Católicos Online - - - - AVISOS -


...

Pergunte!

e responderemos


Veja como divulgar ou embutir artigos, vídeos e áudios em seu site ou blog.




Sua opinião é importante!









Sites Católicos
Dom Estêvão
Propósitos

RSS Artigos
RSS Links



FeedReader



Download







Cursos do Pe Paulo Ricardo


Newsletter
Pergunte!
Fale conosco
Pedido


PESQUISAR palavras
 

DA CARIDADE À PILANTROPIA

 Não consta no meu programa incluir nestas crônicas assuntos teológicos, filosóficos, religiosos de modo geral. Mas, para meus objetivos de hoje, vou apenas lembrar que os dez mandamentos se resumem em dois: Amar a Deus sobre todas as coisas; Amar ao próximo como a si mesmo. Você encontra isso facilmente nos evangelhos e no catecismo, e lembro também que a caridade deve ser feita ao próximo por amor a Deus. Fazer um benefício a qualquer pessoa ou grupo, sem ter em vista o amor a Deus, pode ser muitas coisas, não será caridade – Deus caritas est.

 Dou-lhe um exemplo, para não deixar margem a dúvidas. Imagine duas pessoas exercendo no mesmo local as mesmas funções e atividades. Uma é enfermeira, faz curativos, aplica medicamentos, mede a temperatura e pressão – as tarefas habituais do seu ofício. No fim do mês ela recebe o salário combinado, e ninguém lhe deve nada a mais pelo seu trabalho. A outra é religiosa consagrada a Deus, com vida conventual, e dedica todo o tempo disponível a cuidar de enfermos nesse mesmo hospital. Presta em geral os mesmos serviços da enfermeira, mas no fim do mês ninguém lhe paga um salário por sua atividade, e a subsistência dela é provida pela entidade religiosa à qual pertence. Não lhe parece natural só a religiosa ser conhecida como irmã de caridade? Não se trata apenas de receber ou não um salário, pois a enfermeira, mesmo sendo remunerada, pode incluir no trabalho uma intenção, uma dedicação extra, que o eleva a outro nível. A principal diferença é a intenção com que ajudam os necessitados.

Se alguém cria com recursos próprios uma fundação destinada a cuidar de menores abandonados ou outro grupo de necessitados, presta um bom serviço à coletividade. Mas será puramente filantropia (a etimologia já indica uma dedicação ao ser humano), e não caridade, quando o amor a Deus está ausente da intenção. É claro que Deus quer esses benefícios, mas cabe ao benfeitor reportar-se a Ele, para seu gesto de benemerência merecer o nome de caridade.

 Alguém pode contestar-me, alegando que a drástica redução das doenças e calamidades se deu pela ação do homem. Quase não existem mais a fome, doenças sem tratamento, pobreza, mendigos. Bem sei que esse progresso foi bom, e deve ser elogiado, mas o que estou discutindo é outra coisa – a intenção. Se faltou nesse progresso a intenção de agradar a Deus, não se pode falar em caridade. E se Deus é esquecido, pode retribuir na mesma moeda, retirando suas bênçãos de obras assim.

Aonde quero chegar, com estas considerações? Se você pensou em flechas, não está longe do meu objetivo. E agora só falta fazer a pontaria e atirar.

 Antigamente os pobres pediam uma esmola pelo amor de Deus. Recebendo-a, agradeciam com a fórmula clássica: Deus lhe pague. Raramente se ouvem hoje essas formas de pedido e agradecimento. Os pedidos mais educados limitam-se ao me dá um trocado. E o agradecimento educado, quando existe, não passa do obrigado. Não lhe parece que até os mendigos já não pensam mais em Deus? Não é raro, aliás, ouvir desaforos ou xingamentos quando alguém nega esmola a um deles. Há mesmo os que protestam quando recebem esmola inferior à que desejavam. Portanto, de parte a parte cresce e prolifera o esquecimento de Deus. Não deve surpreender, quando se sabe que quase tudo no mundo conspira contra o amor a Deus.

Você já notou que os mendigos estão desaparecendo das ruas? Será que já não precisam de esmola, enriqueceram? Uma explicação me parece estar no mau costume de não dar esmolas, propagandeado por ideólogos ateus com base em slogans como Assistência social, um direito do cidadão e um dever do Estado. Com base nessa cantilena, muitos deixaram de ajudar os pobres. Tornando-se difícil para estes obter o que antes era bem fácil, tiveram de baixar em outra freguesia, por isso quase não são vistos nas nossas megalópoles. Mas ninguém ignora a grande eficiência do governo em atividades assim, e os pobres vão se amontoando em albergues, asilos, orfanatos, onde lhes dão uma caricatura do amor ao próximo que antes recebiam.

Quando se retira do horizonte o amor a Deus, o amor ao próximo sozinho não se sustenta. É muito cômodo transferir essa responsabilidade para o governo – um ente anônimo, que na prática significa ninguém. Um pequeno passo adiante, e logo surgem muitos que, ao invés de cumprir o que se espera dos responsáveis pela assistência aos necessitados, passam a utilizar em benefício próprio os recursos destinados a essa assistência. E aí temos o fim da linha. Começando pela falta do amor a Deus – que, aliás, não se restringe a esse aspecto assistencial – a decadência vai logo da filantropia à corrupção e pilantragem, bem merecendo o qualificativo de pilantropia.

(*) Jacinto Flecha é médico e colaborador da Abim


Como você se sente ao ler este artigo?
Feliz Informado Inspirado Triste Mal-humorado Bizarro Ri muito Resultado
3 0
PUBLICAR - COMENTAR - EMAIL
#0•A3551•C736   2015-10-12 01:10:29 - Convidado/[email protected]
A paz de Jesus e o amor de Maria!

Gostei do artigo. São Francisco de Assis no inicio de sua conversão não podia ouvir: Me de uma esmola pelo amor de Deus, ele estava por exemplo na loja do pai dele, pegava todo o dinheiro que tivesse e doava pro pobre pedinte e se não tivesse dinheiro, pegava o melhor corte de fazenda e doava.

Madre Tereza tratando das feridas de um mendigo, o mesmo voltou-se pra ela e disse: não sei porque a senhora trata das minhas feridas, se fosse eu nem punha as mãos. E ela respondeu: nem eu, eu as faço por Amor a Deus.

Algum t......

Ler mais...  -  Responder

Ver N artigos +procurados:
TÓPICO  ASSUNTO  ARTIGO (leituras: 8489331)/DIA
PeR  Escrituras  1355 Jesus jamais condenou o homossexualismo?31.17
Diversos  Mundo Atual  4134 Karl Marx, de cristão a satanista16.65
Orações  Comuns  2773 Oração de Libertação14.65
Aulas  Doutrina  1497 Ser comunista é motivo de excomunhão?13.22
PeR  O Que É?  0516 O Que é a ADHONEP?12.66
PeR  O Que É?  2142 Quiromancia e Quirologia11.18
Diversos  História  4042 R.R. Soares e Edir Macedo11.06
PeR  História  0515 O Recenseamento sob César Augusto e Quirino10.95
Diversos  Protestantismo  1652 Desafio aos Evangélicos: 32 Perguntas10.54
Diversos  Prática Cristã  3780 Os pecados mortais mais comuns10.34
Diversos  Prática Cristã  3185 Anticonceptivos são Abortivos?8.55
Diversos  Testemunhos  3922 Como o estudo da fé católica levou-me ao catolicismo8.47
PeR  História  2571 Via Sacra, qual a origem e o significado?8.20
Diversos  Ética e Moral  2832 Consequências médicas da homossexualidade7.88
PeR  O Que É?  0565 Lei Natural, o que é? Existe mesmo?7.49
PeR  Prática Cristã  1122 As 14 estações da Via Sacra7.47
Diversos  Anjos  3911 Confissões do demônio a um exorcista7.42
Diversos  Testemunhos  3465 Ex-pastor conta como fazia para converter católicos7.10
PeR  Testemunhos  0450 Eu Fui Testemunha de Jeová7.03
PeR  Escrituras  2389 O Pai Nosso dos Católicos e dos Protestantes6.83
PeR  Ciência e Fé  0558 Coma Reversível e Coma Irreversível6.63
PeR  Filosofia  0085 De Onde Viemos? Onde Estamos? Para Onde Vamos?6.43
Diversos  Protestantismo  3970 A prostituição da alma6.41
PeR  O Que É?  1372 Eubiose, que é?6.36
Na Eucaristia, nós partimos o único pão que é remédio de imortalidade, antídodo para não morrer, mas para viver em Jesus Cristo para sempre.
Sto. Inácio de Antioquia (35-110)

Católicos Online