Católicos Online - - - - AVISOS -


...

Pergunte!

e responderemos


Veja como divulgar ou embutir artigos, vídeos e áudios em seu site ou blog.




Sua opinião é importante!









Sites Católicos
Dom Estêvão
Propósitos

RSS Artigos
RSS Links



FeedReader



Download







Cursos do Pe Paulo Ricardo


Newsletter
Pergunte!
Fale conosco
Pedido


PESQUISAR palavras
 

INTRODUÇÃO A TOBIAS


Semelhante ao livro de Rute pela suavidade de cenas domésticas, Tobias supera-o pela variedade e entrelaçamento de acontecimentos e pela riqueza de ensinamentos morais.

O livro de Tobias foi escrito em hebraico ou aramaico. Encontraram-se fragmentos em ambas as línguas (1952) nas grutas próximas do mar Morto. S. Jerônimo verteu-o para o latim, servindo--se de uma redação aramaica, e assim foi inserido na Vulgata. A versão grega dos LXX deriva do texto original, seguindo outra via; dessas duas fontes, a grega e a latina, surgiram todas as outras versões chegadas até nós.

A primeira e mais palpável diferença entre essas duas versões é que na Vulgata toda a narração, desde o princípio, desenvolve-se em terceira pessoa, ao passo que no grego o preâmbulo (1,1-2,6) ê narrado por Tobias na primeira pessoa. Na Vulgata é mais abundante o elemento parenético, no grego prevalece o biográfico. Na Vulgata, pai e filho têm o mesmo nome: Tobias; no grego, ao invés, o pai chama-se Tobit, ou mais corretamente, Tobi, e somente o filho, Tobias.

A própria versão grega, porém, chegou-nos em três formas ou redações, duas principais e completas e uma secundária e incompleta. As duas principais têm os seus representantes mais antigos e autorizados, respectivamente, nos dois re-putadíssimos códices (aqui rivais, de resto, irmãos) Sinaítico (atualmente no Museu Britânico) e Vaticano (grego 1209, conhecido com a sigla B) do séc. IV. A redação do Sinaítico difunde-se mais na narração, valendo-se de uma expressão mais vulgar, de colorido mais semítico; a do Vaticano é mais sucinta e de grecidade mais pura. Existe grande discordância entre os doutos em determinar qual das duas esteja mais próxima do original semítico; mas atualmente vai prevalecendo a opinião em favor da redação sinaítica, a qual tem por seguidora fiel a antiga versão latina e por aliados os fragmentos semíticos encontrados às margens do mar Morto.

Discutiu-se também se o livro de Tobias seria uma história verdadeira ou uma novela com finalidade moral. Não obstaria ao ensinamento da Igreja católica considerá-lo, em abstrato, uma narração de livre invenção (Encíclica Divino afilante Spiritu). Mas, se por um lado, parece manifesta a intenção do autor, em vista do cuidado que emprega em referir nomes de pessoas e lugares, e circunstâncias pormenorizadas, de narrar fatos realmente ocorridos, doutro lado, porém, às razões aduzidas contra a historicidade dos fatos narrados, como anacronismos de pessoas e alguma pseudoqualificação, responde-se facilmente que, faltando-nos o texto original, os erros podem provir de traduções incorretas ou de falhas de copistas. O maravilhoso que ressalta no livro pode criar dificuldades somente para quem, por princípio, nega-se a admitir o sobrenatural. Isto posto, nada nos veda que retenhamos a estrita historicidade de Tobias, ou pelo menos com alguns escritores católicos, admitamos um amplo fundo histórico com acessórios embele-zadores.

A primeira documentação dos fatos narrados neste livro deve ter sido, indubitavelmente, o testemunho dos dois protagonistas, Tobi e Tobias, e nada obsta que tenha sido escrita por eles; contudo, tampouco está provado, nem mesmo pelo emprego da primeira pessoa em 1-3, que eles sejam os autores do nosso livro; um escritor posterior pode muito bem ter-se servido daquilo que eles deixaram dito ou escrito.

Judeus e protestantes não reconhecem o livro de Tobias como canónico, isto é, inspirado, relegando-o entre os "Apócrifos". Mas a Igreja católica, tanto latina como oriental, recebeu-o desde o princípio no cânone das divinas Escrituras, não obstante a opinião contrária de alguns Padres da antiguidade. Com isso a Igreja oferece-nos para instrução um delicioso modelo de prosa narrativa, "pleno de ensinamentos religiosos e morais" (S. Beda). Nele, virtudes domésticas e sociais, sobretudo o exercício de uma generosa beneficiência, e a paternal providência de Deus para com os seus servos fiéis fulgem numa luz tão viva quão suave.


GoNet - PR
Como você se sente ao ler este artigo?
Feliz Informado Inspirado Triste Mal-humorado Bizarro Ri muito Resultado
10 2
PUBLICAR - COMENTAR - EMAIL

Ver N artigos +procurados:
TÓPICO  ASSUNTO  ARTIGO (leituras: 8724537)/DIA
PeR  Escrituras  1355 Jesus jamais condenou o homossexualismo?32.03
Orações  Comuns  2773 Oração de Libertação14.90
Aulas  Doutrina  1497 Ser comunista é motivo de excomunhão?13.39
Diversos  Prática Cristã  3780 Os pecados mortais mais comuns13.27
PeR  O Que É?  0516 O Que é a ADHONEP?12.80
PeR  História  0515 O Recenseamento sob César Augusto e Quirino11.73
Diversos  Doutrina  4147 Senhor, quantos serão salvos?11.46
Diversos  História  4042 R.R. Soares e Edir Macedo11.09
PeR  O Que É?  2142 Quiromancia e Quirologia11.06
Diversos  Protestantismo  1652 Desafio aos Evangélicos: 32 Perguntas10.71
Diversos  Prática Cristã  3185 Anticonceptivos são Abortivos?9.29
PeR  História  2571 Via Sacra, qual a origem e o significado?7.98
Diversos  Ética e Moral  2832 Consequências médicas da homossexualidade7.82
Diversos  Testemunhos  3922 Como o estudo da fé católica levou-me ao catolicismo7.79
Vídeos  Testemunhos  4146 A Eucaristia na Igreja7.63
PeR  O Que É?  0565 Lei Natural, o que é? Existe mesmo?7.53
Vídeos  Liturgia  4145 Missas de Cura e Libertação7.52
PeR  Prática Cristã  1122 As 14 estações da Via Sacra7.40
PeR  Escrituras  2389 O Pai Nosso dos Católicos e dos Protestantes7.12
Diversos  Anjos  3911 Confissões do demônio a um exorcista7.09
PeR  Testemunhos  0450 Eu Fui Testemunha de Jeová7.03
Diversos  Testemunhos  3465 Ex-pastor conta como fazia para converter católicos6.89
PeR  O Que É?  1372 Eubiose, que é?6.62
PeR  Filosofia  0085 De Onde Viemos? Onde Estamos? Para Onde Vamos?6.58
Muitos pensam em se realizar aqui ... por um meio ou outro. Sonhos carnais e mundanos. Sonhos sem transcendência. A ilusão do paraíso aqui neste mundo.
Padre Paulo Ricardo

Católicos Online