Católicos Online - - - - AVISOS -


...

Pergunte!

e responderemos


Veja como divulgar ou embutir artigos, vídeos e áudios em seu site ou blog.




Sua opinião é importante!









Sites Católicos
Dom Estêvão
Propósitos

RSS Artigos
RSS Links



FeedReader



Download







Cursos do Pe Paulo Ricardo


Newsletter
Pergunte!
Fale conosco
Pedido


PESQUISAR palavras
 

CONVINHA CRISTO SER POSTO NO MEIO DE LADRÕES, LEVANDO UM DELES AO PARAÍSO?

 

O Enigma da Cruz, pelo qual a Divina Providência colocou CRISTO, em sua pena sacrificial, ladeado por dois malfeitores, é desvendado no âmbito da JUSTIÇA DIVINA.“Crucificaram com Ele DOIS BANDIDOS: um à sua DIREITA e outro à ESQUERDA.

 

Moldava-se assim, a trágica cena da Morte do CRISTO, com dois coadjuvantes iníquos e um PROTAGONISTA, Santo, Imaculado e Perfeito.O que muitos não atentam, é que a passagem da crucificação prefigurou o que será, no futuro, o juízo final de toda humanidade.A crucificação pressagiou o vindouro PODER JUDICIÁRIO DIVINO, Personificado e Executado em CRISTO naquele episódio particular em relação aos dois ladrões, como haverá de ser em relação a todo gênero humano, no final dos tempos.Em sua primeira vinda, não tinha NOSSO SENHOR o propósito de julgar a humanidade, mas de lhe revelar e imprimir o caráter da salvação:

 

“Eu não vim para julgar o mundo, vim para salvá-lo.” (S. João 12. 47)

 

Todavia, depois de ascender ao Trono Celestial, sentou-se à Direita de Deus Pai, para com Ele exercer a JUSTIÇA, na oportunidade da sua segunda vinda.

 

Está Escrito:“Ele será ÁRBITRO de numerosas nações e juiz de povos longínquos e poderosos.” (Miquéias 4. 3)

 

“Eu te conjuro em presença de Deus e de JESUS CRISTO, QUE HÁ DE JULGAR OS VIVOS E OS MORTOS, por sua aparição e por seu Reino: (II Timóteo 4, 1)

 

Nisso ensinou Santo Tomás:“Por onde, estar sentado à Direita do Pai, outra causa não é senão participar simultaneamente com Ele da Glória e do PODER JUDICIÁRIO. E isso de modo imutável, e como Rei.” (Suma Teológica, Q 58 art. 2, Livro IIIa, ano 1.248)

 

Na crucificação, quis CRISTO apresentar o ensaio, num fragmento representativo da eficiência do seu sacrifício na aplicação da Justiça Divina.

 

Os dois ladrões representaram dois pontos antagônicos: DIREITA e ESQUERDA, sendo a assembleia dos israelitas, a ilustração do póstero Tribunal Celeste.E no MEIO dos bandidos, porém acima deles, fincou-se a Cruz mais elevada que albergou o Poder Supremo, capaz de conceder aos malfeitores o veredicto da absolvição ou da condenação.

 

Essa localização CENTRAL e SUPERIOR da Cruz de Cristo, não surgiu como algo aleatório, mas por ser a exata posição em que se assentam os Tronos dos reis e os Púlpitos dos magistrados, em referência aqueles que seriam julgados:

 

“porque o Senhor é NOSSO JUIZ, o Senhor é nosso Legislador; o Senhor é NOSSO REI QUE NOS SALVARÁ.” (Isaías 33, 22)

 

Não por outra razão, a Cruz de CRISTO situou-se ao CENTRO das cruzes.

 

Leciona Santo Tomás:

 

“Se considerarmos a Natureza Divina de Cristo, então é manifesto que TODO O JUÍZO DO PAI, PERTENCE AO FILHO, pois como o Pai faz todas as coisas pelo seu Verbo, também pelo seu Verbo julga todas as coisas.” (Suma Teológica, Q 59 art. 2 Livro IIIa)

 

E no decorrer da crucificação, um dos conflitantes contendia com destemor para com o Justo Juiz, exigiu-lhe a liberação da pena sem o arrependimento dos pecados e a confissão de culpa:

 

“Um dos malfeitores, ali crucificados, BLASFEMAVA contra Ele: Se és o Cristo, salva-te a ti mesmo E SALVA-NOS A NÓS! (S. Lucas 23. 39)

 

Noutro sentido, seu oponente lhe contestava, reconhecendo a culpa própria por seus pecados, suplicando repleto de esperança ao Justo Juiz, a indulgência misericordiosa em substituição das sanções penais que lhes seriam aplicadas:

 

“mas o outro o repreendeu: Nem sequer temes a Deus, tu que sofres no mesmo suplício? PARA NÓS ISTO É JUSTO: RECEBEMOS O QUE MERECERAM PÔS NOSSOS CRIMES, mas este não fez mal algum. E acrescentou: JESUS, LEMBRA-TE DE MIM, quando tiveres entrado no teu Reino!” (S. Lucas 23. 40 à 42)

 

São João Crisóstomo (anos 345-404), escreveu:

 

"O ladrão não ousou fazer essa prece, sem antes, pela confissão, se ter libertado do fardo dos pecados. Ele confessou os pecados, e o Paraíso abriu-se-lhe. (Homilia da Cruz e o Bom Ladrão, 2, 3 e 4 cap.12)"

 

E assim, colocadas as obras de cada um, (Rom 2.6) colheu-se do Justo Juiz, um Magnífico Veredicto em relação ao bom ladrão:

 

“Jesus respondeu-lhe: Em verdade te digo: hoje estarás comigo no Paraíso.” (S. Lucas 23.43) Assim será também o nosso julgamento, no Tribunal Celestial, naquilo que figurativamente Cristo já realizou na Cruz, particularmente no que diz respeito aos ladrões, separando o fiel do infiel, o esquerdo do direito e o joio do trigo. (Mt 13. 24 à 30)

 

“Assim será no FIM DO MUNDO: os anjos virão SEPARAR OS MAUS DO MEIO DOS JUSTOS.” (São Mateus 13, 49)

 

Entretanto, não é próprio de Deus ser imperfeito.

 

E ainda que no exercício de um juízo restrito aqueles ladrões, esse juízo não poderia ser incompleto.

 

Diz-se de incompleta, toda causa que não produz o necessário e natural efeito. Tem-se assim, um juízo incompleto e imperfeito, quando após analisar o mérito e o demérito de cada um, deixar o magistrado de lhe atribuir o regular EFEITO JUSTO, que tanto pode consistir na recompensa, quanto na punição.

 

Logo, para a Perfeição da Justiça Divina, convinha que o ladrão, santificado em Cristo, seguisse com Ele até o Paraíso.

 

Conforme ensinou Santo Tomás: “chamamos perfeita, à que passa da potência para o ato, essa palavra — perfeito — foi empregada para significar AQUILO QUE NÃO FALTA O SER ATUAL. (Suma Teológica, Q 4, art. 1 Livro Ia)

 

No momento em que São Dimas, o ladrão arrependido, suplicou de Cristo a Graça misericordiosa, a cruz do ladrão tornou-se a Cruz de Cristo.

 

Salvando pela Cruz de Jesus, nem por isso se tornou desnecessária a cruz daquele ladrão, vez que pela Cruz do Cordeiro, e também por sua própria cruz, lhe fora permitido seguir à Cristo, rumo ao Paraíso:“Quem não toma a SUA CRUZ E NÃO ME SEGUE, não é digno de mim.” (São Mateus 10, 38)

 

Conforme Santo Tomás: “A pessoa de Cristo está toda em qualquer lugar, mas não totalmente por não ser circunscrita por nenhum lugar. Essas palavras do Senhor (Lc 23.43) devem entender-se, não do paraíso terrestre material, mas do Paraíso Espiritual, ONDE DIZEMOS QUE ESTÃO TODOS OS QUE GOZAM DA GLÓRIA DIVINA. (Suma Teológica, Q 52, art. 3 e 4 Livro IIIa)

 

Para que o Juízo de Cristo prefigurasse na crucificação, foi necessário ANTECIPAR A MORTE1 dos ladrões, para que os mesmos não morrendo num sábado, consequentemente morressem na sexta-feira, dia da morte de NOSSO SENHOR.

 

E tal fizeram os algozes, quebrando-lhes as pernas, para que perdessem o sustento da base de cruz e se asfixiassem com o peso de seus próprios corpos:

 

“Vieram os soldados e quebraram as pernas do primeiro e do outro, que com ele foram crucificados.” (São João 19, 32)

 

Deste modo, convindo Cristo exercer uma prefiguração do Poder Judiciário que executará no final dos tempos, convinha também que o ladrão salvo fosse com Ele naquele dia para o Paraíso.

 

E assim, um dos ladrões tornou-se blasfemo e o outro justificou-se, cumprindo o que haverá de ser no Apocalipse 22.11:

 

"O injusto, pratica mais injustiça, o impuro, pratique mais impurezas. Mas o justo faça justiça, e o santo santifique-se mais.

1. Um Médico Descreve a Crucificação de Cristo – Pierre Barbet – Bálsamo de Gileade Edições.

 

Nando Gomes


Como você se sente ao ler este artigo?
Feliz Informado Inspirado Triste Mal-humorado Bizarro Ri muito Resultado
4 0
PUBLICAR - COMENTAR - EMAIL

Ver N artigos +procurados:
TÓPICO  ASSUNTO  ARTIGO (leituras: 8839579)/DIA
PeR  Escrituras  1355 Jesus jamais condenou o homossexualismo?32.18
Diversos  Prática Cristã  3780 Os pecados mortais mais comuns14.97
Orações  Comuns  2773 Oração de Libertação14.96
Aulas  Doutrina  1497 Ser comunista é motivo de excomunhão?13.46
PeR  O Que É?  0516 O Que é a ADHONEP?12.87
PeR  História  0515 O Recenseamento sob César Augusto e Quirino11.81
Diversos  História  4042 R.R. Soares e Edir Macedo11.15
PeR  O Que É?  2142 Quiromancia e Quirologia11.04
Diversos  Protestantismo  1652 Desafio aos Evangélicos: 32 Perguntas10.85
Pregações  Doutrina  4153 O Purgatório e a salvação9.90
Pregações  Homilias  4154 Sobre as Tentações9.74
Diversos  Prática Cristã  3185 Anticonceptivos são Abortivos?9.53
Pregações  Santos e Místicos  4157 O Número dos Eleitos9.09
PeR  História  2571 Via Sacra, qual a origem e o significado?7.98
Diversos  Ética e Moral  2832 Consequências médicas da homossexualidade7.82
Diversos  Testemunhos  3922 Como o estudo da fé católica levou-me ao catolicismo7.60
PeR  Prática Cristã  1122 As 14 estações da Via Sacra7.60
PeR  O Que É?  0565 Lei Natural, o que é? Existe mesmo?7.58
PeR  Escrituras  2389 O Pai Nosso dos Católicos e dos Protestantes7.28
Diversos  Anjos  3911 Confissões do demônio a um exorcista7.03
PeR  Testemunhos  0450 Eu Fui Testemunha de Jeová7.01
Pregações  Ética e Moral  4155 A Dança6.98
PeR  Filosofia  0085 De Onde Viemos? Onde Estamos? Para Onde Vamos?6.94
Diversos  Apologética  3729 Desmascarando Hernandes Dias Lopes6.92
Colocar em dúvida a autoridade da Igreja é por em dúvida tudo aquilo que ela afirma, inclusive a autenticidade das Escrituras.
Padre Paulo Ricardo

Católicos Online