Católicos Online - - - - AVISOS -


...

Pergunte!

e responderemos


Veja como divulgar ou embutir artigos, vídeos e áudios em seu site ou blog.




Sua opinião é importante!









Sites Católicos
Dom Estêvão
Propósitos

RSS Artigos
RSS Links



FeedReader



Download







Cursos do Pe Paulo Ricardo


Newsletter
Pergunte!
Fale conosco
Pedido


PESQUISAR palavras
 

Aulas: Doutrina - Por que ex-padres podem comungar e divorciados não? - por Padre Paulo Ricardo

Por que ex-padres podem comungar e divorciados não?

Algumas pessoas afirmam que a Igreja usa dois pesos e duas medidas ao permitir que ex-padres comunguem, mas não as pessoas divorciadas. Estas mesmas pessoas dizem que a Igreja protege os ex-padres dando a eles um regime disciplinar mais ameno, enquanto pune os divorciados, afastando-os da mesa da Comunhão. Isso é verdade?

Para responder a essa questão, primeiro é necessário esclarecer que a Igreja não usa dois pesos e duas medidas: a regra única válida para todos é: não é possível realizar atos sexuais fora do santo matrimônio. Como dito, essa regra vale para todos: leigo, padre, ex-padre, bispo, Papa, até o último fiel, no último lugar da Igreja. É para todos: a sexualidade só pode ser exercida dentro do sacramento do matrimônio.

Ora, dizer que o matrimônio é um sacramento é o mesmo que dizer que ele foi instituído por Jesus Cristo, ou seja, é um vínculo indissolúvel entre um homem e uma mulher e, uma vez contraído, nem mesmo a Igreja tem o poder de dissolvê-lo. Somente a morte pode quebrar esse vínculo.

Sendo assim, o que dizer dos Tribunais Eclesiásticos? Para que servem? Eles existem para, na maior parte dos casos, averiguar se aquele matrimônio realmente aconteceu. O que o Tribunal faz é declarar, após a devida investigação, que aquele matrimônio foi nulo, ou seja, jamais aconteceu. Assim sendo, ambos são livres e podem namorar, até mesmo casar.

O celibato sacerdotal, por sua vez, não é um sacramento, mas tão somente uma forma de Igreja enxergar que o sacerdote ordenado configura-se ao Cristo celibatário. É um estilo de vida, uma promessa que o sacerdote realiza na ordenação diaconal. A promessa é feita à Igreja. Sendo assim, ela tem o poder para dispensá-lo da promessa.

A Igreja, porém, não é tão pródiga ao conferir a dispensa do celibato. É necessário um processo diocesano ser apresentado à Santa Sé e a Congregação para o Clero julgar. Quando esses juízes apresentarem seu parecer, a causa é encaminhada ao Santo Padre em pessoa que decidirá, por fim, se concede ou não a dispensa solicitada. A dispensa é concedida aos diáconos por causas graves e aos sacerdotes por causas gravíssimas.

Assim, é preciso atentar para a natureza diversa das duas realidades, pois, uma coisa é o sacramento do matrimônio, sobre o qual a Igreja não tem poder, e outra coisa é o celibato, uma promessa sobre a qual a Igreja pode exercer o poder das chaves.

Padre Paulo Ricardo
Fonte: site Christo Nihil Praeponere

Como você se sente ao ler este artigo?
Feliz Informado Inspirado Triste Mal-humorado Bizarro Ri muito Resultado
6 1
PUBLICAR - COMENTAR - EMAIL
#0•A2558•C225   2013-01-28 19:51:44 - Convidado/[email protected]
Li e reli as explicações. Mas ficou algumas duvidas ainda. Poderia, por favor, em outro artigo, explicar em linguagem mais simples e objetiva? O matrimonio é um sacramento, mas e a Ordem tb não é um sacramento - o sacramento da ordem ?! Grata pela atenção.

Responder

#1•R225•C230   2013-02-06 09:43:39 - 14/Claudio Maria
Um casamento válido não se anula.
O que o tribunal eclesiástico examina (primeira instância no país de origem, segunda no Vaticano) são casos possíveis, de ocorrência raríssima, em que o casamento não é anulado, mas é considerado nulo, ou seja, inválido, nunca existiu.

O que o tribunal eclesiástico X, Y ou Z cobra é responsabilidade das pessoas que ali trabalham, do diretor do mesmo, não é a Igreja a especificar preços! Note-se que tem muita gente trabalhando nesses tribunais, o que implica em gastos, salários, material... em termos executáveis, práticos, isso não é tão simples......

Ler mais...  -  Responder

Ver N artigos +procurados:
TÓPICO  ASSUNTO  ARTIGO (leituras: 9924324)/DIA
PeR  Escrituras  1355 Jesus jamais condenou o homossexualismo?87.39
Diversos  Prática Cristã  3780 Os pecados mortais mais comuns29.23
Orações  Comuns  2773 Oração de Libertação16.13
Diversos  História  4042 R.R. Soares e Edir Macedo14.72
Aulas  Doutrina  1497 Ser comunista é motivo de excomunhão?14.30
PeR  O Que É?  0516 O Que é a ADHONEP?13.49
PeR  História  0515 O Recenseamento sob César Augusto e Quirino13.01
Diversos  Prática Cristã  3185 Anticonceptivos são Abortivos?11.87
Diversos  Protestantismo  1652 Desafio aos Evangélicos: 32 Perguntas11.55
PeR  O Que É?  2142 Quiromancia e Quirologia10.57
Diversos  Apologética  3729 Desmascarando Hernandes Dias Lopes10.47
Vídeos  Testemunhos  3708 Terra de Maria9.08
PeR  O Que É?  0565 Lei Natural, o que é? Existe mesmo?8.68
PeR  Escrituras  2389 O Pai Nosso dos Católicos e dos Protestantes8.48
Diversos  Ética e Moral  2832 Consequências médicas da homossexualidade8.24
PeR  O Que É?  1372 Eubiose, que é?8.07
PeR  Prática Cristã  1122 As 14 estações da Via Sacra7.82
PeR  Filosofia  0085 De Onde Viemos? Onde Estamos? Para Onde Vamos?7.68
PeR  História  2571 Via Sacra, qual a origem e o significado?7.42
Diversos  Testemunhos  3922 Como o estudo da fé católica levou-me ao catolicismo7.08
Diversos  Apologética  3960 Deus não divide sua glória com ninguém?6.88
PeR  Testemunhos  0450 Eu Fui Testemunha de Jeová6.86
Diversos  Santos e Místicos  3587 Poesia de Santa Teresinha6.56
Diversos  Anjos  3911 Confissões do demônio a um exorcista6.50
Nós estamos substituindo a ética pela estética, mais preocupados com a nossa própria imagem do que com o bem de nosso irmão.
Padre Paulo Ricardo

Católicos Online