenção de denegrir a credibilidade religiosa e, acima de tudo, destruir a moral cristã-católica. Além disso, todo o discurso se centra na cobrança frente à Igreja de condenar os responsáveis e dela própria ser responsabilizada por omissão de informação ou por guardar certos segredinhos” que protejam seus padres pecadores.

 

Por outro lado, não sai nos noticrios a preocupação e defesa das timas. A propósito, em qualquer caso de injustiça neste país se gastam dias a fio discutindo sobre a condenação dos réus e poucos segundos sobre a defesa das timas. Ademais, não se comenta que o fato da Igreja se calar,escondendo segredinhos, significa que ela assim o faz para dar chance ao pecador se retratar, ainda mais porque estes mesmos que gostam de condenar esta instituição religiosa acreditam piamente que se Deus existe Ele não castiga, mas exerce a misericórdia. Não que eu esteja defendendo padre pedófilo, mas entendo que a postura da Igreja nestes casos é a mesma postura quando um pecador confessa um crime ao sacerdote em confissão e este fica impedido de relatar o que ouviu sob pena de excomunhão. Logo, a Igreja busca proteger o pecador porque talvez seja a única instituição que acredita na reabilitação do delinquente e crê que a ação divina pode intervir na pessoa e lhe restituir a dignidade perdida pelo pecado.

 

Além disso, nota-se uma agenda de destruição da moral cristã-calica com objetivo de destruição da nossa própria nação. Por isso a família é tão atacada e denegrida com incentivo a desuniões e novas uniões, adultérios e tantos outros meios que as novelas nos apresentam como meios de ser mais livre e feliz, pois se sabe que destruindo a instituição basilar de uma sociedade (a família) fica mais cil de dominar qualquer nação. No conjunto de meios de destruí-la está a tentativa de aprovar o aborto que constantemente é colocado em pauta, as uniões homoafetivas que são vistas como formas válidas e ótimas de família, a iniciação sexual incentivada a ser cada vez mais precoce e, de preferência, com os dois sexos (!) para saber afinal o que se quer escolher (hetero ou homo), a pornografia disseminada pela internet sem haver o mínimo esfoo por parte de nossos representantes de inibir esta prática, a eutanásia que aos poucos é colocada como uma realidade que visa eliminar a dor e o sofrimento, os animais que passam a possuir o mesmo status que os humanos e tantas outras novidades que destoam completamente da moral cristã que historicamente foi e é a base de nossa sociedade ocidental.

 

Logo, fica fácil deduzir que o próprio crime de pedofilia está com os dias contados, pois qual o problema de um marmanjo abusar de uma criancinha se ele está com vontade e se todos os outros contravalores foram incutidos em nossas mentes? Note que há uma profunda contradição entre os que defendem o fim da moral tradicional cristã com todas as suas implicações e a sacralização das criancinhas que não podem ser aliciadas (no mesmo nível contraditório se observam as campanhas para inibir o consumo de cigarros e a liberação da maconha). Assim, por um lado não é permitido moralmente a pedofilia, mas por outro pode-se prostituir a vontade, publicar e ver pornografia na internet como bem se entende, destruir famílias a granel, etc., pois estas ões sim é que são lícitas.

 

Poupe-me... Penso que o que falta para que a pedofilia seja admitida como moral por esta ideologia anticristã é que por hora ela é útil para denegrir uma das raras instituições que ainda defende a família, a moral e os bons costumes: a Igreja Calica Apostólica Romana.

 

Ggori Lopes Siqueira - Seminarista, formado em filosofia e estudante de Teologia Santa Maria-RS


Como você se sente ao ler este artigo?
Feliz Informado Inspirado Triste Mal-humorado Bizarro Ri muito Resultado
5 1
PUBLICAR - COMENTAR - EMAIL -  FACEBOOK 

:-)