Católicos Online - - - - AVISOS -


...

Pergunte!

e responderemos


Veja como divulgar ou embutir artigos, vídeos e áudios em seu site ou blog.




Sua opinião é importante!









Sites Católicos
Dom Estêvão
Propósitos

RSS Artigos
RSS Links



FeedReader



Download







Cursos do Pe Paulo Ricardo


Newsletter
Pergunte!
Fale conosco
Pedido


PESQUISAR palavras
 

PERGUNTE E RESPONDEREMOS -003 / outubro 1957

 

O que são livros canônicos e livros apócrifos?

MARIA TELLES (Niterói): "Que vêm a ser livros canônicos e livros apócrifos?"

 

A terminologia livros canônicos e livros apócrifos tomou no séc. 16 as suas modalidades hoje vigentes. Percorramo-las brevemente:

 

Cânon (em grego, kanón) significava "medida, norma" e, por extensão, "catálogo, índice, registro". A partir do séc. 4.° aplicou-se o vocábulo ao catálogo dos livros inspirados por Deus no Antigo e no Novo Testamento.

 

Dos livros canônicos (isto é, catalogados) ou inspirados por Deus, era preciso na antiga Igreja distinguir outros, que, embora tivessem grande semelhança de estilo com as Escrituras Sagradas, eram obra meramente humana, por vezes edificante, por vezes herética ou fantasista. Para estes livros se reservou o título de "apócrifos" (apókryphoi, em grego), isto é, ocultos, não lidos no culto público oficial (embora fossem lidos em caráter particular); tais eram a "Ascensão de Isaías", o "Evangelho de Pedro", o "de Nicodemos", os "Atos de Tomé", os "de Paulo com Tecla", etc.

 

No séc. 16 introduziu-se entre os teólogos católicos a distinção meramente terminológica entre livros protocanônicos e deuterocanônicos. Ela se deve a Sixto de Sena (1520-1569), judeu que, uma vez batizado, se tornou franciscano e depois dominicano. Este autor, na sua "Bibliotheca Sancta", chamou ''protocanônicos", em grego "primeiramente (introduzidos) no cânon", os livros sobre cujo valor inspirado nunca se registraram dúvidas; "deuterocanônicos", isto é, "em segundo lugar (inseridos) no cânon", aqueles escritos que só depois de hesitações foram oficialmente recenseados no catálogo bíblico. Como se vê, a distinção significa apenas diferença cronológica, de modo nenhum implicando menor autoridade ou menor grau de inspiração para os "deuterocanônicos".

 

Entre os deuterocanônicos, contam-se, além dos sete livros do Antigo Testamento não incluídos no cânon palestinense (Baruque com a epístola de Jeremias, Tobias, Judite, 1.° e 2.° dos Macabeus, Sabedoria. Eclesiástico), os sete seguintes escritos do Novo Testamento: a epístola aos Hebreus, a de São Tiago, a 2 a de S. Pedro, a 2.a e a 3.a de São João, a de São Judas e o Apocalipse. As hesitações sobre o valor de tais livros dos Apóstolos eram devidas principalmente aos abusos que desses documentos faziam os hereges; prolongaram-se nesta ou naquela região até os séc. 4º / 5º . Em 393, porém, o concilio regional de Hipona (África Setentrional) definia o catálogo dos livros sagrados, incluindo nele tanto os protocanônicos como os deuterocanônicos do Antigo e do Novo Testamento. Esta declaração foi repetidamente inculcada pelo Magistério da Igreja nos séculos subsequentes até os nossos dias.

 

Os Protestantes, não reconhecendo os livros deuterocanônicos do Antigo Testamento, usam de outra nomenclatura, que vai abaixo confrontada com a dos católicos:

 

Católicos: Livros protocanônicos, deuterocanônicos, apócrifos;

Protestantes: Canônicos (apenas), apócrifos, pseudoepígrafos;

 

"Pseudoepígrafos" significa "falsos títulos" ou livros falsamente intitulados, falsamente atribuídos a tal ou tal homem de Deus (Henoque, São Tomé, Nicodemos...).

 

Donde se vê que, no concernente ao termo "apócrifos" em particular, se requer especial atenção: quando os Protestantes falam de "apócrifos", referem-se a livros que na verdade são inspirados por Deus; o mesmo não se dá quando é um católico que usa tal vocábulo.

 

Mais precisamente, eis as razões porque no início da era cristã foi posta em dúvida a canonicidade de sete escritos do Novo Testamento:

 

A epístola aos Hebreus era nos séc. 2.°/3.° falsamente utilizada por rigoristas (Montanistas e Novacianos), os quais, apelando para Heb 6.4 afirmavam haver pecados irremissíveis. Os defensores da fé. em vez de refutar o erro propondo a genuína exegese do texto, às vezes preferiam negar a índole Inspirada da epístola aos Hebreus;

 

O Apocalipse também era explorado por hereges, os quais do cap. 20 deduziam que, entre a segunda vinda de Cristo e a consumação da história, haverá na terra um reino glorioso do Senhor, protraído durante mil anos. Em consequência, alguns autores ortodoxos, visando tirar a autoridade ao texto mal interpretado, negavam ser São João o autor do Apocalipse; outros (simplesmente excluíam este livro do catálogo bíblico.

 

A epístola de São Tiago, principalmente em 2,14-26 (inculcando a inutilidade da fé, sem as boas obras) parecia contradizer a Rom 3,27s; 4,1-5 (o primado da fé sobre as obras expresso em linguagem paulina...). pelo que alguns cristãos duvidavam da origem divina da carta de São Tiago;

 

A 2ª epístola de São Pedro, a 2ª e a 3ª de São João são documentos breves, que não apresentam doutrina característica e raramente eram citados;

 

A carta de São Judas, citando no seu v. 14 o fantasista livro “de Henoque”, parecia a alguns leitores pouco fidedigna.

 

Dom Estêvão Bettencourt (OSB)


Como você se sente ao ler este artigo?
Feliz Informado Inspirado Triste Mal-humorado Bizarro Ri muito Resultado
4 1
PUBLICAR - COMENTAR - EMAIL

Ver N artigos +procurados:
TÓPICO  ASSUNTO  ARTIGO (leituras: 9003288)/DIA
PeR  Escrituras  1355 Jesus jamais condenou o homossexualismo?32.30
Diversos  Prática Cristã  3780 Os pecados mortais mais comuns18.10
Orações  Comuns  2773 Oração de Libertação15.04
Aulas  Doutrina  1497 Ser comunista é motivo de excomunhão?13.48
PeR  O Que É?  0516 O Que é a ADHONEP?13.02
PeR  História  0515 O Recenseamento sob César Augusto e Quirino11.94
Diversos  História  4042 R.R. Soares e Edir Macedo11.47
PeR  O Que É?  2142 Quiromancia e Quirologia11.03
Diversos  Protestantismo  1652 Desafio aos Evangélicos: 32 Perguntas11.02
Diversos  Prática Cristã  3185 Anticonceptivos são Abortivos?9.94
PeR  Prática Cristã  1122 As 14 estações da Via Sacra7.97
PeR  História  2571 Via Sacra, qual a origem e o significado?7.95
Diversos  Ética e Moral  2832 Consequências médicas da homossexualidade7.81
PeR  O Que É?  0565 Lei Natural, o que é? Existe mesmo?7.65
Vídeos  Testemunhos  3708 Terra de Maria7.57
Diversos  Apologética  3729 Desmascarando Hernandes Dias Lopes7.55
PeR  Escrituras  2389 O Pai Nosso dos Católicos e dos Protestantes7.53
Diversos  Testemunhos  3922 Como o estudo da fé católica levou-me ao catolicismo7.24
PeR  Filosofia  0085 De Onde Viemos? Onde Estamos? Para Onde Vamos?7.20
PeR  O Que É?  1372 Eubiose, que é?6.98
PeR  Testemunhos  0450 Eu Fui Testemunha de Jeová6.97
Diversos  Anjos  3911 Confissões do demônio a um exorcista6.82
Diversos  Testemunhos  3465 Ex-pastor conta como fazia para converter católicos6.66
PeR  Ciência e Fé  0558 Coma Reversível e Coma Irreversível6.43
Um membro doentio ou anêmico transmite menos vitalidade do que outro plenamente sadio. Por isto se diz com razão que Deus quer salvar a uns mediante outros, Cristo quer comunicar sua ação redentora aos membros do seu Corpo Místico, para que, de um modo ou de outro, colaborem (por graça de Deus) na mais importante de todas as obras, que é a santificação e a salvação dos homens.
Dom Estêvão Bettencourt

Católicos Online