Católicos Online - - - - AVISOS -


...

Pergunte!

e responderemos


Veja como divulgar ou embutir artigos, vídeos e áudios em seu site ou blog.




Sua opinião é importante!









Sites Católicos
Dom Estêvão
Propósitos

RSS Artigos
RSS Links



FeedReader



Download







Cursos do Pe Paulo Ricardo


Newsletter
Pergunte!
Fale conosco
Pedido


PESQUISAR palavras
 

A importância do perdão

Quem não perdoa, atrofia a sua capacidade de amar.

O perdão é importante para a vida espiritual porque envolve o amor. Quem não perdoa, atrofia a sua capacidade de amar. Mas, por que é tão difícil fazê-lo? Porque, além de não sermos nem anjos nem animais – mas um composto de corpo e alma –, por conta do pecado original, tendemos a olhar para o mundo externo como para um inimigo. De fato, o demônio convenceu Adão e Eva de que o próprio Deus era seu inimigo [1]. Por isso, o homem se fecha e tem dificuldades em perdoar e amar.

Uma psiquiatra suíça chamada Elisabeth Kübler-Ross, analisando pacientes terminais em hospitais e pessoas traumatizadas por perdas de entes queridos ou situações dramáticas, criou um modelo expondo como as pessoas reagem psiquicamente a ofensas, tragédias e lutos. As suas observações se popularizaram como “os cinco estágios do luto”.

Primeiro, em uma atitude de autodefesa, as pessoas tendem a negar o que está acontecendo, ou por sua soberba ou pela própria dificuldade da situação, como se “o que vem de baixo não as atingisse”.

Depois, passa-se pela fase da ira. A pessoa atingida procura um bode expiatório, alguém sobre quem possa descarregar a sua raiva. Esse culpado pode ser real – como sinal de uma noção de justiça –, mas também pode ser uma ficção, uma alucinação que inventa um falso algoz. Importa dizer que a raiva foi criada por Deus, mas deve ser direcionada aos objetos corretos. Como indica o Apóstolo, “a nossa luta não é contra o sangue e a carne, mas contra os principados, as potestades, os dominadores deste mundo tenebroso, os espíritos malignos espalhados pelo espaço” [2]. Santo Tomás explica que “os pecadores não deixam de ser homens, pois o pecado não lhes destrói a natureza”. E remata:

“Nos pecadores, pode-se considerar duas coisas: a natureza e a culpa. Pela natureza que receberam de Deus, eles são capazes da bem-aventurança, sobre cuja comunhão se funda a caridade, como já foi dito. Por isso, segundo a natureza, devem ser amados pela caridade. Mas, a sua culpa é contrária a Deus e um obstáculo para a bem-aventurança. Assim, segundo a culpa que os opõe a Deus, eles merecem ser odiados, mesmo que sejam pai, mãe ou parente, conforme o Evangelho de Lucas. Devemos, pois, odiar os pecadores, enquanto tais, e amá-los, enquanto são homens capazes da bem-aventurança. E isso é verdadeiramente amá-los pela caridade, por causa de Deus.” [3]

No terceiro estágio, a pessoa entra em uma espécie de depressão, por conta de um sentimento de culpa. Para resolver essa situação, a culpa deve ser iluminada pelo perdão e pela misericórdia de Deus. Como explicado na primeira Direção Espiritual, sobre a dificuldade de amar [4], é Deus quem nos ama primeiro e, por isso, podemos nos doar de presente aos outros. Do mesmo modo, a chave para perdoar a si mesmo e a quem nos ofende é o próprio perdão que Deus nos oferece, como pedimos na oração do Pai-Nosso: “Perdoa as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos que nos devem” [5]. Quem tem dificuldade de perdoar padece de uma doença de memória: esqueceu a sua condição de pecador, perdoado por Deus de uma ofensa infinita cometida contra a Sua majestade.

No quarto estágio, tomados pelas paixões, queremos estabelecer uma espécie de barganha, colocando condições para o perdão. Por fim, na fase da aceitação, finalmente se concede o perdão gratuitamente, brotando de Deus.

É importante notar que esse recurso procura retratar psicologicamente uma realidade que é eminentemente espiritual, afinal, ninguém pode amar sem receber a graça de Deus. Esse processo de cura psíquica descrito por Kübler-Ross, portanto, é perpassado por uma verdadeira luta espiritual, que começa na oração e termina em nossa vontade se dobrando diante da vontade divina.

Lembremo-nos das palavras de Nosso Senhor: “Felizes os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia” [6]; “Sede misericordiosos como vosso Pai é misericordioso” [7]. Diante do Santo Inocente, que, na Cruz, tudo perdoou, dizendo: “Pai, perdoa-lhes! Eles não sabem o que fazem!” [8], como não perdoar a falta do irmão que nos ofendeu e aproveitar essa oportunidade para amar a Deus? Pode até ser que a pessoa que nos machucou não mereça o nosso perdão, mas Aquele que morreu por nossa causa na Cruz certamente o merece.

Referências

  1. Cf. Gn 3, 4-5
  2. Ef 6, 12
  3. Suma Teológica, II-II, q. 25, a. 6
  4. Cf.Direção Espiritual: A dificuldade de amar
  5. Mt 6, 12
  6. Mt 5, 7
  7. Lc 6, 36
  8. Lc 23, 34

 


Como você se sente ao ler este artigo?
Feliz Informado Inspirado Triste Mal-humorado Bizarro Ri muito Resultado
6 0
PUBLICAR - COMENTAR - EMAIL

Ver N artigos +procurados:
TÓPICO  ASSUNTO  ARTIGO (leituras: 10778401)/DIA
PeR  Escrituras  1355 Jesus jamais condenou o homossexualismo?82.67
Diversos  Prática Cristã  3780 Os pecados mortais mais comuns30.62
Orações  Comuns  2773 Oração de Libertação16.03
Diversos  História  4042 R.R. Soares e Edir Macedo14.49
Aulas  Doutrina  1497 Ser comunista é motivo de excomunhão?14.43
PeR  O Que É?  0516 O Que é a ADHONEP?13.24
PeR  História  0515 O Recenseamento sob César Augusto e Quirino13.11
Diversos  Prática Cristã  3185 Anticonceptivos são Abortivos?12.08
Diversos  Protestantismo  1652 Desafio aos Evangélicos: 32 Perguntas11.64
Diversos  Apologética  3729 Desmascarando Hernandes Dias Lopes11.15
PeR  O Que É?  2142 Quiromancia e Quirologia10.08
Vídeos  Testemunhos  3708 Terra de Maria9.13
PeR  Escrituras  2389 O Pai Nosso dos Católicos e dos Protestantes8.88
PeR  O Que É?  0565 Lei Natural, o que é? Existe mesmo?8.65
PeR  Prática Cristã  1122 As 14 estações da Via Sacra8.27
Diversos  Ética e Moral  2832 Consequências médicas da homossexualidade8.21
PeR  O Que É?  1372 Eubiose, que é?8.13
Diversos  Apologética  3960 Deus não divide sua glória com ninguém?7.93
PeR  Filosofia  0085 De Onde Viemos? Onde Estamos? Para Onde Vamos?7.79
Diversos  Santos e Místicos  3587 Poesia de Santa Teresinha7.46
Diversos  Mundo Atual  3795 O que há de vir?7.34
PeR  História  2571 Via Sacra, qual a origem e o significado?7.21
PeR  Testemunhos  0450 Eu Fui Testemunha de Jeová6.71
Diversos  Bíblia  0443 Introdução aos Salmos6.43
'Não errai, irmãos: se qualquer homem seguir àquele que faz um cisma da Igreja, ele não herdará o Reino de Deus. (...) Tende uma só Eucaristia, pois é una a Carne de Nosso Senhor Jesus Cristo, uno o cálice da unidade de Seu Sangue, uno o altar e uno o Bispo com o presbitério e os diáconos'. Epístola de Sto. Inácio de Antioquia aos Filadélfios.
Sto. Inácio de Antioquia (35-110)

Católicos Online