O GRANDE PODER DA SANTA MISSA

“Quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem vida eterna” (Jo 6,54).

“A Eucaristia é a carne de nosso Salvador Jesus Cristo”, Afirma Santo Inácio de Antioquia.

“A Eucaristia não é somente e simplesmente” “celebração de um tremendo sacrifício”, mas “dom de imortalidade e penhor de vida eterna”, diz São Cirilo de Alexandria.

O ínclito Frei Leonardo de Porto-Mauricio, em sua magna obra As Excelências da Santa Missa, dedicada com estimada honra ao Papa Clemente XII, escreve: “Os tesouros, por grandes e preciosos que sejam não podem ser estimados se não forem conhecidos. Eis porque, caro leitor muitos não tem pelo santo Sacrifício da Missa o amor que deveriam ter, porque este tesouro, A MAIOR MARAVILHA e a MAIOR RIQUEZA da IGREJA DE DEUS é um TESOURO OCULTO um tesouro muito pouco conhecido. Ah! Se todos conhecessem esta preciosidade celeste, tudo sacrificariam para adquiri-la. A exemplo do mercador do Evangelho, cada um, de boa vontade, daria tudo que possuísse para obter tão precioso tesouro. (Mt 13,46)”  (*).

 

A SANTA MISSA NOS LIVRA DOS MALES

Acreditai que, além dos favores que solicitamos na Santa Missa, nosso boníssimo Deus nos concede muitos outros sem que os peçamos.

É o que ensina claramente São Jerônimo: “Sem dúvida alguma, o Senhor nos dá todas as graças que pedimos na Santa Missa, contanto que nos sejam de vantagem; mas, o que é mais vezes nos dá o que não pedimos”.

Podemos dizer, por isso, que a Santa Missa é o sol do gênero humano espalhando seus raios sobre os bons e sobre os maus, e alma não há tão pérfida sobre a terra, que, assistindo à Santa Missa, dela não aufira qualquer grande bem, e muitas vezes mesmo sem nele pensar ou pedi-lo. Santo Antônio de Pádua conta que um dia dois jovens libertinos passeavam numa floresta. Um deles havia assistido à Santa Missa e o outro não. Levantou-se subitamente furiosa tempestade, e no meio dos trovões e relâmpagos ouviram eles uma vos que clamava: “Mata! Mata!” No mesmo instante o raio esbraseou o ar e feriu aquele que não assistira à Santa Missa.

O companheiro apavorado prosseguiu o caminho, buscando um refúgio, quando ouviu novamente a mesma voz, que repetia. “Mata! Mata!” O pobre rapaz nada mais esperava senão a morte. Outra voz, porém, respondeu: “Não posso, pois ele assistiu a Santa Missa. A Santa Missa a que ele assistiu impede-me de feri-lo”.

Oh! Quantas vezes Deus não vos livrou da morte, ou pelo menos, de numerosos e graves perigos, graças às Santas Missas a que tiverdes assistido! Disso nos assegura São Gregório Magno no quarto de seus Diálogos, diz o santo Doutor: “Sim, é verdade que aquele que assiste devotamente à Santa Missa Será preservado de muitos males e perigos, se bem que disto não se aperceba”.

Afirma: São Gregório, “uma pessoa que assiste com devoção à Santa Missa conserva sua alma no caminho reto”. Cresce sempre em mérito e em graça, e faz na virtude novos progressos, que o tornam agradável ao Senhor Deus.

O grande Bispo e Doutor da Igreja Santo Agostinho chega afirmar sobre a preservação da morte súbita, o golpe mais terrível com que a justiça Divina fere os pecadores. Diz ele: “Assistir todos os dias a Santa Missa e com toda a devoção possível. Quem se munir de tão eficaz salvaguarda viverá sem temor dessa terrível desgraça”.

De acordo com São Bernardo de Claraval, se ganha assistindo a uma única Santa Missa (se considerar seu valor intrínseco), do que distribuindo a fortuna aos pobres e peregrinando a todos os santuários mais famosos da Terra.

Exclama São Bernardo: “Ó tesouro incalculável da Santa Missa! Compreendei bem esta verdade: podemos merecer mais assistindo ou celebrando uma só Santa Missa, se a considerarmos em si mesma e em todo o seu valor intrínseco, do que se distribuíssemos nossa fortuna aos pobres, e em seguida partíssemos a percorrer o Mundo como peregrinos, visitando com a maior das devoções os santuários de Jerusalém, Roma, Compostela, Loreto, etc”.

O célebre teólogo Santo Tomás de Aquino nos garante que na Santa Missa estão encerrados todos os frutos, todas as graças e todos os imensos tesouros tão abundantemente espalhados pelo Filho de Deus sobre a Igreja, sua Esposa, no Sacrifício cruento da Cruz. Diz ele: “A Eucaristia é o milagre supremo do Salvador; é o dom soberano do Seu amor”.

“De fato, comungando o corpo e o sangue de Jesus Cristo, vamo-nos tornando participantes da vida divina de modo sempre mais adulto e consciente”, afirma o Papa Bento XVI em Sacramentum  Caritatis, n.70.

São Dionísio diz que o sacramento da Eucaristia tem poder de santificar as pessoas mais do que todos os outros meios espirituais.

São Vicente Ferrer escreveu que maior proveito se tira da comunhão, do que de uma semana de jejum a pão e água.

Conta-se que São Venceslau, ao visitar as igrejas onde estava o Santíssimo Sacramento, transformava-se exteriormente a ponto de chamar a atenção de quem o seguia. Por isso, diz São João Crisóstomo: “O Santíssimo Sacramento é fogo que nos inflama de modo que, comungando sacramentalmente, espargimos tais chamas de amor que tornam terríveis ao inferno”.

Ensinam os Santos Padres: “os Anjos circundam o comungante, para continuarem a adorar a JESUS, num amor incessante”.

São Bernardo escreve: “Quando comungamos sacramentalmente, os Santos Anjos montam guarda, ao redor de nós, em honra a JESUS”.

“Na Santa Comunhão JESUS se dá todo à pessoa que comunga, e o comungante á todo d’Ele”.

Com a Santa Eucaristia, sim, não só tudo podemos, mas até obtemos o que deveria encher-nos de espanto e comover-nos, a saber, a nossa identificação com JESUS, como nos diz Santo Agostinho: “Não somos que transformamos JESUS CRISTO em nós, como fazemos com os outros alimentos que comemos, mas é JESUS CRISTO que nos transforma Nele”.

 

AMOR SEM LIMITES PELA EUCARISTIA

O apóstolo da adoração perpétua ao Santíssimo Sacramento São Pedro Julião Eymard disse: “A Eucaristia é a mais nobre inspiração do nosso coração. Amemo-la, pois apaixonadamente. Tende um amor apaixonado pela Eucaristia, amai Nossa Senhora no Santíssimo Sacramento com todo ardor que se ama no mundo, mas por motivos sobrenaturais”.

“Nos sinais humildes do pão e do vinho transubstanciados no seu corpo e sangue, Cristo caminha conosco, como nossa força e nosso viático, e torna-nos testemunhas de esperança para todos. Se a razão experimenta os seus limites diante deste mistério, o coração iluminado pela graça do Espírito Santo intui bem como comportar-se, entranhando-se na adoração e num amor sem limites”, escreve o Papa João Paulo II em Ecclesia Eucharistia, n. 62.

O patrono dos padres, São João Maria Vianney, o Cura d’Ars disse: “Se soubéssemos o que é a Missa, morreríamos de amor”.

 

CONCLUSÃO

Pela Santíssima Eucaristia temos força para caminhar na estrada da santificação. No poder da Santa Missa tornamo-nos cristãos vitoriosos e libertos do império das trevas. Jamais perdemos o sentido da vida no Sacramento do Altar. Toda verdadeira felicidade se encontra na Eucaristia. Esta fortalece a alma com desejo ardente de vida eterna.

É em cada Missa que recebemos graça de sermos santos e a virtude de testemunhar o amor de Deus. Tudo se renova nesse grande mistério da nossa santíssima fé.

“Graças à Eucaristia, os santos viveram levando o amor de Deus ao mundo de maneiras e formas sempre novas”. (Papa Bento XVI, homilia na Basílica de São João de Latrão, 07/05/2005).

Os Santos Padres afirmam que “verdadeiramente a Santíssima Eucaristia é a única e a maior oração dos cristãos – é a oração das orações”.

 

ORAÇÃO EUCARÍSTICA

Graças vos sejam dadas, meu bom Jesus, Pastor Eterno, que vos dignais sustentar-nos a nós, pobres pecadores e desterrados, com Vosso Precioso e Santíssimo Corpo e Sangue, e até convidar-nos, com palavras de vossa própria boca, a participação desses mistérios, dizendo: “Vinde a mim todos os que sofreis e estais oprimidos e eu vos aliviarei”. Amém.

Pe. Inácio José do Vale

Professor de História da Igreja

Pregador de Retiros Espirituais

Especialista em Ciência Social da Religião

E-mail: [email protected]

 

 

BIBLIOGRAFIA

 

(*) Porto-Maurício, Frei Leonardo de. As Excelências da Santa Missa, Belo Horizonte: Editora da Divina Misericórdia, s/d. pp. 3 e 4.

 

Gambarini, Pe. Alberto. O Milagre da Eucaristia para você, São Paulo: Ágape, 2005.

 

Carta Encíclica, Ecclesia Eucharistia do Papa João Paulo II, 17/04/2007.

 

Exortação Apostólica Pós-Sinodal Sacramentum Caritatis do Papa Bento XVI, 22/02/2007.

 

Apostila, Eucaristia e Reino de Deus, Ioannis Zizioulas, tradução: Pe. José Artulino Besn, ITESC. Florianópolis – SC, s/d.

 


Como você se sente ao ler este artigo?
Feliz Informado Inspirado Triste Mal-humorado Bizarro Ri muito Resultado
7 1
PUBLICAR - COMENTAR - EMAIL -  FACEBOOK 

:-)