Católicos Online - - - - AVISOS -


...

Pergunte!

e responderemos


Veja como divulgar ou embutir artigos, vídeos e áudios em seu site ou blog.




Sua opinião é importante!









Sites Católicos
Dom Estêvão
Propósitos

RSS Artigos
RSS Links



FeedReader



Download







Cursos do Pe Paulo Ricardo


Newsletter
Pergunte!
Fale conosco
Pedido


PESQUISAR palavras
 

PERGUNTE E RESPONDEREMOS 529 – julho 2006

Ficção x realidade:

 

"O PERFIL DO PADRE"

 

Em síntese: Há quem procure enxovalhar a imagem do padre apontando um clero descrente cumprindo funções por interesse de status na sociedade ou de economia. - Bem diferente é a situação dos padres no Brasil de acordo com uma investigação objetiva e científica da realidade; é evidente que a grande maioria dos clérigos do Brasil vive fielmente a vocação sacerdotal e está devidamente integrada na Igreja.

 

Acabamos de citar a apostila do pastor Joel Santana, que agride até mesmo caluniosamente a Igreja Católica, baseando-se em notícias falsas ou mal transmitidas. Mais um espécime de quanto este autor não merece crédito é a secção de sua apostila em que fala do clero. Propõe autêntica ficção, destituída de todo fundamento, ... ficção à qual se contrapõe um inquérito recente, do qual resulta a evidência de que o clero católico está intimamente identificado com sua vocação.

 

A seguir, proporemos a imagem fictícia caluniosa e a imagem real dos padres no Brasil.

 

1. A ficção tendenciosa

 

Segundo Joel Santana, há quatro tipos de padre:

 

1°) Os que já concluíram que o Catolicismo é falcatrua, mas não o deixam, porque estão tirando proveito disso. Estes constituem a grande maioria, supomos nós.

2o) Os que já concluíram em suas mentes que o Catolicismo é antibíblico e incoerente, e suspeitam da infalibilidade papal, mas também suspeitam da autenticidade de suas conclusões. Temem estar equivocados e por isso preferem continuar submissos ao Vaticano. Preferem trair suas consciências a romperem com o Papa. Embora não sejam a maioria, há grande número de padres assim.

3o) Os que creem piamente que a Igreja Católica é a única Igreja de Cristo, que fora dela não há salvação, que o protestantismo é herético, que o Papa é o sucessor do apóstolo Pedro, que portanto ele manda e não pede, e que quem rejeitar o que o Papa prega irá para o inferno. Há milhares de padres assim, porém são a minoria. Estes estão dispostos a tudo. Eles realmente creem que obedecer ao Papa incondicionalmente é o mesmo que obedecer a Deus. Eles creem no que pregam e estão dispostos a tudo, tudo, tudo. Cuidado! Eles continuam tão perigosos quanto os clérigos da famigerada "Santa Inquisição".

4°) Os que romperam com o Catolicismo, mas não querem romper com a Igreja Católica (isto é, são católicos de direito, mas não o são de fato), por acreditarem que através do Evangelho autêntico que pregam podem levar outros católicos à salvação em Cristo. Há até os que creem na possibilidade de conseguirem mudara Igreja Católica. Contudo, como bem dizia o ex-Padre Hipólito Campos, "Roma sempre a mesma", ou seja, essa "Igreja" é incorrigível. O que os padres e leigos que descobrem a verdade, devem fazer, é abandonar essa "Igreja" às pressas. Como já informamos, o ex-Padre Aníbal também tentou mudar essa seita; porém, após três anos malhando em ferro frio, desistiu e se vinculou a uma igreja evangélica. Façam o mesmo já! Obedeçam o que diz Apocalipse 18, 4: "...Sai dela povo meu...". Fora dessa seita o argumento de vocês será mais forte.

 

Está é a ficção. Vejamos agora a realidade.

 

2. A autêntica face da realidade

 

Em 2005 foi publicado pela editora Loyola o resultado de uma pesquisa realizada a propósito do clero no Brasil, aplicando-se os métodos mais recentes da investigação científica. O trabalho foi organizado de maneira objetiva e destituída de preconceitos pela Dra. Kátia Maria Cabral Medeiros, psicóloga, e pela Dra. Sônia Regina Alves Fernandes, socióloga, sob o patrocínio do CERIS (Centro de Estatística Religiosa e Investigações Sociais), filiado à Conferência Nacional dos Bispos do Brasil. -Eis os principais dados assim colhidos:

 

"Vivência e prática religiosa

 

A pesquisa procurou identificar os motivos que levaram os pesquisados à opção pela presbiterato e a sua avaliação atual dessa opção, assim como mapear sua vivência e prática religiosa a partir dos aspectos ligados à espiritualidade e à atuação pastoral.

 

Opção presbiteral

 

Os padres foram solicitados a assinalar a principal motivação que os levou à opção sacerdotal, a partir de um rol de 13 opções. A grande maioria assinalou a opção "serviço a Deus e aos irmãos" (58%). Todas as demais opções tiveram índices abaixo de 10%, sendo a única com esse percentual a que aponta a "desordem ou a falta de estrutura familiar". As opções "amor aos pobres" e o "desejo de lutar contra as injustiças sociais" tiveram índices baixos, respectivamente 5% e 2%, o que demonstra que a "opção preferencial pelos pobres", compromisso da Igreja conclamado em Puebla (1979), não tem sido força motriz para as vocações. É interessante observar que duas opções não foram escolhidas nem pelo clero diocesano nem pelo religioso, ou seja, "o desejo de viver uma vida santa" e a "possibilidade de ampliar seus conhecimentos".

 

Quase a totalidade do clero (94%) ao avaliar a própria opção, confirmaria sua opção presbiteral. O desejo de mudança de opção foi sinalizado por 4% do clero diocesano, que optaria pelo serviço à Igreja como leigo (2%), ou como diácono (1%) ou, ainda, pelo casamento (1%); entre o clero religioso todas essas opções receberam indicação de 1% do seu contingente, em cada uma delas.

 

Espiritualidade

 

Um traço característico na opção pela vida religiosa é o compromisso com a vivência da espiritualidade que deve servir de fundamento para a ação evangelizadora. Nas últimas décadas, com o aumento populacional e o crescimento dos desafios pastorais, o ativismo e a sobrecarga de compromissos na vida dos sacerdotes muitas vezes têm sido apontados como obstáculos ao cultivo da espiritualidade.

 

A espiritualidade tem sido considerada como força motriz para 57% do clero, sendo que 34% apontaram a necessidade de ser mais bem cultivada. Entre o clero diocesano e o religioso (1) encontramos índices diferenciados quanto à avaliação da vivência da espiritualidade: os dados expressam que, enquanto 40% do clero diocesano acredita que a espiritualidade precisa de ser mais bem cultivada, a proporção dos que concordam com essa afirmação cai para 27% entre os religiosos. A consideração da espiritualidade como força motriz é mais indicada entre os religiosos (67%) do que entre os diocesanos (52%).

(1) Clero religioso é o que vive sob uma Regra conventual.

As celebrações eucarísticas são consideradas como um dos principais valores que animam a vida espiritual dos padres (67%). Outros valores que os padres consideram importantes são as atividades que exercem em seu ministério (56%), assim como o ideal que os motivou para o ingresso no sacerdócio (46%). As orações, meditações e leituras individuais são assinaladas por 40%.

 

Os três primeiros valores que animam a vida espiritual dos sacerdotes apontados acima são percentualmente semelhantes tanto no clero diocesano quanto no religioso. As diferenças de valoração se encontram no que diz respeito às orações, meditações e leituras individuais que servem como impulso para a vida espiritual dos religiosos (51%) mais do que aos diocesanos (34%); as amizades dentro da comunidade paroquial são mais apontadas pelo clero diocesano (22%) do que pelo religioso (14%) assim como o relacionamento com o clero (diocesano, 16%, religioso, 4%). Já a luta por justiça e igualdade social recebe uma valorização percentualmente semelhante entre os dois cleros (diocesanos e religiosos, 25% e 22% respectivamente).

 

 

Segundo Lorscheider o presbítero deve ser um "homem de oração: interiorizar a Palavra de Deus dentro do contexto em que vive e exerce o seu ministério". De acordo com a pesquisa, a prática da oração é vivenciada por 96% do clero, sendo que 2% dos padres diocesanos não a possuem e, entre os religiosos, 1%. As condições que se tornam mais favoráveis para a prática da oração, segundo os presbíteros, são as celebrações eucarísticas (74% entre os diocesanos e 72% entre os religiosos), a Liturgia das Horas (51% entre os diocesanos e 46% entre os religiosos), e os momentos comunitários (37% entre os diocesanos e 41% entre os religiosos).

 

A vivência diária da espiritualidade entre os padres está marcada principalmente pela missa (87%), Liturgia das Horas (64%), meditação (48%), leitura de cultivo espiritual (44%), oração do terço (42%) e leitura orante da Palavra de Deus (41%).

 

Atuação pastoral

 

Dos padres informantes, 70% estão atuando em pastorais diversas, 22% estão envolvidos em atividades administrativas, 14% na pregação ou direção espiritual e/ou em atividades missionárias e 13% em formação de seminaristas. A presença dos padres nos movimentos sociais é muito pequena (8%), assim como são poucos os que trabalham como assessores (8%) e/ou estão atuando como professores de colégios e universidades (7%) e/ou na pesquisa teológica (4%).

 

Encontramos maior presença dos diocesanos nas atividades pastorais (76%) do que da parte dos religiosos (60%); em atividades administrativas, são 25% os diocesanos, enquanto a participação dos religiosos é de 17%; por outro lado, nas atividades missionárias os religiosos estão em maior número (21%) do que os diocesanos (11%).

 

Apenas no âmbito eclesial

 

Dos padres informantes, 66% têm como maior atividade no campo eclesial a atuação paroquial e aproximadamente 15% indicaram que atuam em diversas atividades eclesiais de maneira igualitária. Poucos são os que atuam em CEBs (5%) e em outros movimentos (1%).

 

A maioria dos padres diocesanos tem na paróquia sua atividade principal (71%), 11% deles atuam em várias atividades eclesiais de maneira igualitária, e não houve menção de atuação no Movimento de Renovação Carismática e/ou Conferência dos Religiosos do Brasil/Comissão Nacional do Clero. Entre os religiosos, 58% atuam em paróquia, sendo que 22% informaram que trabalham em diversas atividades, tais como movimentos, organismos diocesanos, arquidiocesano e regionais de maneira igualitária.

 

Vivência sacerdotal

 

Realização pessoal não é algo que possa ser medido por números e índices. Entretanto, foi solicitado aos presbíteros que dessem uma nota para sua realização pessoal no sacerdócio a fim de servir como termômetro à sua vivência pessoal da opção presbiteral. A nota média dada pelo clero foi 8,2, sinalizando uma boa avaliação da vivência pessoal dos presbíteros, ainda que não seja plena.

Avaliando a motivação, a dedicação e o entusiasmo no ministério, 60% do clero sente-se motivado, 32% muito motivado e 5% pouco motivado. As opiniões são semelhantes tanto para o clero religioso quanto para o diocesano" (pp. 22-25).

 

3. Conclusão

 

Após considerar o procedimento de J. Santana, que ataca na base de preconceitos e inverdades, pergunta-se: que autoridade tem ele para acusar a Igreja Católica? É assim que se prega o Evangelho de Cristo, "o Caminho, a Verdade e a Vida" (Jo 14, 6)? Seria necessário que Santana investigasse a veracidade das acusações que ele formula, para evitar fazer o papel de papagaio, que repete cegamente o que dizem os ignorantes. A "evangelização" na base da mentira não é obra de Cristo, mas de Satanás, que é o pai da mentira (Jo 8, 44).

 

Dom Estêvão Bettencourt (OSB)


Como você se sente ao ler este artigo?
Feliz Informado Inspirado Triste Mal-humorado Bizarro Ri muito Resultado
5 1
PUBLICAR - COMENTAR - EMAIL

Ver N artigos +procurados:
TÓPICO  ASSUNTO  ARTIGO (leituras: 9440706)/DIA
PeR  Escrituras  1355 Jesus jamais condenou o homossexualismo?82.36
Diversos  Prática Cristã  3780 Os pecados mortais mais comuns23.03
Orações  Comuns  2773 Oração de Libertação15.28
Aulas  Doutrina  1497 Ser comunista é motivo de excomunhão?13.77
Diversos  História  4042 R.R. Soares e Edir Macedo13.65
PeR  O Que É?  0516 O Que é a ADHONEP?13.20
PeR  História  0515 O Recenseamento sob César Augusto e Quirino12.09
Diversos  Protestantismo  1652 Desafio aos Evangélicos: 32 Perguntas11.22
PeR  O Que É?  2142 Quiromancia e Quirologia10.84
Diversos  Prática Cristã  3185 Anticonceptivos são Abortivos?10.67
Diversos  Apologética  3729 Desmascarando Hernandes Dias Lopes8.74
Pregações  Protestantismo  4167 Onde está na Bíblia ...8.73
Diversos  Apologética  4169 Comer sua carne literalmente?8.54
Vídeos  Testemunhos  3708 Terra de Maria8.41
PeR  Prática Cristã  1122 As 14 estações da Via Sacra7.87
Diversos  Ética e Moral  2832 Consequências médicas da homossexualidade7.84
PeR  Escrituras  2389 O Pai Nosso dos Católicos e dos Protestantes7.83
PeR  O Que É?  0565 Lei Natural, o que é? Existe mesmo?7.72
PeR  História  2571 Via Sacra, qual a origem e o significado?7.70
PeR  O Que É?  1372 Eubiose, que é?7.55
PeR  Filosofia  0085 De Onde Viemos? Onde Estamos? Para Onde Vamos?7.41
PeR  Testemunhos  0450 Eu Fui Testemunha de Jeová6.94
Diversos  Testemunhos  3922 Como o estudo da fé católica levou-me ao catolicismo6.64
Diversos  Testemunhos  3465 Ex-pastor conta como fazia para converter católicos6.63
Ser cristão não é aderir ao Cristo que o indivíduo imagina, mas é aderir a Ele tal como vive na Igreja, que é seu corpo (cf. Cl 1, 24).
Dom Estêvão Bettencourt

Católicos Online