Católicos Online - - - - AVISOS -


...

Pergunte!

e responderemos


Veja como divulgar ou embutir artigos, vídeos e áudios em seu site ou blog.




Sua opinião é importante!









Sites Católicos
Dom Estêvão
Propósitos

RSS Artigos
RSS Links



FeedReader



Download







Cursos do Pe Paulo Ricardo


Newsletter
Pergunte!
Fale conosco
Pedido


PESQUISAR palavras
 

Pregações: Liturgia - Música e Liturgia - por Padre Paulo Ricardo

(áudio)

Música e Liturgia

Padre Paulo Ricardo responde à pergunta: 'É lícito bater palmas, dançar e tocar ritmos como rock ou funk durante a Santa Missa?'
Rock, danças, bateria e palmas pode?

Como escolher músicas que respeitem o caráter litúrgico?
Vejamos os princípios básicos para essa escolha.

O que é a música litúrgica?
Papa Paulo VI: existe um louvor que é feito a Deus na eternidade e Jesus, encarnando, trouxe consigo esse canto.
Deus veio até nós e trouxe consigo o céu para nós e isso é vivido na celebração eucarística em que somos megulhados no mistério pascal.
O mistério da Eucaristia louva a Deus e faz com que o homem se abaixe, tome a cruz da humildade para que Deus esteja no centro eseja louvado.

Por que dizemos que a Eucaristia é o sacrifício de Cristo na cruz de forma incruenta? De que forma nos unimos ao sacrifício de Cristo na cruz?
A Eucaristia é colocar Deus no centro, na adoração, quando nos esvaziamos e damos glória a Deus. Esta é a união concreta da assembléia celebrativa por meio do sacerdote ao fazer esse sacrifício de louvor.
Essa é a teologia da celebração eucarística.

É preciso colocar Deus no centro e não o homem. O Papa Bento VI já alertou para isso várias vezes.
Algumas liturgias cometem esse engano onde comunidades alegres e celebrativas, mas esquecidas de Deus, colocam o homem no centro, fazendo seu carnaval dentro da igreja. E onde está o louvor e a adoração, a união ao sacrifício de Cristo na cruz para chegar até a glória?
Esse sacrifício de louvor é típico da celebração eucarístico.

Se a música nos tira da atitude de adoração e nos insere numa dinâmica física de sensualidade, de ritmos corporais, de dispersão, ela não glorifica Deus.
Querer introduzir na liturgia músicas populares para atrair mais pessoas para dentro da Igreja é um erro, pois a Igreja não é um concurso topa-tudo para encher o ônibus da Igreja.

Cristão que se deixa iludir e diluir pelo mundo, torna-se sal que não salga.
É preciso deixar a pretensão de ser o centro de tudo e colocar Deus no centro, pois esta é a atitude adoradora correta.
Na liturgia católica a música deve seguir esta finalidade, conduzir a essa atitude de culto, louvor e adoração.

O Concílio Vaticano 2 nos recorda da importância do canto gregoriano na liturgia.
Ele nos diz claramente que a Igreja deve manter o seu patrimônio litúrgico (Constituição Sacrosanctum Concilium):

No 112: "A tradição musical da Igreja é um tesouro de inestimável valor que excede todas as outras expressões de arte sobretudo porque o canto sagrado intimanmente unuido ao texto constitui parte necessária ou integrante da liturgia solene".
No 116: "A Igreja reconhece como próprio da liturgia romana o canto gregoriano e terá este, por isso, na ação litúrgia, o primeiro lugar".

Como está nossa aplicação (no Brasil) do CV2?
Os fiéis devem aprender as músicas mais tradicionais em gregoriano, inspirados na tradição litúrgica de 2000 anos.

Devemos evitar qualquer modalidade de canto que não esteja em sintonia com essa ação litúrgica. É importante recordar mais uma vez: ritmos e tipos de música devem estar em sintonia com o princípio de adorar a Deus e evitar os que dispersam.
Palavras de louvor no rock não louvam a Deus.
Músicas em que o ritmo é colocado acima da harmonia e da melodia não são apropriadas.
Músicas excessivamente ritmadas que provocam reações físicas perturbam a alma e devem ser evitadas.
Devem-se escolher músicas suportadas por melodias e harmonias com ritmos subalternos que conduzam à adoração e à Deus.

Fonte: site Christo Nihil Praeponere

Revista Católicos Online - Bíblia Católica - Catecismo
Como você se sente ao ler este artigo?
Feliz Informado Inspirado Triste Mal-humorado Bizarro Ri muito Resultado
9 1
PUBLICAR - COMENTAR - EMAIL
#0•A838•C53   2011-09-09 15:33:14 - Convidado/[email protected]
Gostei muito da esplanação feita pelo Pe. Paulo Ricardo a respeito de como deve ser feita a celebração eucaristica no que se refere as músicas.
Tem como mandar para mim o vídeo, pois gostaria de apresentar aos músicos de minha paróquia.
Caso não seja possível, onde posso encontrar um vídeo semelhante?

Responder


Ver N artigos +procurados:
TÓPICO  ASSUNTO  ARTIGO (leituras: 8927226)/DIA
PeR  Escrituras  1355 Jesus jamais condenou o homossexualismo?32.23
Diversos  Prática Cristã  3780 Os pecados mortais mais comuns17.25
Orações  Comuns  2773 Oração de Libertação15.01
Aulas  Doutrina  1497 Ser comunista é motivo de excomunhão?13.48
PeR  O Que É?  0516 O Que é a ADHONEP?12.94
PeR  História  0515 O Recenseamento sob César Augusto e Quirino11.89
Vídeos  Milagres  4159 Imagens intactas em catástrofes!11.52
Diversos  História  4042 R.R. Soares e Edir Macedo11.38
PeR  O Que É?  2142 Quiromancia e Quirologia11.03
Diversos  Protestantismo  1652 Desafio aos Evangélicos: 32 Perguntas10.95
Diversos  Prática Cristã  3185 Anticonceptivos são Abortivos?9.77
PeR  História  2571 Via Sacra, qual a origem e o significado?8.02
PeR  Prática Cristã  1122 As 14 estações da Via Sacra7.94
Diversos  Ética e Moral  2832 Consequências médicas da homossexualidade7.83
Vídeos  Doutrina  4160 Tudo está consumado7.82
PeR  O Que É?  0565 Lei Natural, o que é? Existe mesmo?7.61
Diversos  Testemunhos  3922 Como o estudo da fé católica levou-me ao catolicismo7.43
PeR  Escrituras  2389 O Pai Nosso dos Católicos e dos Protestantes7.42
Diversos  Apologética  3729 Desmascarando Hernandes Dias Lopes7.26
Vídeos  Testemunhos  3708 Terra de Maria7.13
PeR  Filosofia  0085 De Onde Viemos? Onde Estamos? Para Onde Vamos?7.08
PeR  Testemunhos  0450 Eu Fui Testemunha de Jeová6.99
Diversos  Anjos  3911 Confissões do demônio a um exorcista6.97
PeR  O Que É?  1372 Eubiose, que é?6.86
Se Cristo veio ao mundo para salvar e não para condenar (cf. Jo 3,17), a existência da Igreja visível de Cristo não poderia ser motivo de condenação para a maioria do gênero humano, que talvez não lhe pertença visivelmente, mas certamente lhe pertence invisivelmente.
Dom Estêvão Bettencourt

Católicos Online