AMAR A ESPOSA DE CRISTO

 

“Todos os que no mundo inteiro tem o nome de cristão e conhecem verdadeiramente a fé cristã, sabem e creem que São Pedro, o príncipe dos apóstolos, é o pai de todos os cristãos e o primeiro pastor, depois de Cristo, e que a Santa Igreja Romana é a mãe e mestra de todas as Igrejas”.

São Gregório Magno

Papa e Doutor da Igreja

 

A Igreja está fundamentada em Cristo e sobre os apóstolos e profetas (Ef 2,20; Ap 21,14), tendo São Pedro Apóstolo– o primeiro papa – e São Paulo Apóstolo o primeiro e grande missionário como também o maior teólogo da Igreja de todos os tempos. A festa, ou melhor, a solenidade dos santos apóstolos Pedro e Paulo no dia 29 de junho é nossa celebração de agradecimento a Jesus Cristo pelo Seu grande presente para nós e para Sua santa Igreja. Nesta data também comemoramos o Dia do Papa, o nosso amado Pastor Universal.


A Igreja é o corpo de Cristo (Ef 1,22-23) e Sua noiva (Ef 5, 25–27; Ap 22,17). Ela foi fundada pelo próprio Jesus (Mt 16, 18; At 4,11). Ela pertence ao Senhor Jesus, e está sendo construída por Ele (Mt 16,18). Jesus chama a Igreja de “Minha Igreja”. Ele deu a Pedro, e aos seus sucessores, as chaves da Igreja e, consequentemente, as chaves do reino dos céus (Mt 16,19). Ela tem a autoridade de Jesus par a ligar e desligar, e para atacar e derrubar as portas do inferno (Mt 16, 18 – 19). É a “família de Deus” (Ef 2,19), bem como “a coluna e o sustentáculo da verdade” (1 Tm 3,15). É a Igreja povo de Deus (1 Pd 2,9-10).


A Igreja é “a plenitude d’Aquele que preenche o universo em todas as suas partes” (Ef 1,23). Nosso Senhor exalta a Igreja por se identificar com ela. Ele proclama que, se ouvirmos a Igreja, nós ouviremos a Ele (Lc 10, 16), e, se a perseguimos, estaremos perseguindo a Ele (At 9,4). Considerando o que o Senhor Jesus nos revelou sobre Sua Igreja, devemos amá-la como Jesus o faz, e dar nossa vida por ela (Ef 5,25).

 

A GLÓRIA DE FAZER PARTE DA IGREJA


“Mas para que não nos deixemos enganar pelo anjo das trevas, transfigurado em anjo da luz, seja esta a suprema lei do nosso amor, amar a Esposa de Cristo tal como Cristo a quis e a adquiriu com seu sangue. Portanto não só devemos amar sinceramente os sacramentos, com que a Igreja, mãe extremosa, nos sustenta, e as solenidades com que eleva as nossas almas às coisas do céu, mas também os sacramentos e os vários exercícios de piedade com que suavemente impregna do Espírito de Cristo e conforta as almas. Realmente não há coisa mais gloriosa, mais honrosa, mais nobre, que fazer parte da Igreja, santa, católica, apostólica, Romana, na qual nos tornamos membros de tão verdadeiro Corpo; nos governa uma tão excelsa Cabeça; nos inunda o mesmo Pão dos Anjos nos alimenta neste exílio terreno, até que finalmente vamos gozar no céu da mesma bem-aventurança sempiterno” (Papa Pio XII. Encíclica Mystici Corporis).

 

CONCLUSÃO


A Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo no século XXI é parte fundamental da religião do amor, da revolução mística abissal e do ecumenismo evangélico e social.


O século XXI é considerado o século da revelação da verdade, e a Igreja é o ícone da verdade libertadora de todo o sistema de escravidão e perdição.


Amar Jesus Cristo é amar a Sua Igreja e caminhar com ela na realização da sua missão evangelizadora do Reino de Deus.

 

Pe. Inácio José do Vale

Professor de História da Igreja

Instituto Teológico Bento XVI

EFOR-Escola de Formação de Resende

Sociólogo em Ciência da Religião

E-mail: [email protected]


Como você se sente ao ler este artigo?
Feliz Informado Inspirado Triste Mal-humorado Bizarro Ri muito Resultado
6 0
PUBLICAR - COMENTAR - EMAIL -  FACEBOOK 

:-)