Católicos Online - - - - AVISOS -


...

Pergunte!

e responderemos


Veja como divulgar ou embutir artigos, vídeos e áudios em seu site ou blog.




Sua opinião é importante!









Sites Católicos
Dom Estêvão
Propósitos

RSS Artigos
RSS Links



FeedReader



Download







Cursos do Pe Paulo Ricardo


Newsletter
Pergunte!
Fale conosco
Pedido


PESQUISAR palavras
 

PERGUNTE E RESPONDEREMOS 008 – agosto 1958

 

Que é Altar Privilegiado?

PERTURBADO (Rio de Janeiro): “Que é um altar privilegiado? E como se justifica esse privilégio?

 

A resposta a esta questão supõe o que foi dito sobre o purgatório em «Pergunte e Responderemos» 8/1957 qu. 3, e sobre - as indulgências em «P. R.» 2/1958 qu. 2.

 

Resumindo o que se refere às indulgências, lembraremos que os méritos de Cristo (os quais frutificam nos da Bem-aventurada Virgem Maria e dos Santos) constituem o chamado «tesouro da Igreja». Este depósito sagrado está confiado à Esposa de Cristo qual mandatária do Senhor e depositária dos meios da salvação; ela pode dispor de tal tesouro segundo o seu justo critério. Na verdade, ela o faz associando a certas obras a remissão de penas devidas a pecados já perdoados. Tão liberal remissão se chama «indulgência». As indulgências podem ser lucradas em favor de quem age ou do seu próximo aqui na terra; podem outrossim ser oferecidas a Deus em sufrágio dos fiéis defuntos que alguém queira beneficiar, obtendo-lhes a remissão da pena expiatória póstuma.

 

Ora acontece que entre as obras enriquecidas de indulgências está a celebração da S. Missa em «altar privilegiado», Este, por definição, proporciona indulgência plenária (remissão total das penas do purgatório) ao defunto pelo qual se celebra a S. Missa. A Santa Igreja, constituindo um altar privilegiado, geralmente visa chamar a atenção dos fiéis para tal verdade ou tal fato histórico que se relacionem com o mencionado altar — o que deve redundar em beneficio da piedade dos cristãos.

 

Não se poderia, porém, deixar de notar que a aquisição de indulgências fica sempre sujeita a incertezas, pois supõe, da parte de quem age, contrição e caridade tais que ninguém pode assegurar que de fato as possui (cf. «Pergunte e Responderemos» 2/1958, qu. 2). A aplicação de indulgências aos fiéis defuntos ainda está envolvida em maiores dúvidas, pois os mortos já não pertencem à jurisdição da Igreja militante na terra; Cristo não nos revelou a maneira como lhes aplica os nossos sufrágios, como nota o conceituado teólogo P. A. Michel:

 

«Quando se lucram indulgências por via de sufrágio pelos mortos, a incerteza aumenta... Já não estamos aqui no setor da justiça pura e simples como... seria o caso se alguém satisfizesse por si mesmo e porque o deve; quem oferece a Deus o sufrágio em favor dos defuntos, procura agir sobre outra alma que não a sua própria. A cota penitencial, que já é incerta no tocante a nós, é então aplicada à realidade de além-túmulo, que para nós é o mistério quase absoluto» (Indulgences, em ‘Dictionnaire de Théologie Catholique’ VII 2. Paris 1930, 1622).

 

Sendo assim, entende-se que, no caso particular do «altar privilegiado», a Santa Sé, por meio da Sagrada Congregação das Indulgências, haja declarado em 1840:

 

«Por indulgência anexa a um altar privilegiado, se se considera a mente de quem a concede e o uso habitual do poder das chaves, entenda-se uma indulgência plenária, que liberta a alma imediatamente de todas as penas do purgatório; se, porém, se considera a aplicação dos frutos, entenda-se uma indulgência cujas proporções correspondem ao beneplácito e à aceitação da misericórdia divina» (Decreta authentica 283).

 

Como se vê, falso seria crer que o altar privilegiado produz efeito mecânico. No caso, a Santa Igreja faz uso legítimo do chamado «tesouro da Igreja»; não se sabe, porém, em que medida os cristãos na terra estão aptos para obter e os defuntos no purgatório capacitados para receber tão liberai aplicação dos méritos do Redentor.

 

Dom Estêvão Bettencourt (OSB)


Como você se sente ao ler este artigo?
Feliz Informado Inspirado Triste Mal-humorado Bizarro Ri muito Resultado
5 0
PUBLICAR - COMENTAR - EMAIL

Ver N artigos +procurados:
TÓPICO  ASSUNTO  ARTIGO (leituras: 9430899)/DIA
PeR  Escrituras  1355 Jesus jamais condenou o homossexualismo?82.37
Diversos  Prática Cristã  3780 Os pecados mortais mais comuns22.92
Orações  Comuns  2773 Oração de Libertação15.26
Diversos  Apologética  4169 Comer sua carne literalmente?14.17
Aulas  Doutrina  1497 Ser comunista é motivo de excomunhão?13.76
Diversos  História  4042 R.R. Soares e Edir Macedo13.62
PeR  O Que É?  0516 O Que é a ADHONEP?13.20
PeR  História  0515 O Recenseamento sob César Augusto e Quirino12.08
Diversos  Protestantismo  1652 Desafio aos Evangélicos: 32 Perguntas11.21
PeR  O Que É?  2142 Quiromancia e Quirologia10.85
Diversos  Prática Cristã  3185 Anticonceptivos são Abortivos?10.64
Pregações  Protestantismo  4167 Onde está na Bíblia ...10.05
Pregações  Mundo Atual  4170 A Ditadura do Relativismo9.90
Diversos  Apologética  3729 Desmascarando Hernandes Dias Lopes8.68
Vídeos  Testemunhos  3708 Terra de Maria8.37
PeR  Prática Cristã  1122 As 14 estações da Via Sacra7.87
Diversos  Ética e Moral  2832 Consequências médicas da homossexualidade7.84
PeR  Escrituras  2389 O Pai Nosso dos Católicos e dos Protestantes7.82
PeR  O Que É?  0565 Lei Natural, o que é? Existe mesmo?7.72
PeR  História  2571 Via Sacra, qual a origem e o significado?7.71
PeR  O Que É?  1372 Eubiose, que é?7.52
PeR  Filosofia  0085 De Onde Viemos? Onde Estamos? Para Onde Vamos?7.40
PeR  Testemunhos  0450 Eu Fui Testemunha de Jeová6.94
Pregações  Apologética  4171 Há cristianismo sem Igreja?6.90
Onde Deus é negado, dissolve-se também a dignidade do homem. Quem defende Deus, defende o homem.
Papa Bento XVI

Católicos Online