Católicos Online - - - - AVISOS -


...

Pergunte!

e responderemos


Veja como divulgar ou embutir artigos, vídeos e áudios em seu site ou blog.




Sua opinião é importante!









Sites Católicos
Dom Estêvão
Propósitos

RSS Artigos
RSS Links



FeedReader



Download







Cursos do Pe Paulo Ricardo


Newsletter
Pergunte!
Fale conosco
Pedido


PESQUISAR palavras
 

Papa Francisco e a Teologia da Libertação

O Papa Francisco refutou qualquer ligação com a Teologia da Libertação de Leonardo Boff

As falas do Papa Francisco de solidariedade com os pobres e por uma sociedade justa nada tem a ver com o reducionismo marxista de Leonardo Boff e Frei Betto. A teologia do líder católico não é esquerdista. O próprio Jorge Mario Bergoglio não ocultou jamais seu desacordo com aspectos essenciais desta teologia. Seus teólogos de referência jamais foram Gutiérrez, nem Leonardo Boff, nem Jon Sobrino, mas o argentino Juan Carlos Scannone, que elaborou uma teologia, não da libertação, mas ‘do povo’, centrada sobre a cultura e a religiosidade das pessoas comuns, em primeiro lugar dos pobres, com sua espiritualidade tradicional e sua sensibilidade pela justiça.

Nesse sentido, um ano depois da publicação do livro de Gutiérrez e Dom Müller, o então Arcebispo de Buenos Aires expressou que "com a queda do império totalitário do 'socialismo real', essas correntes ideológicas ficaram esvanecidas no desconcerto, incapazes de um replanejamento e de uma nova criatividade. Sobreviventes por inércia, embora ainda existam hoje aqueles que as proponham anacronicamente.

Na avaliação de Clodovis, que é irmão de Leonardo Boff, o acontecimento que significou o adeus da Igreja Católica latino-americana ao que restava da teologia da libertação foi a Conferência Continental de Aparecida, no ano de 2007, inaugurada por Bento XVI pessoalmente, e com o seu protagonista, o cardeal Bergoglio. Clodovis Boff, que passou de expoente da teologia da libertação a um de seus críticos mais incisivos, advertiu em 2008 que "o erro fatal desta corrente ideológica é colocar o pobre como primeiro princípio operativo da teologia, substituindo Deus e Jesus Cristo.” A pastoral da libertação converte-se em um braço entre tantos da luta política. A Igreja se assimila a uma ONG e assim se esvazia também fisicamente, já que perde operadores, militantes e fiéis. Os de fora e de dentro experimentam pouca atração por uma Igreja da libertação meramente imanente, porque para a militância já contam com diversas ONGs, enquanto que para a experiência religiosa têm a necessidade de muito mais que uma simples libertação social, indicou Clodovis. Nesse sentido, o risco de que a Igreja se reduza a uma ONG é um sinal de alerta que o papa a Francisco tem falado repetidamente em seus documentos oficiais. Seria enganoso se esquecer disso, ao realizar hoje a releitura do livro de Müller e Gutiérrez.

Em sua visita ao Brasil, mostrou Francisco sobriedade e moderação, numa terra em que o poder se confunde com ostentação e aproveitamentos pessoais. Sua mensagem aos jovens foi honesta e simples: “manifestem-se, mostrem sua discordância com o materialismo, mormente aquele que é cruel com os desvalidos, os que têm fome e não têm saúde. Não se esqueçam da mensagem cristã de mansidão e fraternidade. Protestem contra a corrupção...”

O papa deixou portanto, claríssimo, que sua mensagem de igreja pobre, voltada primordialmente para os pobres, não significa outra coisa, e que não é veículo de nenhuma ideologia, senão de solidariedade cristã. Condenou a descriminalização das drogas, defendida por boa parte da esquerda brasileira, ideologia de gênero e uniões homoafetivas.

Uma fala do ex-padre Leonardo Boff, um dos arautos da “Teologia da Libertação”, uma impossível mistura de cristianismo e marxismo, de fé e ateísmo, de espiritualismo e materialismo, um Frankenstein filosófico, enfim, açulado contra a Igreja de verdade. Boff, expulso da igreja, tentava uma reaproximação, com a saída de Bento XVI, que o expurgou, e a vinda de Francisco. Falava da simplicidade e da austeridade de Francisco, como se isso o aproximasse da “Teologia” que ele Boff e seus boffentos tanto defendem. Mencionava mesmo uma proximidade anterior do papa com essa corrente na Argentina, e quase que pedia dele uma palavra de comprometimento. Antes de mais nada, Boff mentia. A Teologia da Libertação, de cunho marxista, tal como defendida pelo brasileiro, correspondia na Argentina à linha pregada pelo padre peruano Gustavo Gutierrez Merino, de quem o papa, quando ali vivia, então padre Bergoglio, discordava. Como discordava seu professor de grego, tido como o maior teólogo argentino, o padre Juan Carlos Scannone. A teologia de Scannone, exposta no seu livro (de 1976) “Teoria de La Liberación y Praxis Popular — Aportes Críticos para uma Teologia de La Liberación”, era a mesma que hoje prega o papa, de uma igreja sóbria, voltada principalmente para os pobres, fundada nas condições sociopolíticas da própria Argentina, próxima até da prática peronista de identificação nacional com a religiosidade e a fé dos “descamisados” e longe do internacionalismo marxista. O papa não deixou o Rio sem uma manifestação quanto a essa corrente de uma falsa fé. Na sua fala aos bispos das Conferências Episcopais da América Latina e do Caribe (Celam), no dia 28 de julho, afirmou com todas as letras:

“A opção pela missionariedade do discípulo sofrerá tentações. É importante saber por onde entra o espírito mau, para nos ajudar no discernimento. Não se trata de sair à caça do demônio, mas simplesmente de lucidez e prudência evangélicas. Limito-me a mencionar algumas atitudes que configuram uma igreja ‘tentada’. Trata-se de conhecer determinadas propostas atuais que podem mimetizar-se na dinâmica do discipulado missionário e deter, até fazê-lo fracassar, o processo de Conversão Pastoral... Menciono apenas algumas: a) O reducionismo socializante... Trata-se de uma pretensão interpretativa com base em uma hermenêutica de acordo com as ciências sociais. Engloba os campos mais variados, desde o liberalismo de mercado até a categorização marxista”.

É curioso, no mínimo, constatar que a imprensa, sempre ávida em colher impressões de Leonardo Boff, Frei (?) Betto, Pedro Casaldáliga, e CIA LTDA, não os tenha entrevistado sobre essa fala do papa. Não tenha pedido que interpretassem as expressões “espírito mau”, “igreja tentada”, “reducionismo socializante”, “categorização marxista”. Seria tão interessante ouvi-los não acham?

Leonardo (Genésio) Boff escreveu, aliás, no “Diário da Manhã” do dia 31 de julho, suas impressões sobre a visita papal. Desconheceu, ignorou, fez como se nunca tivessem sido ditas, as importantes palavras de Francisco sobre a infiltração marxista na Igreja.

Fonte: Beraká - o blog da família.

Paulo Lelis Lelis

Como você se sente ao ler este artigo?
Feliz Informado Inspirado Triste Mal-humorado Bizarro Ri muito Resultado
3 0
PUBLICAR - COMENTAR - EMAIL

Ver N artigos +procurados:
TÓPICO  ASSUNTO  ARTIGO (leituras: 8927199)/DIA
PeR  Escrituras  1355 Jesus jamais condenou o homossexualismo?32.23
Diversos  Prática Cristã  3780 Os pecados mortais mais comuns17.25
Orações  Comuns  2773 Oração de Libertação15.01
Aulas  Doutrina  1497 Ser comunista é motivo de excomunhão?13.48
PeR  O Que É?  0516 O Que é a ADHONEP?12.94
PeR  História  0515 O Recenseamento sob César Augusto e Quirino11.89
Vídeos  Milagres  4159 Imagens intactas em catástrofes!11.43
Diversos  História  4042 R.R. Soares e Edir Macedo11.38
PeR  O Que É?  2142 Quiromancia e Quirologia11.03
Diversos  Protestantismo  1652 Desafio aos Evangélicos: 32 Perguntas10.95
Diversos  Prática Cristã  3185 Anticonceptivos são Abortivos?9.77
PeR  História  2571 Via Sacra, qual a origem e o significado?8.02
PeR  Prática Cristã  1122 As 14 estações da Via Sacra7.94
Diversos  Ética e Moral  2832 Consequências médicas da homossexualidade7.83
Vídeos  Doutrina  4160 Tudo está consumado7.82
PeR  O Que É?  0565 Lei Natural, o que é? Existe mesmo?7.61
Diversos  Testemunhos  3922 Como o estudo da fé católica levou-me ao catolicismo7.43
PeR  Escrituras  2389 O Pai Nosso dos Católicos e dos Protestantes7.42
Diversos  Apologética  3729 Desmascarando Hernandes Dias Lopes7.26
Vídeos  Testemunhos  3708 Terra de Maria7.13
PeR  Filosofia  0085 De Onde Viemos? Onde Estamos? Para Onde Vamos?7.08
PeR  Testemunhos  0450 Eu Fui Testemunha de Jeová6.99
Diversos  Anjos  3911 Confissões do demônio a um exorcista6.97
PeR  O Que É?  1372 Eubiose, que é?6.86
Não há dúvida, é mais cômodo ao intelecto humano criar ou inventar do que simplesmente aceitar a realidade religiosa já existente.
Dom Estêvão Bettencourt

Católicos Online