Católicos Online - - - - AVISOS -


...

Pergunte!

e responderemos


Veja como divulgar ou embutir artigos, vídeos e áudios em seu site ou blog.




Sua opinião é importante!









Sites Católicos
Dom Estêvão
Propósitos

RSS Artigos
RSS Links



FeedReader



Download







Cursos do Pe Paulo Ricardo


Newsletter
Pergunte!
Fale conosco
Pedido


PESQUISAR palavras
 

PERGUNTE E RESPONDEREMOS 008 – agosto 1958

 

A Fé Fiducial Protestante

Fidelino Esperançoso (Rio): “Desejaria um esclarecimento sobre a fé fiducial, que alguns crentes querem basear no texto de Hebr 11,1: ‘A fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que se não veem’ (trad. de Ferreira de Almeida)”.

 

1. A chamada fé fiducial se baseia em idéias de Lutero, que assim se concatenam:

 

O pecado de Adão afetou a natureza humana a ponto de a tornar definitivamente ferida. Donde se segue que todas as obras que o homem realize por suas forças naturais, são radicalmente viciadas. A concupiscência desregrada, que todos recebem como herança de Adão, deve ser identificada com o pecado; ela é o pecado mesmo a residir no homem. A concupiscência é invencível; pelo que se torna vão falar de «livre arbítrio» ou de liberdade para praticar o bem; aliás já São Paulo exclamava : «Miserável homem que sou! Quem me livrará do corpo desta morte?... Assim eu mesmo com o entendimento sirvo à lei de Deus, mas com a carne à lei do pecado» (Rom 7,24s).

 

Que acontece então quando o homem se converte, concebendo a contrição de suas culpas e a fé no Redentor?

Nessas circunstâncias, o Pai do céu se digna não imputar à criatura o pecado que nela reside e continuará a residir; o crente é revestido dos méritos de Cristo, sem, porém, deixar de ser pecador, como Jacó foi revestido com os trajes de Esaú, sem deixar de ser Jacó, o Suplantador fraudulento. O Pai do céu, portanto, declara a criatura justificada ou agraciada em termos meramente jurídicos, sem que por isto ela seja renovada interiormente.

 

Prosseguindo na sua explanação, diria Lutero que o meio preciso pelo qual o pecador se reveste do manto de Cristo, é a fé. Esta consiste em crermos, cheios de confiança, que Deus nos quer gratuitamente perdoar os pecados e salvar por Cristo. A fé assim concebida vem a ser movimento afetivo muito mais do que assentimento do intelecto a proposições reveladas; é a fé fiducial. Alguns protestantes do século passado, como Schleiermacher, chegaram a conceber toda a vida cristã fundada sobre uma fé sem dogmas, meramente emotiva e sentimental : «Fé em Cristo significa apego a Cristo, emoção forte de amor e gratidão» (Sanday, Comentário da epist. aos Rom. XLVI).

 

Como se vê, um dos esteios do conceito protestante de fé fiducial é a tese de que a concupiscência e o pecado não podem ser superados nem cancelados no homem. Bem diversa é a posição doutrinária do católico (e da Sagrada Escritura. ..). Este sabe que a natureza humana é atingida e sanada interiormente pela graça do Redentor; o Batismo realiza uma renovação ontológica no neófito, tornando-o «participante da natureza divina» (2 Pdr 1,4), «filho de Deus, não apenas de nome, mas no mais íntimo do seu ser» (cf. 1 Jo 3,1). Em consequência, a fé, para o católico, não é propriamente um ato de confiança cega na mensagem da salvação gratuita, mas é primariamente a adesão da inteligência às verdades que Deus revelou (entre as quais está sem dúvida a mensagem de renovação intrínseca da natureza contaminada pelo pecado). O Cristianismo é Revelação da Verdade, possui um conteúdo intelectual destinado a ser apreendido como tal. A fé, porém, não pode ficar no plano meramente intelectual, pois a Palavra de Deus vem ao encontro do homem exalando amor; por conseguinte este só lhe pode responder cabalmente exalando, também ele, amor, isto é, confiança e entrega generosa ao Pai do céu.

 

2. O texto de Hebr 11,1 é citado como um dos fundamentos da doutrina da fé fiducial. Examinemos, pois, o seu significado preciso.

 

a) O autor sagrado diz primeiramente que a fé é a hypóstasis dos bens que esperamos.

Qual será a acepção do termo grego hypóstasis?

 

Ao pé da letra, esta palavra significa «o que se coloca debaixo»; por conseguinte, «suporte, base, fundamento». Na linguagem tardia dos papiros (que corresponde à época em que foi redigida a epístola aos Hebreus), designava frequentemente «propriedade» ou «direito de posse» ou «garantia de posse»; podia também indicar o conjunto de documentos depositados nos arquivos a fim de atestar um autêntico direito de propriedade. À luz destas notas filológicas, bons exegetas não hesitam em entender o termo hypóstasis de Hebr 11,1 no sentido de «posse antecipada» ou «garantia objetiva, caução, penhor» das realidades invisíveis, eternas, que esperamos desfrutar em plenitude após a morte. A fé vem a ser, portanto, a realidade celeste a nós outorgada na terra sob a forma de gérmen. Quem possui uma caução, possui o tesouro mesmo a que ela corresponde, nas condições, porém, de um papel ou documento de aparência vil; assim quem tem a fé, tem os bens celestes, mas ainda encobertos pelos véus aparentemente vis dos sacramentos e dos mistérios da vida presente. Contudo fé e visão de Deus face a face estão na mesma linha, formam um só todo continuo; a fé se vai desenvolvendo aos poucos neste currículo terrestre até desabrochar na contemplação direta da Divindade. — Não seria preciso repetir muito que a fé assim entendida é a fé viva, não meramente teórica, mas traduzida em conduta prática coerente.

 

Foi Erasmo de Rotterdam no séc. XVI quem pela primeira vez propôs para o vocábulo hypóstasis de Hebr 11,1 o sentido de «sólida confiança», «segurança». Seguiram-no o reformador Zwingli e muitos autores protestantes posteriores: Melanchton, Grócio, Tholuck, Delitzsch, Holzmann, Robinson, etc. Tal modo de traduzir, porém, não se impõe necessariamente ao filólogo (note-se que a Bíblia de Ferreira de Almeida, geralmente usada pelos protestantes, dá a hypóstasis a acepção de «firme fundamento»).

 

b) O hagiógrafo afirma outrossim que a fé é o élenchos das coisas que não se veem. Élenchos em grego vem a ser «aquilo que torna certo ou seguro,..»; é o argumento, a prova, o titulo que gera convicção. Assim entendido, o segundo termo da frase completa o sentido do primeiro. A fé não é somente garantia objetiva de posse, mas é também o elemento que em nós produz a persuasão de que existem as realidades invisíveis que esperamos atingir. A fé fornece permanentemente ao cristão a demonstração e a evidência do invisível; destarte ela concorre para aumentar a energia de conduta, corroborar a paciência, suscitar o esforço do discípulo de Cristo.

 

Eis como o autor da epístola aos Hebreus descreve a fé numa visão grandiosa e profunda, que não seria lícito interpretar à luz de teses teológicas preconcebidas.

 

Dom Estêvão Bettencourt (OSB)


Como você se sente ao ler este artigo?
Feliz Informado Inspirado Triste Mal-humorado Bizarro Ri muito Resultado
5 0
PUBLICAR - COMENTAR - EMAIL
#0•A2406•C822   2016-05-31 10:42:25 - Convidado/Dani Acioli
DESCONSTRUINDO OS APONTAMENTOS DE SOLANO PORTELA E CIRO ZIBORDI CONTRA A VIRGEM MARIA

É público e notório que parte dos pregadores evangélicos usa palavras soltas e fora de contexto para atacar a doutrina católica, quase sempre modificando o real sentido das Escrituras.
Uma das questões que geram mais indignação e raiva por parte dos pastores evangélicos é a veneração católica à Santíssima Virgem Maria.
Desejando mais uma vez atacar a figura da mãe de Jesus Cristo, e imaginando que seriam notados apenas por seus súditos habituais, dois destes pregadores desta épo......

Ler mais...  -  Responder
#0•A2406•C247   2013-02-23 11:50:36 - Convidado/A.Silva
PROTESTANTES EVANGÉLICOS PIRANDO APÓS LEITURA DA BÍBLIA

Dizem os protestantes que religião não serve para nada:


Ísaias 42, 1: "Eis meu servo que eu amparo, meu eleito ao qual dou toda a minha afeição, faço repousar sobre ele meu espírito, para que às nações a verdadeira religião."

2. Ele não grita, nunca eleva a voz, não clama nas ruas.

3. Não quebrará o caniço rachado, não extinguirá a mecha que ainda fumega. Anunciará com toda a franqueza a verdadeira religião; não desanimará, nem desfalecerá,

4. até que tenha estabelecido a ve......

Ler mais...  -  Responder

Ver N artigos +procurados:
TÓPICO  ASSUNTO  ARTIGO (leituras: 9346474)/DIA
PeR  Escrituras  1355 Jesus jamais condenou o homossexualismo?82.60
Diversos  Prática Cristã  3780 Os pecados mortais mais comuns21.69
Diversos  Igreja  4166 Papa Leão XIII e a visão de Satanás20.47
Orações  Comuns  2773 Oração de Libertação15.17
Aulas  Doutrina  1497 Ser comunista é motivo de excomunhão?13.67
PeR  O Que É?  0516 O Que é a ADHONEP?13.15
Diversos  História  4042 R.R. Soares e Edir Macedo12.97
PeR  História  0515 O Recenseamento sob César Augusto e Quirino12.04
Diversos  Protestantismo  1652 Desafio aos Evangélicos: 32 Perguntas11.15
PeR  O Que É?  2142 Quiromancia e Quirologia10.89
Diversos  Prática Cristã  3185 Anticonceptivos são Abortivos?10.40
Diversos  Testemunhos  4164 Testemunho de minha travessia9.20
Diversos  Apologética  3729 Desmascarando Hernandes Dias Lopes8.29
Diversos  Mundo Atual  4163 A Armadilha da Misericórdia8.28
Vídeos  Testemunhos  3708 Terra de Maria8.21
PeR  Prática Cristã  1122 As 14 estações da Via Sacra7.89
Diversos  Ética e Moral  2832 Consequências médicas da homossexualidade7.83
PeR  História  2571 Via Sacra, qual a origem e o significado?7.76
PeR  Escrituras  2389 O Pai Nosso dos Católicos e dos Protestantes7.73
PeR  O Que É?  0565 Lei Natural, o que é? Existe mesmo?7.69
PeR  O Que É?  1372 Eubiose, que é?7.43
PeR  Filosofia  0085 De Onde Viemos? Onde Estamos? Para Onde Vamos?7.32
PeR  Testemunhos  0450 Eu Fui Testemunha de Jeová6.94
Aulas  Doutrina  4165 Indulgências Plenárias, como obter?6.90
Eu desejaria ser triturado como o trigo para Vos ser oferecido como hóstia pura!
Sto. Inácio de Antioquia (35-110)

Católicos Online