Católicos Online - - - - AVISOS -


...

Pergunte!

e responderemos


Veja como divulgar ou embutir artigos, vídeos e áudios em seu site ou blog.




Sua opinião é importante!









Sites Católicos
Dom Estêvão
Propósitos

RSS Artigos
RSS Links



FeedReader



Download







Cursos do Pe Paulo Ricardo


Newsletter
Pergunte!
Fale conosco
Pedido


PESQUISAR palavras
 

PERGUNTE E RESPONDEREMOS 526 – julho 2006

Ainda uma vez:

 

BÍBLIA SAGRADA

Nova Tradução na Linguagem de Hoje

 

Em síntese: O Pe. Ney Brasil Pereira, Mestre em Ciências Bíblicas, apresenta sábia recensão da nova tradução da Bíblia, menos severa do que aquela publicada em PR 523/2006, pp. 7-14.

 

A Nova Tradução da Bíblia na Linguagem de Hoje, já comentada em PR 523/2006, pp. 7-14, é apreciada pelo Pe. Ney Brasil Pereira, Mestre em Ciências Bíblicas e Professor do Instituto de Teologia do Estado de Santa Catarina, a quem a Redação de PR agradece cordialmente a colaboração. O autor destas páginas é menos severo do que PR no caso em foco. Eis o seu texto:

 

BÍBLIA SAGRADA

Nova Tradução na Linguagem de Hoje

São Paulo, Edições Paulinas, 2005, 21cm x 13,5, 1472 p.

 

Mais uma edição da Bíblia aqui no Brasil. A novidade está no subtítulo, "Nova Tradução na Linguagem de Hoje" (NTLH), e também no fato de que a edição é na realidade uma coedição, de alcance ecumênico, de Edições Paulinas, católica, com a Sociedade Bíblica do Brasil, SBB, protestante.

 

Os tradutores não são identificados nominalmente. Mas se informa que os Direitos Autorais, quanto aos "Textos canônicos do Antigo e do Novo Testamento, com as Introduções, Notas e Auxílios ao Leitor", são da SBB, desde 2000, cedidos em 2005, com Direitos Reservados, para Paulinas Editora. Informa-se também que os Direitos dos "Textos deuterocanônicos (Tobias, Judite, Adições a Ester, 1 e 2 Macabeus, Sabedoria, Eclesiástico, Baruque e Adições a Daniel", com as "Introduções e Notas", são das Sociedades Bíblicas Unidas, SBU, desde 2003, cedidos em 2005, com Direitos Reservados, para Paulinas Editora.

 

A edição conta com a Apresentação de Dom Eugênio Rixen, Presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Administração bíblico-catequética, o qual, em data de 10-12-2004, assim conclui as suas palavras: "Ao recomendar esta edição aos fiéis católicos, desejamos que as Sagradas Escrituras sejam fonte de vida, de comunhão entre os cristãos, alimentem nossa vida de oração e favoreçam o diálogo entre as Igrejas cristãs. Parabenizamos a Paulinas Editora pela publicação da "Bíblia Sagrada - Nova Tradução na Linguagem de Hoje". Apreciamos o esforço de traduzir a Sagrada Escritura em linguagem atual, acessível ao leitor contemporâneo e à sua cultura".

 

No Prefácio, não assinado, em data de janeiro de 2005, resume-se a história da Nova Tradução na Linguagem de Hoje. Recorda-se que o empreendimento começou em 1973, com o lançamento do Novo Testamento em Tradução na Linguagem de Hoje (TLH). Quinze anos depois, em 1988, era lançada toda a Bíblia na Linguagem de Hoje (BLH), sem os deuterocanônicos. Doze anos depois, em 2000, após cuidadosa revisão, foi lançada a Nova Tradução na Linguagem de Hoje, (NTLH), ainda sem os deuterocanônicos, embora também eles tivessem sido traduzidos.

 

Como lembra o prefaciador, "os princípios seguidos na NTLH, como já na TLH, são os princípios de tradução de 'equivalência funcional', em que se reproduz o sentido dos textos originais hebraico, aramaico e grego, expressando-o de maneira simples e natural, como fala a maioria da população".

 

O prefaciador apresenta também os recursos desta edição: 1) Introdução para cada livro, com dados relevantes sobre o seu autor e o contexto histórico em que surgiu, bem como a sua mensagem central; 2) Esquema do conteúdo, destacando os principais assuntos e divisões de cada livro; 3) Referências paralelas, no rodapé, possibilitando ao leitor a consulta de outras passagens bíblicas relacionadas ao assunto; 4) Notas explicativas, no rodapé, com variantes textuais e traduções alternativas; 5) Vocabulário, com esclarecimento de termos importantes; 6) Mapas, permitindo que o leitor situe geograficamente os acontecimentos narrados nas páginas da Bíblia.

 

Quanto aos deuterocanônicos, o prefaciador informa que, de 2002 a 2003, houve a colaboração de peritos católicos, designados pela CNBB, para a sua revisão, sendo os demais livros bíblicos "igualmente apreciados pela CNBB". A recomendação para o uso da NTLH foi oficializada em 25-3-2003 por Dom Francisco Javier Hernandes Arnedo, então Bispo responsável pela dimensão bíblico-catequética da CNBB. São suas estas palavras:

 

"Esta tradução, além de manter uma fidelidade irrestrita aos textos originais, representa um significativo esforço por adequar-se à cultura e linguagem do homem contemporâneo, facilitando aos fiéis a compreensão dos conteúdos da Revelação de Deus e permitindo-lhes maior familiaridade com a sua Palavra (cf. Dei Verbum, 25). Ao recomendar esta edição aos fiéis católicos de língua portuguesa, no Brasil e na África, expressamos nosso singelo desejo de que as Sagradas Escrituras sejam não só fonte perene de espiritualidade para todos os cristãos, mas, também, um lugar privilegiado de encontro e diálogo entre as Igrejas cristãs. É a Palavra de Deus que nos pode dar a todos a Sabedoria que leva à salvação, pela fé em Cristo Jesus (cf. 2Tm 3, 15)".

 

E o prefaciador conclui: "A Bíblia, com o texto da NTLH, está aí, portanto, para o uso comunitário e individual, familiar e geral, para a catequese, a liturgia e o estudo pessoal, trazendo os escritos bíblicos na linguagem simples do povo".

 

Bíblia Sagrada - Edição Pastoral

 

Obra católica similar à Bíblia Sagrada, Nova Tradução na Linguagem de Hoje, é a Bíblia Sagrada, Edição Pastoral. Lançada em março de 1990 pela Editora Paulus, encontra-se já, no exemplar que tenho agora em mãos, na 56a reimpressão. É um sucesso editorial inegável. Recordo o furor que causaram, no lançamento, suas Notas de rodapé, e igualmente o "Pequeno Vocabulário", depois supresso, considerados esquerdistas demais. Quanto à Tradução, os editores observam o seguinte: "Conservando a fidelidade aos textos originais, procuramos traduzi-los em linguagem corrente, evitando construções rebuscadas e palavras de uso menos comum". Quanto às Notas, alerta-se o seguinte: "Elas não pretendem esgotar o assunto, nem se apresentam como normas rígidas para a leitura do trecho: pelo contrário, são apenas início de reflexão. Nasceram de exame minucioso do texto, à luz da recente literatura disponível sobre o assunto tratado...". Última observação dos editores, reimpressa até hoje: "Não é nossa pretensão ter realizado um trabalho completo e intocável. Solicitamos, por isso, que os leitores nos enviem observações e sugestões, que serão muito úteis para aprimorar o trabalho até aqui realizado".

 

Problema atual, problema antigo

 

A dificuldade de traduzir está há muito tempo expressa pelo aforisma italiano traduttore, traditore, segundo o qual o tradutor pode ser um traidor, isto é, ele muitas vezes "trai", não consegue ser fiel ao sentido do texto que traduz. Em relação ao texto bíblico, temos na própria Bíblia o testemunho de um tradutor do hebraico para o grego, no final do século II antes de Cristo. Trata-se do neto de Ben Sirá, o Sirácida, que comenta sua própria tradução do livro do avô, o livro deuterocanônico posteriormente chamado de "Eclesiástico". Veja-se o que ele diz do seu trabalho (cito o texto da NTLH): "Fiz todo o possível para traduzi-lo bem. Mas, mesmo assim, se parecer que não fui feliz na tradução de algumas passagens, peço que me desculpem. É que as coisas escritas em hebraico não têm exatamente o mesmo sentido quando são traduzidas para outra língua. Isso não acontece somente com este livro que traduzi: a própria Lei, os livros dos Profetas e os outros livros são bem diferentes quando lidos na língua em que foram escritos".

 

Isto dizia o neto de Ben Sirá comentando o próprio trabalho e referindo-se à primeira tradução da Bíblia, realizada em Alexandria desde meados do século III antes de Cristo, tradução depois chamada de "Septuaginta", ou seja, a tradução dos "Setenta", segundo informação da carta de Aristéias. Essa dificuldade, quase impossibilidade, às vezes, de traduzir, não impediu que se continuasse traduzindo, dada a barreira linguística entre o texto bíblico e seus cada vez mais numerosos destinatários. Os rabinos helenistas do século II depois de Cristo, considerando tendenciosa a Septuaginta, então apropriada pelos cristãos, produziram mais três versões gregas. Surgiram as versões latinas antigas e, depois, a Vulgata de Jerônimo. Depois, no final da Idade Média, as primeiras versões nas línguas modernas. E hoje, com todos os recursos da linguística e da técnica, não se pára de traduzir.

 

Assim, também a CNBB produziu a sua tradução da Bíblia, para uso oficial da Igreja Católica no Brasil. É a Bíblia Sagrada - Tradução da CNBB. Lançada em 2001, e numa segunda edição em 2002, ela continua em processo de revisão. Como recomenda o Concílio Vaticano II (Dei Verbum, n. 22), a tradução da CNBB se baseia nos textos originais hebraicos, aramaicos e gregos, cotejados criteriosamente com a Nova Vulgata, ela mesma baseada nos documentos originais. A apresentação desta segunda edição recorda que ela "se destina à leitura proclamada, à formação e à oração, à citação em documentos e à preparação das edições litúrgicas e, graças à dupla numeração de versículos, ao uso ecumênico. Mantém a segunda pessoa tu/vós, que dá maior clareza à proclamação e implica os pronomes correspondentes (te/vos, teu/vosso). Conforme o princípio de que o sentido literal seja compreendido, se possível, na hora da leitura ou proclamação, foram evitados certos termos, mesmo tradicionais (como homem, quando se quer dizer o ser humano em geral), que poderiam induzir uma compreensão espontânea não visada pelo original". A apresentação conclui afirmando que "a tradução sempre terá de respeitar, o mais possível, o teor do texto original, deixando a explicação e a atualização para a homilia, a catequese e a "'formação permanente da fé".

 

Conclusão

 

Não tive tempo para uma leitura mais abrangente de todo o texto da Bíblia Sagrada - Nova Tradução na Linguagem de Hoje. Mas penso que. no conjunto das traduções atualmente publicadas no Brasil, ela aparece como o resultado de um trabalho cuidadoso, persistente, de uma equipe abalizada, que levou em conta semelhantes "traduções na linguagem de hoje" em outras línguas, e agora oferece ao leitor cristão brasileiro, evangélico e católico, esta leitura que se pretende atualizada da eterna Palavra de Deus.

 

Quanto à "atualização" da Palavra, pessoalmente faço grandes reservas a certo tipo de atualização ou simplificação. Será que realmente contribui para o melhor entendimento a substituição de princípio por "começo", serpente por "cobra", óleo por "azeite", evangelho por "boa notícia", justos e injustos por "bons e maus", mistério por "segredo", tomar por "pegar", manto por "roupa" etc etc? Não me parece válida, por exemplo, por uma série de detalhes, a tradução de Os 6, 6: Eu quero que vocês me amem e não que me ofereçam sacrifícios; em vez de me trazer ofertas queimadas, eu prefiro que o meu povo me obedeça... Onde ficaram os conceitos de misericórdia/solidariedade inter-humana (hebr. hesed) e o verdadeiro "conhecimento de Deus", que leva à prática da justiça (cf. Jr 22, 16)? Da mesma forma, a tradução das Bem-aventuranças em Mateus deixa muito a desejar: é um caso típico em que uma interpretação determinada impede o leitor ou ouvinte de abrir-se para todas as implicações do original. Assim, não me parece exato que os pobres no espírito (Mt 5, 3) sejam "os que sabem que são espiritualmente pobres". Da mesma forma, a fome e sede de justiça (Mt 5, 6) é muito mais do que "a fome e sede de fazer a vontade de Deus'...

 

Repito. Haveria muita coisa a discutir nos detalhes, assim como também as há, evidentemente, nas outras traduções. Jamais chegaremos a uma tradução perfeita. E neste sentido também não é perfeita esta Nova Tradução na Linguagem de Hoje. Mas é uma alternativa valiosa, preciosa, bem-vinda, que poderá vir a ser aperfeiçoada, e que certamente fará muito bem. Neste sentido, alegro-me e congratulo-me com a Sociedade Bíblica do Brasil e as Edições Paulinas por este significativo e oportuno trabalho de coedição.

 

Fonte e-mail: [email protected]


Como você se sente ao ler este artigo?
Feliz Informado Inspirado Triste Mal-humorado Bizarro Ri muito Resultado
4 2
PUBLICAR - COMENTAR - EMAIL

Ver N artigos +procurados:
TÓPICO  ASSUNTO  ARTIGO (leituras: 9430783)/DIA
PeR  Escrituras  1355 Jesus jamais condenou o homossexualismo?82.37
Diversos  Prática Cristã  3780 Os pecados mortais mais comuns22.92
Orações  Comuns  2773 Oração de Libertação15.26
Diversos  Apologética  4169 Comer sua carne literalmente?14.25
Aulas  Doutrina  1497 Ser comunista é motivo de excomunhão?13.76
Diversos  História  4042 R.R. Soares e Edir Macedo13.62
PeR  O Que É?  0516 O Que é a ADHONEP?13.20
PeR  História  0515 O Recenseamento sob César Augusto e Quirino12.08
Diversos  Protestantismo  1652 Desafio aos Evangélicos: 32 Perguntas11.21
PeR  O Que É?  2142 Quiromancia e Quirologia10.85
Diversos  Prática Cristã  3185 Anticonceptivos são Abortivos?10.64
Pregações  Protestantismo  4167 Onde está na Bíblia ...10.06
Pregações  Mundo Atual  4170 A Ditadura do Relativismo9.95
Diversos  Apologética  3729 Desmascarando Hernandes Dias Lopes8.68
Vídeos  Testemunhos  3708 Terra de Maria8.37
PeR  Prática Cristã  1122 As 14 estações da Via Sacra7.87
Diversos  Ética e Moral  2832 Consequências médicas da homossexualidade7.84
PeR  Escrituras  2389 O Pai Nosso dos Católicos e dos Protestantes7.82
PeR  O Que É?  0565 Lei Natural, o que é? Existe mesmo?7.72
PeR  História  2571 Via Sacra, qual a origem e o significado?7.71
PeR  O Que É?  1372 Eubiose, que é?7.52
PeR  Filosofia  0085 De Onde Viemos? Onde Estamos? Para Onde Vamos?7.40
Pregações  Apologética  4171 Há cristianismo sem Igreja?6.98
PeR  Testemunhos  0450 Eu Fui Testemunha de Jeová6.94
Onde estiver o bispo, ali estarão também as multidões, da mesma forma que onde estiver Jesus Cristo, ali estará a Igreja Católica.
Sto. Inácio de Antioquia (35-110)

Católicos Online