Católicos Online - - - - AVISOS -


...

Pergunte!

e responderemos


Veja como divulgar ou embutir artigos, vídeos e áudios em seu site ou blog.




Sua opinião é importante!









Sites Católicos
Dom Estêvão
Propósitos

RSS Artigos
RSS Links



FeedReader



Download







Cursos do Pe Paulo Ricardo


Newsletter
Pergunte!
Fale conosco
Pedido


PESQUISAR palavras
 

Aulas: Doutrina - Por que ex-padres podem comungar e divorciados não? - por Padre Paulo Ricardo

Por que ex-padres podem comungar e divorciados não?

Algumas pessoas afirmam que a Igreja usa dois pesos e duas medidas ao permitir que ex-padres comunguem, mas não as pessoas divorciadas. Estas mesmas pessoas dizem que a Igreja protege os ex-padres dando a eles um regime disciplinar mais ameno, enquanto pune os divorciados, afastando-os da mesa da Comunhão. Isso é verdade?

Para responder a essa questão, primeiro é necessário esclarecer que a Igreja não usa dois pesos e duas medidas: a regra única válida para todos é: não é possível realizar atos sexuais fora do santo matrimônio. Como dito, essa regra vale para todos: leigo, padre, ex-padre, bispo, Papa, até o último fiel, no último lugar da Igreja. É para todos: a sexualidade só pode ser exercida dentro do sacramento do matrimônio.

Ora, dizer que o matrimônio é um sacramento é o mesmo que dizer que ele foi instituído por Jesus Cristo, ou seja, é um vínculo indissolúvel entre um homem e uma mulher e, uma vez contraído, nem mesmo a Igreja tem o poder de dissolvê-lo. Somente a morte pode quebrar esse vínculo.

Sendo assim, o que dizer dos Tribunais Eclesiásticos? Para que servem? Eles existem para, na maior parte dos casos, averiguar se aquele matrimônio realmente aconteceu. O que o Tribunal faz é declarar, após a devida investigação, que aquele matrimônio foi nulo, ou seja, jamais aconteceu. Assim sendo, ambos são livres e podem namorar, até mesmo casar.

O celibato sacerdotal, por sua vez, não é um sacramento, mas tão somente uma forma de Igreja enxergar que o sacerdote ordenado configura-se ao Cristo celibatário. É um estilo de vida, uma promessa que o sacerdote realiza na ordenação diaconal. A promessa é feita à Igreja. Sendo assim, ela tem o poder para dispensá-lo da promessa.

A Igreja, porém, não é tão pródiga ao conferir a dispensa do celibato. É necessário um processo diocesano ser apresentado à Santa Sé e a Congregação para o Clero julgar. Quando esses juízes apresentarem seu parecer, a causa é encaminhada ao Santo Padre em pessoa que decidirá, por fim, se concede ou não a dispensa solicitada. A dispensa é concedida aos diáconos por causas graves e aos sacerdotes por causas gravíssimas.

Assim, é preciso atentar para a natureza diversa das duas realidades, pois, uma coisa é o sacramento do matrimônio, sobre o qual a Igreja não tem poder, e outra coisa é o celibato, uma promessa sobre a qual a Igreja pode exercer o poder das chaves.

Padre Paulo Ricardo
Fonte: site Christo Nihil Praeponere

Como você se sente ao ler este artigo?
Feliz Informado Inspirado Triste Mal-humorado Bizarro Ri muito Resultado
5 1
PUBLICAR - COMENTAR - EMAIL
#0•A2558•C225   2013-01-28 19:51:44 - Convidado/[email protected]
Li e reli as explicações. Mas ficou algumas duvidas ainda. Poderia, por favor, em outro artigo, explicar em linguagem mais simples e objetiva? O matrimonio é um sacramento, mas e a Ordem tb não é um sacramento - o sacramento da ordem ?! Grata pela atenção.

Responder

#1•R225•C230   2013-02-06 09:43:39 - 14/Claudio Maria
Um casamento válido não se anula.
O que o tribunal eclesiástico examina (primeira instância no país de origem, segunda no Vaticano) são casos possíveis, de ocorrência raríssima, em que o casamento não é anulado, mas é considerado nulo, ou seja, inválido, nunca existiu.

O que o tribunal eclesiástico X, Y ou Z cobra é responsabilidade das pessoas que ali trabalham, do diretor do mesmo, não é a Igreja a especificar preços! Note-se que tem muita gente trabalhando nesses tribunais, o que implica em gastos, salários, material... em termos executáveis, práticos, isso não é tão simples......

Ler mais...  -  Responder

Ver N artigos +procurados:
TÓPICO  ASSUNTO  ARTIGO (leituras: 6957163)/DIA
Diversos  Ética e Moral  3999 O silêncio da CNBB55.74
Diversos  Doutrina  4000 Por que convinha a Deus tornar-se homem?49.68
Diversos  Protestantismo  3970 A prostituição da alma32.68
Diversos  Apologética  3998 Catequese e Apologética31.71
Diversos  Doutrina  3988 Como foi a assunção de Nossa Senhora27.21
PeR  Escrituras  1355 Jesus jamais condenou o homossexualismo?27.08
Diversos  Mundo Atual  3996 O número de cristãos despenca nos EUA23.01
Vídeos  Entrevista  3994 O purgatório na Bíblia20.94
Diversos  Testemunhos  3922 Como o estudo da fé católica levou-me ao catolicismo18.40
Diversos  Ética e Moral  3992 O evento LGBT que a PUC poderia fazer18.29
Diversos  História  3997 O mito da serpente16.00
Diversos  Testemunhos  3967 O Navio e as Jangadas14.40
Diversos  Mundo Atual  3995 Restrições da liberdade religiosa14.31
Diversos  Protestantismo  3990 Ontologia transexual do protestantismo14.13
Orações  Comuns  2773 Oração de Libertação13.76
Diversos  Anjos  3911 Confissões do demônio a um exorcista13.64
Diversos  Doutrina  3986 O purgatório e a graça salvífica13.61
Diversos  Educação  3989 O ensino religioso e a laicidade13.55
Diversos  Doutrina  3991 Não julgueis!13.08
Diversos  Igreja  3993 A Igreja que incomoda13.03
PeR  O Que É?  2142 Quiromancia e Quirologia11.79
Diversos  Protestantismo  3971 Velhas heresias em novas roupagens11.69
PeR  O Que É?  0516 O Que é a ADHONEP?11.10
Diversos  Doutrina  3979 Casais homossexuais podem batizar seus "filhos"?10.94
Uma cruz sem Cristo não diz nada. Cristo na cruz diz tudo.
Claudio Maria

Católicos Online