Católicos Online - - - - AVISOS -


...

Pergunte!

e responderemos


Veja como divulgar ou embutir artigos, vídeos e áudios em seu site ou blog.




Sua opinião é importante!









Sites Católicos
Dom Estêvão
Propósitos

RSS Artigos
RSS Links



FeedReader



Download







Cursos do Pe Paulo Ricardo


Newsletter
Pergunte!
Fale conosco
Pedido


PESQUISAR palavras
 

PERGUNTE E RESPONDEREMOS 555/Setembro 2008

O Que É?

Palavra rara:

ANÁTEMA: QUE É?

 

Em síntese: A palavra "anátema" caiu em desuso. Ela vem do grego anathéma, vocábulo que significa "levar para o alto" ou "ofertar". Passou a significar o que é excluído da comunhão da Igreja ou privado dos bens espirituais que a Igreja oferece como Sacramento Primordial. Atualmente usa-se o termo "excomunhão" para designar tal estado.

*   *   *

Vez por outra ouve-se a pergunta: "Que significa anátema?", pala­vra ocorrente em certas afirmativas da igreja de tempos passados. Se­gue-se a resposta a tal indagação.

Eis alguns espécimens de anatematismos pronunciados pelo Con­cílio de Trento em 1551:

"Se alguém negar que todos e qualquer um dos fiéis cristãos, de um e outro sexo, ao chegarem ao uso da razão, estão obrigados todos os anos a comungar ao menos na Páscoa, como manda a Santa Mãe Igreja, seja anátema" (cânon 9 do capítulo VIII do Decreto sobre a Eucaristia, em "A Fé Católica" nB 9149).

"Se alguém disser que só a fé é preparação suficiente para receber o sacramento da Santíssima Eucaristia, seja anátema" (cânon 10 do mes­mo capítulo Decreto em "A Fé Católica" n3 9150).

"Se alguém disser que o cânon da Missa contém erros e, por isso, deve ser abolido, seja anátema" (cânon 6 do cap. VI do mesmo Decreto em "A Fé Católica" nB 9180).

 

1. Fundamentação Bíblica

Etimologicamente falando, anátema é vocábulo grego que significa "o que é colocado no alto". No grego clássico designava a oferenda votiva ou os ex-voto, que, outrora como hoje estão nas paredes dos templos.

No Antigo Testamento o vocábulo ocorre por vezes com seu sig­nificado original, como em Jt 16, 23. Mais freqüentemente tem sentido totalmente diverso; deixa de ser uma oferenda sagrada, para tornar-se objeto maldito, destinado, em muitos casos, ao extermínio. Corresponde ao que os judeus chamavam "herém". Tal era o caso dos povos estrangei­ros, inimigos de Israel e idólatras; ver Dt 7, 1-6; era o caso dos próprios israelitas quando cediam ao culto dos falsos deuses; cf. Dt 13, 12-17. Os animais e os objetos inanimados podiam também tornar-se anátema, caso servissem à idolatria; eram então entregues à destruição (cf. Lv 27, 28s) ou consagrados ao serviço do verdadeiro Deus; cf. Lv 27, 21.

Após o exílio (587-538 a.C.) as conseqüências do anátema eram menos rigorosas; quem fosse punido por tal pena era excluído da comu­nidade dos fiéis e perdia a posse dos seus bens; cf. Esdras 10, 8: "Quem não comparecesse dentro de três dias... veria todos os seus bens votados ao anátema e seria excluído da assembléia dos exilados".

No Novo Testamento a palavra "anátema" ocorre seis vezes. Con­serva o sentido original de oferenda sagrada em Lc 21, 5:

"Como alguns estavam dizendo a respeito do Templo que era ornado de pedras preciosas e ofertas votivas, Jesus disse...". Todavia mais freqüentemente o anátema é objeto de maldição, como decorre de 1Cor 12, 3; 16, 22; Gl 1, 8s; Rm 9, 3. Em At 23, 14, o vocábulo faz parte de um modo de falar semita (Dt 13, 15; 20,17) que significa "desejar para si a mal­dição de Deus, isto é, comprometer-se solenemente sob pena de anátema".

"Foram procuraros chefes dos sacerdotes e os anciãos e disseram-lhes: 'Acabamos de jurar solenemente, isto é, sob anátema, que não to­maremos alimento enquanto não matarmos Paulo" (At23, 14).

Em suma, nota-se que o Novo Testamento segue a tradução do Antigo dita "dos LXX", atribuindo a anátema um sentido de punição.

Note-se ainda que o costume de excluir alguém da comunidade por motivo de seu comportamento foi herdado pelos cristãos a partir da sina­goga judaica, que praticava esse tipo de sanção; cf. Jo 9,22; 12,42; 16, 2; 1Cor 5, 9-11; 2Ts 3, 14; Cl 2, 5-11. Em Qumran os monges essênios (ju­deus) faziam o mesmo.

A exclusão não era pena meramente vingativa, mas tinha finalidade medicinal, visando proporcionar ao delinqüente a ocasião de refletir e con­verter-se; tenha-se em vista o texto de São Paulo em 1Cor 5, 3-5:

"Quanto a mim, ausente de corpo, mas presente em espírito, já jul­guei, como se estivesse presente, aquele que assim procedeu (mal). É preciso que, em nome do Senhor Jesus, estando vós e o meu espírito reunidos em assembléia, com o poder do Senhor Jesus, entreguemos tal homem a Satanás para a perda da sua carne, a fim de que o espírito seja salvo no dia do Senhor".

"Entregar a Satanás" significa, no caso, entregar ao poder que Deus outorga ao Adversário. Dessa punição o Apóstolo espera a conversão do delinqüente.

Ocorrência semelhante acha-se em 2Cor 2, 5-11.

O próprio Senhor Jesus prevê a exclusão dos pecadores escanda­losos em Mt 18, 16s:

" Toda a questão seja decidida pela palavra de duas ou três testemu­nhas. Caso não lhes der ouvido, dize-o à Igreja. Se nem mesmo à Igreja der ouvido, trata-o como o gentio ou o publicano".

 

2. No Direito Canônico

Nos textos mais antigos é difícil perceber o significado preciso de anátema e excomunhão; parecem ser sinônimos.

Pela primeira vez no Direito Eclesiástico aparece o vocábulo "aná­tema" no cânon 52 do Concílio regional de Elvira (Espanha) por volta do ano 300; o termo "excomunhão" ocorre também pela primeira vez no cânon 58 do mesmo Concílio; parece significar a privação da Eucaristia.

Em 567 o Concílio regional de Tours (França) utiliza os dois termos em sentido diverso; anátema é maldição severa, ao passo que excomunhão é simplesmente a exclusão da comunhão.

No século IX o cânon Engeltrudam entende excomunhão como pri­vação do consórcio dos fiéis, ao passo que compreende o anátema como privação dos bens espirituais da Igreja ou do Corpo Místico de Cristo - o que explicita a gravidade da pena de exclusão.

Com o tempo caiu em desuso a palavra "anátema", de modo que hoje em dia só se fala de excomunhão para designar a privação não so­mente da Eucaristia, mas de todos os bens espirituais que a comunhão com o Corpo Místico de Cristo proporciona aos fiéis.

Distinguem-se uma da outra a excomunhão latae sententiae (de­corrente da prática mesma do delito) e a excomunhão ferendae sententiae (dependente de processo judicial). À primeira categoria pertencem os seguintes delitos:

-   profanação da S. Eucaristia (cânon 1367);

-   violação do sigilo da confissão sacramental (cânon 1388 § 1s);

-   violência cometida contra o Sumo Pontífice (cânon 1370);

-   ordenação de Bispo sem autorização da Santa Sé (cânon 1382);

 

-   absolvição de cúmplice em pecado contra o sexto mandamento (cânon 1378, § 1S);

-   os delitos de apostasia da fé, instauração de heresia ou cisma (cânon 1364);

aborto (cânon 1398).

O aborto está incluído neste rol, pois é o homicídio de um inocente que a sociedade contemporânea tende a banalizar.

Como você se sente ao ler este artigo?
Feliz Informado Inspirado Triste Mal-humorado Bizarro Ri muito Resultado
6 0
PUBLICAR - COMENTAR - EMAIL

Ver N artigos +procurados:
TÓPICO  ASSUNTO  ARTIGO (leituras: 10555812)/DIA
PeR  Escrituras  1355 Jesus jamais condenou o homossexualismo?84.45
Diversos  Prática Cristã  3780 Os pecados mortais mais comuns30.80
Orações  Comuns  2773 Oração de Libertação16.09
Diversos  História  4042 R.R. Soares e Edir Macedo14.87
Aulas  Doutrina  1497 Ser comunista é motivo de excomunhão?14.47
PeR  O Que É?  0516 O Que é a ADHONEP?13.31
PeR  História  0515 O Recenseamento sob César Augusto e Quirino13.16
Diversos  Prática Cristã  3185 Anticonceptivos são Abortivos?12.26
Diversos  Protestantismo  1652 Desafio aos Evangélicos: 32 Perguntas11.75
Diversos  Apologética  3729 Desmascarando Hernandes Dias Lopes11.26
PeR  O Que É?  2142 Quiromancia e Quirologia10.24
Vídeos  Testemunhos  3708 Terra de Maria9.28
PeR  Escrituras  2389 O Pai Nosso dos Católicos e dos Protestantes8.86
PeR  O Que É?  0565 Lei Natural, o que é? Existe mesmo?8.75
PeR  Prática Cristã  1122 As 14 estações da Via Sacra8.30
Diversos  Ética e Moral  2832 Consequências médicas da homossexualidade8.29
PeR  O Que É?  1372 Eubiose, que é?8.21
Diversos  Apologética  3960 Deus não divide sua glória com ninguém?7.81
PeR  Filosofia  0085 De Onde Viemos? Onde Estamos? Para Onde Vamos?7.79
PeR  História  2571 Via Sacra, qual a origem e o significado?7.33
Diversos  Santos e Místicos  3587 Poesia de Santa Teresinha7.33
Diversos  Mundo Atual  3795 O que há de vir?7.10
PeR  Testemunhos  0450 Eu Fui Testemunha de Jeová6.79
Diversos  Testemunhos  3922 Como o estudo da fé católica levou-me ao catolicismo6.58
Onde não há virtudes naturais a graça não pode operar.
Carlos Ramalhete

Católicos Online