Católicos Online - - - - AVISOS -


...

Pergunte!

e responderemos


Veja como divulgar ou embutir artigos, vídeos e áudios em seu site ou blog.




Sua opinião é importante!









Sites Católicos
Dom Estêvão
Propósitos

RSS Artigos
RSS Links



FeedReader



Download







Cursos do Pe Paulo Ricardo


Newsletter
Pergunte!
Fale conosco
Pedido


PESQUISAR palavras
 

Diversos: Apologética - Cruz e Sofrimento - por Carlos Ramalhete

CRUZ E SOFRIMENTO

Um protestante perguntou-me algumas coisas sobre a devoção à imagem de Cristo na Cruz. Eis as perguntas e as respostas:

1- Pergunta: Se podemos cultuar o Cristo ressuscitado, vivo, por que também cultuar o Cristo morto?

Resposta: Porque Ele morreu por nós. Nós esperamos ressuscitar com Ele, mas não podemos nos esquecer de que Ele morreu por nós.

Não se pode ressuscitar sem morrer, e isto é evidente. Mas por quê lembrar-se da Cruz?
Porque a Cruz era a forma usada pelos romanos para matar os piores criminosos. Porque a morte de cruz, no judaísmo, equivale a uma terrível maldição.

Jesus é Deus que se fez homem por nós, e por nós morreu uma morte horrível e ignominiosa.
O Sacrifício da Missa é o mesmo Sacrifício feito por Cristo na Cruz.

No Templo dos judeus, eram feitos sacrifícios cruentos, sacrifícios sanguinolentos de animais vivos. Os sacrifícios tinham simultaneamente função expiatória (limpar-se das impurezas, do pecado) e de louvor. As mulheres judias, quando nascia um filho , sacrificavam dois cordeiros ou dois passarinhos. Um era um sacrifício de ação de graças pelo nascimento da criança. O outro era um sacrifício expiatório, para anular a promessa inconsciente de nunca mais ter outro filho, feita pela mulher entre as dores do parto.
Nossa Senhora, para não ser motivo de escândalo, fez o segundo sacrifício também.

Jesus é o Cordeiro de Deus. O Cordeiro é o animal sacrificial por excelência, substituto de Isaac no sacrifício de Abraão. Cristo foi condenado pelos sumos-sacerdotes do Templo, e morreu no monte Calvário, que faz parte da área do Templo, da área em que um sacrifício seria válido.

O Sacrifício de Cristo na Cruz foi o último sacrifício necessário da Antiga Aliança - poucos anos depois do Sacrifício de Cristo, o Templo foi destruído (na mesma data em que fora destruído o Primeiro Templo) e o sacrifício cruento cessou para sempre.

O Sacrifício de Cristo na Cruz é até hoje perpetuado realmente e de maneira incruenta (sem mortes de bichos, sem derramamento de sangue e fogo) na Missa. Quando o padre diz o "Per Ipsum" ("Por Cristo, Com Cristo e em Cristo, a Vós Deus Pai Todo-Poderoso, na unidade do Espírito Santo, toda Honra e toda a Glória, agora e para sempre, amém"), ele está agindo "in persona Christi", na pessoa de Cristo.
Ele é Cristo, oferecendo-se em sacrifício na Cruz por todos nós.

É fácil imaginarmos cenas alegres e pastoris com Cristo chamando as criancinhas, e é fácil e agradável tê-las em torno de si.
Mas ao vermos diante de nós a imagem de Nosso Senhor agonizando na Cruz, vemos por que caro preço fomos comprados, e buscamos ser dignos, com o Seu auxílio, de recebê-lO em nossa casa. Sabemos que nossos pecados Lhe são dolorosos, e sabemos que somos pecadores.

Sabemos que temos que suportar nossas cruzes com amor, e temos que ajudá-lo como o Cirineu o ajudou.
Sabemos que Ele abraçou a Sua Cruz, mas no caminho por três vezes caiu. Assim sabemos que devemos ajudar nossos irmãos que caem, e sabemos que podemos sempre nos levantar mais uma vez.
Sabemos que a Ele devemos nossas alegrias, e a Ele dedicamos nossas tristezas.

A Cruz é o caminho do cristão. A ressurreição é a recompensa final, mas antes dela temos nossas cruzes a carregar. Se refugarmos as nossas cruzes, colocamo-nos entre aqueles que diziam "crucifiquem-no, crucifiquem- no!"...


2- Pergunta: Os braços abertos, para receber todos aqueles que o buscam... "Vinde a Mim, todos vós que estais cansados e sobrecarregados, que Eu vos aliviarei" (Mateus 11.28), partem do Cristo na cruz ou do Cristo que não está mais lá, pois ressuscitou?

Resposta: Do Cristo, Eterno Filho do Pai. Jesus falou isso antes de morrer na Cruz, diga-se de passagem, e pouco antes ele lembra da necessidade de penitência (Mt 11,20-24). Além disso, Deus não está sujeito ao tempo.
Jesus na Cruz suporta os nossos pecados. Jesus na Cruz agoniza por nossos orgulhos e por nossas desonestidades. Cristo ressuscitou e nos mostrou para onde devemos ir. Devemos segui-lO, a Ele que é o Caminho, a Verdade e a Vida. Devemos segui-lO e buscar a Cruz.

O Crucifixo nos mostra o Cristo vencendo, e mostra como vencer. Pela Cruz.
O Deus que venceu venceu na Cruz. A aceitação da Cruz é o caminho para a vitória.

Os cristãos sabemos que Jesus na Cruz é Jesus vitorioso. Sua vitória sobre o pecado não consiste em Sua ressurreição, mas sim em Seu sacrifício na Cruz. É pelos méritos da Cruz que podemos ter nossos pecados perdoados (Jesus deu aos Apóstolos o poder de perdoar pecados apenas depois de Sua ressurreição), é pelos méritos da Cruz que o mundo foi re-criado.

O caminho do cristão nesse mundo é a Cruz; apenas pela Cruz podemos aspirar à ressurreição.

A imagem de Cristo na Cruz é ao mesmo tempo o símbolo da vitória contra o pecado (que foi vencido por Seu sacrifício, como antes era aparentemente redimido pelos sacrifícios do Templo) e uma lembrança de que neste vale de lágrimas o caminho do cristão é o sofrimento.

Ao representarmos apenas um Senhor Ressuscitado, um Senhor Pascal, estaríamos ignorando a mensagem da Cruz. Estaríamos ignorando o valor salvífico do sofrimento, estaríamos ignorando nossa tarefa de co-redenção.

A nossa percepção, evidentemente, nunca abrangeria Jesus por completo. Vê-mo-lo sempre apenas por uma faceta. Do mesmo modo como os escravos tratavam seus mestre de "Vossa Mercê" (vossa misericórdia - foi dar no "você" atual), apelando assim ao "lado bom" do senhor escravagista, nós pensamos em Jesus e em Nossa Senhora em termos de momentos de suas vidas na terra e no céu. Assim nós temos Nossa Senhora do Bom Parto, que é Nossa Senhora no momento de dar a luz (sem dor), Nossa Senhora das Dores (vendo o Filho na Cruz), Nossa Senhora da Imaculada Conceição (sendo concebida sem a mancha do pecado original)...

Temos também Jesus visto como São Salvador, como o Senhor Morto (na procissão de sexta-feira Santa), como o Senhor do Bomfim... Vê-mo-lo assim por vários lados, nenhum deles completo e todos eles tendo muito a nos ensinar. Toda a história da passagem de Jesus pelo mundo nos tem a ensinar, mas o momento mais importante dela é a Cruz.
Jesus, quando está fisicamente presente entre nós (na Eucaristia), é Jesus na Cruz. Jesus na Cruz é o "lado", a "faceta" de Jesus que nos é dado ver, conhecer, mastigar. Jesus Ressuscitado, o Jesus Pascal, é a esperança que temos. Esperamos um dia estar junto dele, de Sua Mãe e de todos os Santos.

Mas nosso companheiro de caminhada, Aquele que alimenta (crisma, eucaristia, ordem, matrimônio) e cura nossas feridas (batismo, eucaristia, reconciliação), é Jesus na Cruz.

Segue trecho da homilia feita pelo Santo Padre em 30 de junho de 1980, na Missa que celebrou na catedral de Brasília:

"Símbolo da Fé, a Cruz é também o símbolo do sofrimento que leva à glória, da paixão que conduz à ressurreição. 'Per crucem ad lucem'- pela cruz chegar à luz: este ditado profundamente evangélico nos diz que, vivida em sua verdadeira significação, a cruz do cristão é sempre uma cruz pascal.
Neste sentido, sempre que celebramos, como quisemos fazê-lo hoje, o mistério da cruz, cresce em nós, à luz da fé, a certeza de que o tempo do sacrifício e da renúncia pode bem ser princípio de tempos novos de realização e de plenitude. Isto vale para as pessoas. Vale também para as coletividades. Pode valer para todo um povo, para um País. Diante da cruz, duas atitudes revelam-se possíveis, ambas perigosas. A primeira consiste em procurar na cruz o que nela é oprimente e penoso a ponto de deleitar-se na dor e no sofrimento como se ele tivessem valor em si mesmos. A segunda atitude é a de quem, talvez por reação à precedente, recusa a cruz e sucumbe à mística do hedonismo ou da glória, do prazer ou do poder. Um grande autor espiritual, Fulton Sheen, falava, a este propósito, daqueles que aderem a uma cruz sem Cristo, em oposição aos que parecem querer um Cristo sem cruz. Ora, o cristão sabe que o redentor dos homens é um Cristo na Cruz e portanto só é redentora a cruz com Cristo!

Assim sendo, a cruz se torna também símbolo de esperança. De instrumento de castigo ela se faz imagem de vida nova, de um mundo novo.
(...)

Desejo dizer-vos que a Cruz é o sinal da esperança para o homem de todos os tempos. Nela Deus revelou ao homem qual é a dignidade que ele traz em si, depois que foi assinalado com a missão de Seu filho.
Por isso, olhai para a Cruz! Nela sois chamados a uma só esperança da vossa vocação (Cf. Ef. 4,4) Olhai para a Cruz! Ela é o sinal do novo princípio que o homem, sempre e em toda parte, encontra em Deus."

GoNet - PeR
Como você se sente ao ler este artigo?
Feliz Informado Inspirado Triste Mal-humorado Bizarro Ri muito Resultado
5 0
PUBLICAR - COMENTAR - EMAIL

Ver N artigos +procurados:
TÓPICO  ASSUNTO  ARTIGO (leituras: 9826714)/DIA
PeR  Escrituras  1355 Jesus jamais condenou o homossexualismo?87.74
Diversos  Prática Cristã  3780 Os pecados mortais mais comuns27.52
Orações  Comuns  2773 Oração de Libertação16.00
Diversos  História  4042 R.R. Soares e Edir Macedo14.49
Aulas  Doutrina  1497 Ser comunista é motivo de excomunhão?14.06
PeR  O Que É?  0516 O Que é a ADHONEP?13.50
PeR  História  0515 O Recenseamento sob César Augusto e Quirino12.93
Diversos  Prática Cristã  3185 Anticonceptivos são Abortivos?11.63
Diversos  Protestantismo  1652 Desafio aos Evangélicos: 32 Perguntas11.45
Vídeos  Testemunhos  4175 Professor de Harvard se converte10.98
PeR  O Que É?  2142 Quiromancia e Quirologia10.66
Diversos  Apologética  3729 Desmascarando Hernandes Dias Lopes9.94
Vídeos  Testemunhos  3708 Terra de Maria8.96
PeR  O Que É?  0565 Lei Natural, o que é? Existe mesmo?8.67
PeR  Escrituras  2389 O Pai Nosso dos Católicos e dos Protestantes8.38
Diversos  Ética e Moral  2832 Consequências médicas da homossexualidade8.20
PeR  O Que É?  1372 Eubiose, que é?8.01
PeR  Prática Cristã  1122 As 14 estações da Via Sacra7.82
PeR  Filosofia  0085 De Onde Viemos? Onde Estamos? Para Onde Vamos?7.60
PeR  História  2571 Via Sacra, qual a origem e o significado?7.48
PeR  Testemunhos  0450 Eu Fui Testemunha de Jeová6.87
Diversos  Apologética  3960 Deus não divide sua glória com ninguém?6.66
Diversos  Anjos  3911 Confissões do demônio a um exorcista6.49
Diversos  Testemunhos  3465 Ex-pastor conta como fazia para converter católicos6.46
A consequencia da aventura louca chamada protestantismo é a apostasia.
Padre Paulo Ricardo

Católicos Online