Católicos Online - - - - AVISOS -


...

Pergunte!

e responderemos


Veja como divulgar ou embutir artigos, vídeos e áudios em seu site ou blog.




Sua opinião é importante!









Sites Católicos
Dom Estêvão
Propósitos

RSS Artigos
RSS Links



FeedReader



Download







Cursos do Pe Paulo Ricardo


Newsletter
Pergunte!
Fale conosco
Pedido


PESQUISAR palavras
 

A FÉ E A VIOLÊNCIA

 

Hoje é a festa da padroeira de toda a América Latina, Nossa Senhora de Guadalupe, ícone da primeira evangelização do novo mundo. “Ela, da mesma forma como deu à luz o Salvador do mundo, trouxe o Evangelho à nossa América. No acontecimento em Guadalupe, presidiu, junto com o humilde João Diego, o Pentecostes que nos abriu os dons do Espírito... Ela é para nós escola de fé destinada a nos conduzir e a nos fortalecer no caminho que conduz ao encontro com o Criador do céu e da terra... ‘Permaneçam na escola de Maria. Inspirem-se em seus ensinamentos... Quando a Virgem de Guadalupe apareceu ao índio São Juan Diego, disse-lhe estas significativas palavras: “Não estou eu aqui que sou tua mãe? Não estás sob minha proteção? Não sou a fonte de tua alegria? Não estás sob meu manto, no cruzar de meus braços?’ (Bento XVI)” (Doc. Aparecida, 269-270 e discurso inaugural). Que ela seja também a força e a luz da “nova Evangelização para a transmissão da Fé cristã”.

 

A fé coerente produz uma nova conversão, a mudança de mentalidade (“metánoia”, em grego) que pregava São João Batista, consequência natural de quem colocou Cristo em sua vida. Conversão que exige violência para conosco, ou seja, o “agir contra” de Santo Inácio de Loyola. Essa é a violência que Deus quer de nós: a luta contra nossas paixões desordenadas, contra o pecado e o mal: “O Reino dos Céus é conquistado à força, e são os violentos que o conquistam” (Mt 11,12).  Não é apenas com um verniz cristão, combinada com uma vida mole, que seremos fiéis ao nosso Batismo. Não foi isso que se propuseram os nossos primeiros missionários que, deixando o conforto de seus países, aqui derramaram suor, lágrimas e sangue para evangelizar o novo mundo. Violentos contra suas próprias paixões e cheios de mansidão para com o próximo: “Bem-aventurados os que promovem a paz” (Mt 5, 9): esse é o programa cristão.

 

Falando ultimamente sobre o “sensus fidelium ou sensus fidei”, o nosso Papa teólogo explica que “o mesmo ‘sentido sobrenatural da fé’ é também um baluarte contra o preconceito de que ‘as religiões, e especialmente as religiões monoteístas, seriam intrinsecamente portadoras de violência, principalmente por causa da alegação de que elas ultrapassam a existência de uma verdade universal’, enquanto que, pelo contrário, o ‘politeísmo dos valores’ garantiria ‘a tolerância e a paz civil’. Jesus em primeiro lugar, terminando na cruz, “atesta uma rejeição radical de toda forma de ódio e violência em favor do primado absoluto do ágape". Qualquer forma de violência cometida em nome de Deus, não é portanto, devida ao monoteísmo, mas sim “a causas históricas, principalmente aos erros dos homens.” Pelo contrário, é o “esquecimento de Deus”, que, juntamente com o relativismo e a negação de uma verdade objetiva, “gera inevitavelmente a violência”, porque é negado o diálogo. Se não houver abertura para o transcendente “o homem torna-se incapaz de agir de acordo com a justiça e de comprometer-se pela paz” (Bento XVI, audiência à Comissão Teológica Internacional, 7/12/2012).

 

Preparando-nos para celebrar o nascimento do “Príncipe da Paz” (Is 9,6), Jesus Cristo, em cujo Natal os anjos, mensageiros de Deus, cantaram “Glória a Deus nas alturas e paz na terra aos homens que ele ama” (Lc 2, 14), reflitamos que jamais se pode usar sua religião como instrumento de violência. “Senhor, fazei de mim um instrumento da vossa paz” (São Francisco de Assis).

 

Dom Fernando Arêas Rifan

Bispo da Administração Apostólica Pessoal São João Maria Vianney

 


Como você se sente ao ler este artigo?
Feliz Informado Inspirado Triste Mal-humorado Bizarro Ri muito Resultado
4 1
PUBLICAR - COMENTAR - EMAIL

Ver N artigos +procurados:
TÓPICO  ASSUNTO  ARTIGO (leituras: 8831571)/DIA
PeR  Escrituras  1355 Jesus jamais condenou o homossexualismo?32.18
Orações  Comuns  2773 Oração de Libertação14.96
Diversos  Prática Cristã  3780 Os pecados mortais mais comuns14.83
Aulas  Doutrina  1497 Ser comunista é motivo de excomunhão?13.46
PeR  O Que É?  0516 O Que é a ADHONEP?12.86
Pregações  Doutrina  4153 O Purgatório e a salvação12.41
PeR  História  0515 O Recenseamento sob César Augusto e Quirino11.80
Pregações  Santos e Místicos  4157 O Número dos Eleitos11.79
Diversos  História  4042 R.R. Soares e Edir Macedo11.14
PeR  O Que É?  2142 Quiromancia e Quirologia11.04
Pregações  Ética e Moral  4155 A Dança10.86
Diversos  Protestantismo  1652 Desafio aos Evangélicos: 32 Perguntas10.84
Pregações  Prática Cristã  4156 Eles pertencem ao mundo10.24
Diversos  Prática Cristã  3185 Anticonceptivos são Abortivos?9.51
Diversos  Prática Cristã  4152 É proibido comer carne de porco?9.00
Diversos  Espiritualidade  4150 Vida Mística8.69
Pregações  Homilias  4154 Sobre as Tentações8.69
Diversos  Espiritualidade  4151 Fortalecer a Fé8.07
PeR  História  2571 Via Sacra, qual a origem e o significado?7.98
Diversos  Ética e Moral  2832 Consequências médicas da homossexualidade7.82
Diversos  Testemunhos  3922 Como o estudo da fé católica levou-me ao catolicismo7.62
PeR  O Que É?  0565 Lei Natural, o que é? Existe mesmo?7.57
PeR  Prática Cristã  1122 As 14 estações da Via Sacra7.57
PeR  Escrituras  2389 O Pai Nosso dos Católicos e dos Protestantes7.26
Esforçai-vos por ficar firmes na doutrina do Senhor e dos apóstolos, para que tudo quanto fizerdes tenha bom êxito na carne e no espírito, pela fé e pela caridade, no Filho, no Pai e no Espírito, no princípio e no fim, com vosso digno bispo e a bem entretecida coroa espiritual de vosso presbitério, juntamente com os diáconos agradáveis a Deus. Sede submissos ao bispo e uns aos outros como, em sua humanidade, Jesus Cristo ao Pai, e os apóstolos a Cristo e ao Pai e ao Espírito, para que a união seja corporal e espiritual.
Sto. Inácio de Antioquia (35-110)

Católicos Online