Católicos Online - - - - AVISOS -


...

Pergunte!

e responderemos


Veja como divulgar ou embutir artigos, vídeos e áudios em seu site ou blog.




Sua opinião é importante!









Sites Católicos
Dom Estêvão
Propósitos

RSS Artigos
RSS Links



FeedReader



Download







Cursos do Pe Paulo Ricardo


Newsletter
Pergunte!
Fale conosco
Pedido


PESQUISAR palavras
 

PERGUNTE e RESPONDEREMOS 033 – setembro 1960

 

Ressurreição dos Mortos

SAGRADA ESCRITURA

P. S. S. (Curitiba): «Como se explica o texto de São Mateus 27,52s, que refere a ressurreição de defuntos no dia da morte do Senhor? Quem eram esses ressuscitados? Morreram novamente? Terão subido ao céu em corpo e alma com Jesus?»

 

A fim de facilitar a compreensão do texto, transcrevemo-lo dentro do respectivo contexto:

«No mesmo instante (em que Jesus morreu)... a terra tremeu, as rochas se partiram, abriram-se os sepulcros e muitos corpos de santos que tinham morrido ressuscitaram; saindo dos túmulos depois da ressurreição de Jesus, entraram na Cidade Santa, e apareceram a muitas pessoas» (Mt 27,51-53).

 

O sentido desta passagem deve ser elucidado por etapas.

 

1) Em primeiro lugar, impõe-se a pergunta: quando se deu a ressurreição dos mortos de que fala o Evangelista?

 

— Após uma primeira leitura, dir-se-ia: ... na sexta-feira santa mesma, logo depois do terremoto. Acontece, porém, que esses defuntos só saíram dos sepulcros dois dias mais tarde, isto é, no domingo após a ressurreição de Cristo. Donde a dúvida: terão então ficado vivos nos seus túmulos durante quarenta ou mais horas?

 

Isso seria pouco provável; a Sabedoria Divina não terá ressuscitado mortos em vão, deixando-os vivos e latentes durante dois dias no sepulcro. Por tal motivo os exegetas em geral julgam que tanto a ressurreição dos justos como a sua saída dos sepulcros e seu aparecimento na Cidade Santa se deram no domingo após a ressurreição do Senhor Jesus. Este fica sendo, como São Paulo assevera, «o Primogênito dos mortos» (Col 1,18) ou «as primícias dentre os mortos» (1 Cor 15,20); o que quer dizer:... o Primeiro dos ressuscitados na ordem de coisas nova, cristã; a ressurreição de Jesus, Cabeça do Corpo Místico, deve ter precedido a de qualquer dos homens que imediatamente dela se beneficiaram.

 

É possível, porém, que já na sexta-feira santa os sepulcros tenham sido abertos: o terremoto então registrado haverá removido as respectivas pedras de ingresso.

 

Assim sendo, verifica-se que São Mateus, conforme a sua índole muito sistemática, ao referir os prodígios ocasionados pela morte de Cristo, quis logo mencionar a ressurreição dos mortos que se deu no domingo. Trata-se de um proceder estilístico que o leitor atento sabe descobrir e interpretar autenticamente, como acabamos de fazer.

 

2) O Evangelista visa inculcar verdadeira ressurreição dos mortos; em caso contrário, não teria falado de abertura dos sepulcros, mas apenas de aparições dos defuntos na Cidade Santa. Remova-se, portanto, a idéia de que as almas desses justos se manifestaram por meio de figuras corpóreas meramente artificiais.

 

3) E porque terão realmente ressuscitado tais defuntos? —Para dar aos vivos um testemunho muito evidente da vitória de Jesus sobre a morte; constituíam como que o cortejo solene do Triunfador da morte. Contribuíram assim para realçar a dignidade e a glória de Cristo perante os habitantes de Jerusalém. — Desta observação se seguem mais algumas importantes conclusões:

 

4) Os ressuscitados deviam ser justos recém-falecidos (não eram pessoas de épocas remotas que os contemporâneos de Jesus não pudessem reconhecer). Com efeito, para que a ressurreição desses justos tivesse significado, era preciso que seus concidadãos os houvessem conhecido em vida e pudessem atestar que de fato tinham estado mortos.

 

5) A qualidade dos corpos desses ressuscitados devia ser gloriosa, correspondente à que São Paulo descreve em 1Cor 15,35-44. Não ressuscitaram, portanto, como Lázaro, num corpo mortal; era, sim, consentâneo que tais justos, constituindo o cortejo do Divino Salvador, tivessem corpo semelhante ao do Senhor ressuscitado. É isto, aliás, o que insinua a expressão «apareceram a muitos na Cidade Santa» utilizada pelo S. Evangelista: o verbo «aparecer» sugere um modo de se tornar presente diverso do modo como habitualmente a matéria se nos torna visível.

 

6) Por conseguinte, é lógico dizer que os justos ressuscitados de Mt 27, 52 não voltaram ao sepulcro, mas com Cristo subiram diretamente aos céus, em corpo e alma.

 

É verdade que S. Agostinho (ep. 164,9) e exegetas posteriores julgam haverem tais justos morrido de novo. Esta opinião porém não prevaleceu entre os comentadores, sejam antigos, sejam recentes, os quais ponderam as seguintes razões: os justos de Mt 27,52, tendo ressuscitado para dar testemunho da ressurreição do Senhor, deviam estar plenamente configurados a Cristo; ora Jesus, uma vez ressuscitado, já não morre. Ademais, se a Providência os tivesse chamado à vida de novo para mais uma vez os fazer morrer, ter-lhes-ia com isto infligido uma pena, e não um benefício — o que seria pouco condizente com a Perfeição Divina.

 

S. Agostinho apoiava sua tese de «condenação à morte» na proposição de Hebr 11,40, segundo a qual os justos da Antiga Lei não devem atingir a sua consumação sem nós, povo da Nova Lei (não se entenderia, portanto, que a ressurreição gloriosa e definitiva já tivesse sido dada a santos do Antigo Testamento). A esta dificuldade, porém replicar-se-á que a afirmação de Hebr 11 não exclui a possibilidade de algumas poucas exceções, como terão sido as que Mt 27 insinua.

 

7) Fica aberta a questão: onde estão localizados os corpos desses justos, dado que com Cristo tenham subido aos céus no dia da Ascensão solene do Senhor? — Nada de preciso nos diz a Revelação sobre o assunto, como já observamos em «P. R.» 27/1960, qu. 3. As conjeturas seriam mais ou menos vãs.

 

Dom Estêvão Bettencourt (OSB)


Como você se sente ao ler este artigo?
Feliz Informado Inspirado Triste Mal-humorado Bizarro Ri muito Resultado
7 0
PUBLICAR - COMENTAR - EMAIL

Ver N artigos +procurados:
TÓPICO  ASSUNTO  ARTIGO (leituras: 9359346)/DIA
PeR  Escrituras  1355 Jesus jamais condenou o homossexualismo?82.55
Diversos  Prática Cristã  3780 Os pecados mortais mais comuns21.91
Orações  Comuns  2773 Oração de Libertação15.18
Diversos  Igreja  4166 Papa Leão XIII e a visão de Satanás14.25
Aulas  Doutrina  1497 Ser comunista é motivo de excomunhão?13.69
PeR  O Que É?  0516 O Que é a ADHONEP?13.16
Diversos  História  4042 R.R. Soares e Edir Macedo13.10
PeR  História  0515 O Recenseamento sob César Augusto e Quirino12.05
Diversos  Protestantismo  1652 Desafio aos Evangélicos: 32 Perguntas11.16
PeR  O Que É?  2142 Quiromancia e Quirologia10.88
Diversos  Prática Cristã  3185 Anticonceptivos são Abortivos?10.42
Diversos  Apologética  3729 Desmascarando Hernandes Dias Lopes8.33
Vídeos  Testemunhos  3708 Terra de Maria8.23
PeR  Prática Cristã  1122 As 14 estações da Via Sacra7.89
Diversos  Ética e Moral  2832 Consequências médicas da homossexualidade7.83
PeR  História  2571 Via Sacra, qual a origem e o significado?7.75
PeR  Escrituras  2389 O Pai Nosso dos Católicos e dos Protestantes7.74
PeR  O Que É?  0565 Lei Natural, o que é? Existe mesmo?7.69
PeR  O Que É?  1372 Eubiose, que é?7.45
PeR  Filosofia  0085 De Onde Viemos? Onde Estamos? Para Onde Vamos?7.33
Diversos  Testemunhos  4164 Testemunho de minha travessia7.16
PeR  Testemunhos  0450 Eu Fui Testemunha de Jeová6.94
Diversos  Testemunhos  3922 Como o estudo da fé católica levou-me ao catolicismo6.78
Diversos  Testemunhos  3465 Ex-pastor conta como fazia para converter católicos6.68
Nós estamos substituindo a ética pela estética, mais preocupados com a nossa própria imagem do que com o bem de nosso irmão.
Padre Paulo Ricardo

Católicos Online