Católicos Online - - - - AVISOS -


...

Pergunte!

e responderemos


Veja como divulgar ou embutir artigos, vídeos e áudios em seu site ou blog.




Sua opinião é importante!









Sites Católicos
Dom Estêvão
Propósitos

RSS Artigos
RSS Links



FeedReader



Download







Cursos do Pe Paulo Ricardo


Newsletter
Pergunte!
Fale conosco
Pedido


PESQUISAR palavras
 

INTRODUÇÃO


AOS JUÍZES


 


Juízes foram chamadas certas personagens insignes que, depois da morte de Josué até à constituição do reino isto é, desde o século XII ao XI a.C. libertaram, em várias circunstâncias, o povo de Israel dos inimigos.

Não formaram uma série ininterrupta, mas eram chamados pelo Senhor segundo as necessidades. Eram uma espécie de "ditadores" que, cumprida a missão libertadora, continuavam a exercer autoridade sobre o povo pelo resto da vida. Não dominavam sobre todo o povo, mas só nas tribos que libertavam i do inimigo; desta forma não é impossível que alguns juízes exercitassem ao mesmo tempo sua função.

O livro dos Juízes narra as empresas desses beneméritos libertadores do povo eleito. Em vez de uma história propriamente dita, da época, é uma coleção de memórias dos diversos heróis. São doze ao todo, classificados em maiores e menores, não tanto pela diferente importância dos empreendimentos e dos heróis, quanto pelo modo de serem apresentados. Dos menores, o autor contenta-se com citar o nome, alguma notícia da família, a duração de sua atividade e o lugar da sepultura, sem especificar o empreendimento; ao passo que dos maiores narra a história com mais particularidades, segundo um esquema fixo, que comporta quatro momentos: o pecado do povo (práticas ido-látricas), o castigo (dominação estrangeira), o arrependimento e a libertação por obra de um juiz.

Esse esquema está em perfeita harmonia com o pensamento dominante (2,11-19) da introdução especial (2,6 ■— 3,6) ao corpo do livro, que defende a tese segundo a qual Israel foi feliz enquanto se manteve fiel ao Senhor, e infeliz quando se apartou dele. Com isto dá-nos a conhecer a finalidade do autor: afastar eficazmente os israelitas do culto idolátrico.

Destarte o corpo da obra resulta composto, com sua própria introdução, à qual foi anteposta outra introdução geral (1,1-2,5) e foram acrescentados dois apêndices (17—18 e 19—221).

Não é fácil precisar a data dos dois fatos narrados nesses apêndices; há, contudo, razões sérias para admitir que ambos se deram nos primeiros tempos dos juízes, pois no episódio dos dani-tas aparece como sacerdote um neto de Moisés (Jz 18,30) e um neto de Arão é contemporâneo de outro episódio. A cronologia do corpo do livro é uma das dificuldades mais laboriosas que possam ocupar os intérpretes e entre as soluções propostas não há nenhuma que satisfaça plenamente. Como quer que seja, sem entrar em discussões inúteis, basta recordar que segundo lRs 6,1, entre o Êxodo e a construção do templo (4° ano do reinado de Salomão) passaram 480 anos. Portanto, se desse número subtrairmos 4 anos de Salomão, 40 de Davi e outros tantos de Saul (At 13,21), e ainda 70 anos que decorreram desde o Êxodo à primeira opressão, restariam ainda 330 anos para o período dos Juízes. Esse resultado estaria suficientemente de acordo com o que disse Jefté ao rei de Amon (11,26). Somando-se, porém, todos os tempos das opressões e os dos domínios dos juízes, obtêm-se 410 anos. Deve-se, portanto, admitir que o autor relatou números aproximados.

A parte principal (2,6—16,31) é obra de um só autor, como prova o esquema delineado e fielmente seguido em toda a narração. O autor, porém, não podia ter sido testemunha de tudo o que narra, já que sua história abrange um período de quase dois séculos. Serviu-se, portanto, de documentos preexistentes e de tradições orais. A sua fidelidade às várias fontes se manifesta na concisão com que narra fatos de máxima importância e que um escritor menos escrupuloso teria ampliado a seu bel-prazer.

Quando foi composto o livro? Com boa verossimilhança pode-se crer que foi nos primeiros anos do reinado de Saul. Com efeito, quatro vezes observa-se nos apêndices que os inconvenientes narrados aconteceram quando "em Israel não havia rei e cada um fazia o que lhe agradava". Tal coisa só podia ter sido escrita nos primeiros tempos da monarquia, quando se gozava dos seus bons efeitos e ainda não pesavam gravames que sobreviriam mais tarde.


Pergunte e Responderemos
Como você se sente ao ler este artigo?
Feliz Informado Inspirado Triste Mal-humorado Bizarro Ri muito Resultado
8 2
PUBLICAR - COMENTAR - EMAIL

Ver N artigos +procurados:
TÓPICO  ASSUNTO  ARTIGO (leituras: 9677911)/DIA
PeR  Escrituras  1355 Jesus jamais condenou o homossexualismo?81.13
Diversos  Prática Cristã  3780 Os pecados mortais mais comuns25.96
Orações  Comuns  2773 Oração de Libertação15.83
Diversos  História  4042 R.R. Soares e Edir Macedo14.26
Aulas  Doutrina  1497 Ser comunista é motivo de excomunhão?13.99
PeR  O Que É?  0516 O Que é a ADHONEP?13.45
PeR  História  0515 O Recenseamento sob César Augusto e Quirino12.42
Diversos  Protestantismo  1652 Desafio aos Evangélicos: 32 Perguntas11.37
Diversos  Prática Cristã  3185 Anticonceptivos são Abortivos?11.32
PeR  O Que É?  2142 Quiromancia e Quirologia10.74
Diversos  Apologética  3729 Desmascarando Hernandes Dias Lopes9.66
Vídeos  Testemunhos  3708 Terra de Maria8.78
PeR  O Que É?  0565 Lei Natural, o que é? Existe mesmo?8.37
PeR  Escrituras  2389 O Pai Nosso dos Católicos e dos Protestantes8.31
Diversos  Ética e Moral  2832 Consequências médicas da homossexualidade8.15
PeR  O Que É?  1372 Eubiose, que é?7.90
PeR  Prática Cristã  1122 As 14 estações da Via Sacra7.82
PeR  História  2571 Via Sacra, qual a origem e o significado?7.55
PeR  Filosofia  0085 De Onde Viemos? Onde Estamos? Para Onde Vamos?7.53
PeR  Testemunhos  0450 Eu Fui Testemunha de Jeová6.89
Diversos  Testemunhos  3465 Ex-pastor conta como fazia para converter católicos6.51
Diversos  Anjos  3911 Confissões do demônio a um exorcista6.44
Diversos  Apologética  3960 Deus não divide sua glória com ninguém?6.43
Diversos  Testemunhos  3922 Como o estudo da fé católica levou-me ao catolicismo6.34
A Bíblia comprova o que a Igreja ensina, nunca foi o contrário.
Claudio Maria

Católicos Online