Católicos Online - - - - AVISOS -


...

Pergunte!

e responderemos


Veja como divulgar ou embutir artigos, vídeos e áudios em seu site ou blog.




Sua opinião é importante!









Sites Católicos
Dom Estêvão
Propósitos

RSS Artigos
RSS Links



FeedReader



Download







Cursos do Pe Paulo Ricardo


Newsletter
Pergunte!
Fale conosco
Pedido


PESQUISAR palavras
 

PERGUNTE E RESPONDEREMOS 520 – outubro 2005

Instrução Pastoral:

 

FIDELIDADE AO PAPA

 

Em síntese: O Sr. Bispo D. Fernando Areas Rifan, da Administração Apostólica São João Maria Vianney, exorta os fiéis a cultivar fidelidade ao Papa Bento XVI. Tal documento é importante porque provém de uma corrente de clérigos e leigos que até o ano de 2002 não reconheciam a autoridade dos Papas posteriores a Pio XII (+1958).

 

A Administração Apostólica Pessoal São João Maria Vianney reúne fiéis - clérigos e leigos - que até o ano de 2002 não aceitavam a autoridade dos Papas posteriores a Pio XII (+1958) ([1]). Atualmente, estando em plena comunhão com a Santa Sé, esses fiéis são exortados a guardar fidelidade ao Papa dentro do seu âmbito caracterizado pela celebração da S. Missa segundo o rito de São Pio V. Com efeito, por ocasião da eleição do Papa Bento XVI, o Administrador Apostólico Dom Fernando Arêas Rifan quis publicar uma Instrução Pastoral datada de 24/04/05; pela qual exorta os fiéis a guardar fidelidade ao Papa Bento XVI. - A seguir, vai publicada a primeira parte do texto dessa Instrução.

 

Dom Fernando Arêas Rifan,

por mercê de Deus e da Santa Sé Apostólica,

Bispo titular de Cedamusa, Administrador Apostólico

da Administração Apostólica Pessoal São João Maria Vianney,

ao Revmo. Clero, aos seminaristas, às Revdas. Religiosas, à Venerável Ordem Terceira de Nossa Senhora do Monte Carmelo, às Associações Religiosas, Caritativas e de Apostolado, às Entidades Sociais e aos demais fiéis da nossa Administração Apostólica,

saudação, paz e bênçãos em Nosso Senhor Jesus Cristo.

 

Caríssimos cooperadores e amados filhos,

 

No início deste Pontificado do Santo Padre o Papa Bento XVI, toda a nossa Administração Apostólica Pessoal São João Maria Vianney vem expressar, junto com seus cumprimentos, seu respeito, dedicação e inteira submissão ao Santo Padre, no qual vemos o sucessor de São Pedro, a pedra sobre a qual Nosso Senhor edificou a sua Igreja, o Vigário de Cristo na terra, o "princípio perpétuo e o fundamento visível da unidade na Fé e na Caridade da Igreja" (Concílio Ecumênico Vaticano I, Constituição Dogmática "Pastor Aeternus" Denz-Schõn. 3051 - cf. Concílio Ecumênico Vaticano II, Constituição Dogmática "Lúmen Gentium" 18).

 

Nossa Administração Apostólica Pessoal São João Maria Vianney, conforme reza o Decreto de ereção "Animarum Bonum" da Congregação para os Bispos n. I, foi constituída "por mandato especial do Sumo Pontífice", ficando "equiparada pelo direito às Dioceses imediatamente sujeitas à Santa Sé". Sendo eu Administrador Apostólico desta nossa Igreja Particular (CDC cânon 368), governando esta "porção do povo de Deus em nome do Romano Pontífice" (CDC cânon 371 § 2), lembro a todos que o Santo Padre o Papa é o verdadeiro Bispo desta nossa Administração Apostólica, do qual sou representante. A ele, portanto, toda a nossa homenagem de respeito, veneração e obediência, devida ao nosso supremo Pastor.

 

Nesta nossa Instrução Pastoral, queremos recordar a doutrina da Igreja sobre o Romano Pontífice, expressa nos documentos do seu Magistério, que é, para nós, "a norma próxima e universal da verdade" (Pio XII, Ene. Humani Generís, 18). Sendo, portanto, documentos da Igreja docente, promulgados sob a assistência do Divino Espírito Santo, devem ser acatados com plena e cordial aceitação por toda a Igreja.

 

Muitos desses importantes ensinamentos, por causa da presente crise na Igreja e no mundo, são descuidados ou esquecidos, facilitando o surgimento de um clima generalizado de desconfiança com relação à Hierarquia da Igreja e da tentação de se erigir outras normas e fontes da ortodoxia, que não o Magistério da Igreja.

 

É muito oportuna e atual a grave advertência do Santo Padre Pio XII: "Em erro perigoso estão, pois, aqueles que julgam poder unir-se a Cristo, cabeça da Igreja, sem aderirem fielmente ao seu Vigário na terra. Suprimida a cabeça visível e rompidos os vínculos visíveis da unidade, obscurece-se e deforma-se de tal maneira o corpo místico do Redentor, que não pode ser visto nem encontrado por quem procura o porto da eterna salvação" (Encíclica Mystici Corporis, 40).

 

O início do novo Pontificado é ocasião propícia para recordarmos, como filhos da Igreja, este ponto da doutrina católica perene e reacender em nossos corações uma filial devoção ao Santo Padre o Papa, "o doce Cristo na terra", na expressão de Santa Catarina de Sena.

 

Para melhor compreensão dos fiéis, apresentamos esses ensinamentos, que fazemos nossos, em forma de um "Catecismo sobre o Papa e o Magistério da Igreja"  (*). E assim, com ele, rendemos nossa homenagem ao Santo Padre, o Papa Bento XVI, a quem desejamos um profícuo ministério na Cátedra de São Pedro.

 

A Igreja é o corpo místico de Cristo. Como tal, ela reproduz, por assim dizer, a condição divino-humana de Jesus, seu "Fundador, Cabeça, Conservador e Salvador" (Pio XII, ene. Mystici Corporis, 24). Assim como em Jesus nós não podemos nos fixar apenas na sua parte humana, mas devemos nos elevar, através da Fé, à sua natureza divina, também com relação à Igreja nós não podemos nos fixar apenas na sua parte humana, nas pessoas que a compõem, mas nos elevarmos à sua parte divina, sua divina instituição, assistência, doutrina, segurança e indefectibilidade. Quem se fixasse apenas na humanidade de Jesus, poderia até duvidar de sua divindade. Assim também, quem se fixar demasiadamente na parte humana da Igreja, esquecendo-se de sua divindade, poderá soçobrar na Fé.

 

De modo especial, com relação ao Santo Padre, o Papa, devemos nos conduzir sempre por um grande espírito de Fé, vendo no Papa sempre o Vigário de Jesus Cristo na terra e ouvir suas palavras como sendo as do Divino Mestre: "Quem vos ouve, a mim ouve, quem vos despreza, a mim despreza" (Lc 10, 16).

 

E esta nossa submissão e mesmo devoção ao Santo Padre, o Papa, na teoria e na prática, são necessárias para evitarmos todo perigo de cisma. Santo Tomás de Aquino nos ensina: "São chamados cismáticos aqueles que se recusam a se submeter ao Sumo Pontífice e aqueles que se recusam a viver em comunhão com os membros da Igreja, a ele sujeitos" (2a-2ae, q. 39, art. 1). E o célebre teólogo espanhol Francisco Suarez ensina que há vários modos de se tornar cismático: "sem negar que o Papa é o chefe da Igreja, o que já seria heresia, age-se como se ele não o fosse: é o modo mais freqüente..." (De Charitate, disp. 12, sect. I, n.2, t. XII, p. 733, in Opera Omnia).

 

Sejamos verdadeiramente católicos, guardando integralmente a doutrina do Magistério da Santa Igreja, evitando, na teoria e na prática, qualquer heresia ou cisma, e tudo o que desses erros se aproxima ou a eles conduz.

 

Confiamos esta nossa Instrução Pastoral ao Coração Imaculado de Maria, Rainha dos Apóstolos e Mãe da Igreja, pedindo que ela nos conceda uma completa e perfeita adesão à doutrina católica e o verdadeiro sentir com a Igreja.

 

Campos dos Goytacazes, 24 de abril de 2005 -

Festa do mártir da Fé, São Fidélis de Sigmaringa. -

Início do Pontificado do Santo Padre, o Papa Bento XVI

+ Dom Fernando Areas Rifan

Bispo Titular de Cedamusa e Administrador Apostólico.

 

 

(*) Por falta de espaço não publicamos esse Catecismo (N.d.R.)

 

 

Dom Estêvão Bettencourt (OSB)



[1] Ver a propósito PR 483/2002, pp. 350ss.


Pergunte e Responderemos - Bíblia Católica - Catecismo
Como você se sente ao ler este artigo?
Feliz Informado Inspirado Triste Mal-humorado Bizarro Ri muito Resultado
5 0
PUBLICAR - COMENTAR - EMAIL

Ver N artigos +procurados:
TÓPICO  ASSUNTO  ARTIGO (leituras: 9430867)/DIA
PeR  Escrituras  1355 Jesus jamais condenou o homossexualismo?82.37
Diversos  Prática Cristã  3780 Os pecados mortais mais comuns22.92
Orações  Comuns  2773 Oração de Libertação15.26
Diversos  Apologética  4169 Comer sua carne literalmente?14.20
Aulas  Doutrina  1497 Ser comunista é motivo de excomunhão?13.76
Diversos  História  4042 R.R. Soares e Edir Macedo13.62
PeR  O Que É?  0516 O Que é a ADHONEP?13.20
PeR  História  0515 O Recenseamento sob César Augusto e Quirino12.08
Diversos  Protestantismo  1652 Desafio aos Evangélicos: 32 Perguntas11.21
PeR  O Que É?  2142 Quiromancia e Quirologia10.85
Diversos  Prática Cristã  3185 Anticonceptivos são Abortivos?10.64
Pregações  Protestantismo  4167 Onde está na Bíblia ...10.05
Pregações  Mundo Atual  4170 A Ditadura do Relativismo9.91
Diversos  Apologética  3729 Desmascarando Hernandes Dias Lopes8.68
Vídeos  Testemunhos  3708 Terra de Maria8.37
PeR  Prática Cristã  1122 As 14 estações da Via Sacra7.87
Diversos  Ética e Moral  2832 Consequências médicas da homossexualidade7.84
PeR  Escrituras  2389 O Pai Nosso dos Católicos e dos Protestantes7.82
PeR  O Que É?  0565 Lei Natural, o que é? Existe mesmo?7.72
PeR  História  2571 Via Sacra, qual a origem e o significado?7.71
PeR  O Que É?  1372 Eubiose, que é?7.52
PeR  Filosofia  0085 De Onde Viemos? Onde Estamos? Para Onde Vamos?7.40
PeR  Testemunhos  0450 Eu Fui Testemunha de Jeová6.94
Pregações  Apologética  4171 Há cristianismo sem Igreja?6.92
Antigamente, as pessoas eram mais resignadas ao sofrimento e à cruz. Hoje, há a ilusão de conseguir vencer o sofrimento, a dor e a morte por meio da tecnologia... e queremos ser felizes aqui e agora. Mas, Jesus nunca prometeu a felicidade aqui, quem promete isso é o diabo.
Padre Paulo Ricardo

Católicos Online