Católicos Online - - - - AVISOS -


...

Pergunte!

e responderemos


Veja como divulgar ou embutir artigos, vídeos e áudios em seu site ou blog.




Sua opinião é importante!









Sites Católicos
Dom Estêvão
Propósitos

RSS Artigos
RSS Links



FeedReader



Download







Cursos do Pe Paulo Ricardo


Newsletter
Pergunte!
Fale conosco
Pedido


PESQUISAR palavras
 

Aulas: Doutrina - Ressurreição dos mortos ou da carne? - por Padre Paulo Ricardo

(áudio)

Ressurreição dos mortos ou da carne?

A Igreja Católica possui fórmulas dogmáticas que contêm os principais pontos de sua fé e são utilizadas tanto na Liturgia quanto na Catequese, são os chamados "símbolos". Sendo assim, tem-se no Símbolo Apostólico a seguinte expressão: "Creio [...] na ressurreição da carne..." e no Símbolo Niceno-constantinopolitano: "[...] E espero a ressurreição dos mortos...", portanto, as duas expressões estão corretas.

A Congregação para a Doutrina da Fé percebeu que em certos missais em algumas partes do mundo a palavra "carne" fora substituída pela palavra "corpo", por isso, no dia 14 de dezembro de 1983, sob a presidência do então Cardeal Joseph Ratzinger, emitiu o documento "Decisões sobre a tradução do artigo ‘Carnis resurrectionem’ do Símbolo Apostólico" [1], no qual pediu que todas as Conferências Episcopais usassem a tradução literal da expressão que é "ressurreição da carne" e não outras semelhantes.

A questão é bastante profunda, pois existe uma corrente teológica que insiste erroneamente em afirmar que existe uma ressurreição logo após a morte. É comum durante exéquias ou em homilias ouvir que aquele irmão que está sendo velado já ressuscitou. É comum, mas, é incorreto, pois a Igreja ensina que a ressurreição será somente no final dos tempos.

A Igreja crê que ao afirmar a ressurreição da carne está sendo mais clara e enfática no fato de que aquela carne que está sendo velada e sepultada é que ressuscitará no último dia. No dia 17 de março de 1979, a mesma Congregação para a Doutrina da Fé emitiu uma carta versando sobre "questões referentes à escatologia", a seguir transcrita:

"Esta Sagrada Congregação, responsável pela promoção e a proteção da doutrina da fé, quer aqui lembrar o que a Igreja em nome de Cristo ensina, de modo especial a respeito do que acontece entre a morte do cristão e a ressurreição universal.

1. A Igreja crê na ressurreição dos mortos.
2. A Igreja entende que a ressurreição se refere ao homem todo; para os eleitos, ela outra não é senão a extensão da própria ressurreição de Cristo aos homens.
3. A Igreja afirma a continuação e a subsistência, depois da morte, de um elemento espiritual dotado de consciência e vontade, de modo a existir no tempo intermédio o próprio ‘eu humano’, carecendo porém do complemento do corpo. Para designar este elemento, a Igreja emprega o termo ‘alma’, consagrado pelo uso da Sagrada Escritura e da Tradição. Embora não ignore que este termo possui diversos sentidos na Bíblia, julga, todavia, que não se pode dar nenhuma razão válida para rechaçá-lo e, ao mesmo tempo, julga ser absolutamente necessário um termo de linguagem para sustentar a fé do cristãos.
4. A Igreja exclui toda forma de pensamento ou de expressão que torne absurdo ou ininteligível seu modo de orar, seus ritos fúnebres, seu culto dos mortos - realidades estas que, substancialmente, constituem lugares teológicos.
5. A Igreja, em conformidade com as Sagradas Escrituras, espera ‘a gloriosa manifestação de nosso Senhor Jesus Cristo’, que, aliás, ela crê distinta e ulterior em comparação com a condição dos homens imediatamente após a morte.
6. A Igreja, em seu ensinamento sobre a condição do homem depois da morte, exclui, porém, qualquer explicação que esvazie o sentido da Assunção da Virgem Maria no que tem de único; a saber, nesse sentido, que a glorificação corpórea da Virgem é a antecipação da glorificação reservada a todos os eleitos.
7. A Igreja, em adesão fiel ao Novo Testamento e à Tradição, crê na felicidade dos justos que um dia estarão em Cristo. Ela crê no castigo eterno que espera o pecador, que será privado da visão de Deus, e na repercussão desta pena em todo seu ser. Crê, enfim, que para os eleitos possa haver uma eventual purificação prévia à visão divina, totalmente diversa, porém, do castigo dos condenados. É isso que a Igreja entende quando fala do inferno e do purgatório.

Quando se trata da condição do homem depois da morte é preciso precaver-se, de modo especial, do perigo de representações arbitrárias e baseadas só na imaginação, pois seus excessos formam parte importante das dificuldades que amiúde a fé cristã encontra. As imagens usadas pela Sagrada Escritura, no entanto, merecem respeito. É necessário compreender o significado profundo das mesmas, evitando o perigo de atenuá-las demais, pois isso vale muitas vezes a esvaziar de seu conteúdo as realidades que estas imagens representam.

Nem a Sagrada Escritura, nem os teólogos fornecem luz suficiente para uma descrição adequada da vida depois da morte. Os fiéis cristãos devem manter firmemente estes dois pontos essenciais: por um lado, crer na continuidade fundamental existente, em virtude do Espírito Santo, entre a vida presente em Cristo e a vida futura (pois a caridade é a lei do reino de Deus, e pela nossa caridade exercida na terra se medirá nossa participação na glória divina no céu); mas, por outro lado, o cristão deve estar consciente da ruptura radical que há entre a vida presente a futura, já que a economia da fé é substituída pela economia da luz plena, e nós estaremos em Cristo e ‘veremos Deus’; e nestas promessas e mistério consiste essencialmente nossa esperança. se a imaginação não consegue chegar até aí, o coração chega instintivamente e em profundidade." (DH 4650-4659)

Como se vê, o documento acima é bastante claro quanto à crença católica de que somente existirá uma ressurreição no final dos tempos, que não será simbólica, mas abrangerá o corpo e a alma do indivíduo. Como isso acontecerá é um mistério inalcançável à mente humana.

No ano de 1990, a Comissão Teológica Internacional, ligada à Congregação para a Doutrina da Fé, emitiu um parecer - sem caráter doutrinal - intitulado "Algumas questões atuais de escatologia", que fala que a ressurreição somente acontecerá na chamada parusía, ou seja, na volta de Jesus Cristo, num acontecimento histórico e futuro, derrubando por terra os dizeres dos teólogos modernistas.

Além disso, a Igreja deixa claro que somente Maria Santíssima ressuscitou, na chamada "Assunção", todos os demais aguardam a volta de Jesus Cristo, embora seja sabido que a causa da ressurreição de todos, no final, é a ressurreição do próprio Cristo, fonte da ressurreição de todos os mortos e vivos. Na glória de Deus todos estarão de corpo e alma, por isso, ressurreição dos mortos ou ressurreição da carne.

Referências
http://www.vatican.va/roman_curia/congregations/cfaith/documents/rc_con_cfaith_doc_19831214_carnis-resurrectionem_sp.html

Fonte: site Christo Nihil Praeponere

Como você se sente ao ler este artigo?
Feliz Informado Inspirado Triste Mal-humorado Bizarro Ri muito Resultado
7 0
PUBLICAR - COMENTAR - EMAIL

Ver N artigos +procurados:
TÓPICO  ASSUNTO  ARTIGO (leituras: 9343097)/DIA
PeR  Escrituras  1355 Jesus jamais condenou o homossexualismo?82.62
Diversos  Igreja  4166 Papa Leão XIII e a visão de Satanás25.48
Diversos  Prática Cristã  3780 Os pecados mortais mais comuns21.64
Orações  Comuns  2773 Oração de Libertação15.17
Aulas  Doutrina  1497 Ser comunista é motivo de excomunhão?13.67
PeR  O Que É?  0516 O Que é a ADHONEP?13.16
Diversos  História  4042 R.R. Soares e Edir Macedo12.89
PeR  História  0515 O Recenseamento sob César Augusto e Quirino12.04
Diversos  Protestantismo  1652 Desafio aos Evangélicos: 32 Perguntas11.15
PeR  O Que É?  2142 Quiromancia e Quirologia10.89
Diversos  Prática Cristã  3185 Anticonceptivos são Abortivos?10.39
Diversos  Testemunhos  4164 Testemunho de minha travessia10.04
Diversos  Mundo Atual  4163 A Armadilha da Misericórdia9.47
Diversos  Apologética  3729 Desmascarando Hernandes Dias Lopes8.28
Vídeos  Testemunhos  3708 Terra de Maria8.20
Aulas  Doutrina  4165 Indulgências Plenárias, como obter?8.15
PeR  Prática Cristã  1122 As 14 estações da Via Sacra7.90
Diversos  Ética e Moral  2832 Consequências médicas da homossexualidade7.83
PeR  História  2571 Via Sacra, qual a origem e o significado?7.76
PeR  Escrituras  2389 O Pai Nosso dos Católicos e dos Protestantes7.72
PeR  O Que É?  0565 Lei Natural, o que é? Existe mesmo?7.69
PeR  O Que É?  1372 Eubiose, que é?7.43
PeR  Filosofia  0085 De Onde Viemos? Onde Estamos? Para Onde Vamos?7.32
PeR  Testemunhos  0450 Eu Fui Testemunha de Jeová6.94
Onde não há virtudes naturais a graça não pode operar.
Carlos Ramalhete

Católicos Online