Católicos Online - - - - AVISOS -


...

Pergunte!

e responderemos


Veja como divulgar ou embutir artigos, vídeos e áudios em seu site ou blog.




Sua opinião é importante!









Sites Católicos
Dom Estêvão
Propósitos

RSS Artigos
RSS Links



FeedReader



Download







Cursos do Pe Paulo Ricardo


Newsletter
Pergunte!
Fale conosco
Pedido


PESQUISAR palavras
 

PERGUNTE E RESPONDEREMOS 356 – janeiro 1992

Entrevista audaz:

OS GRANDES INIMIGOS DO CATOLICISMO

 

Em síntese: O famoso escritor francês Jean Guitton faz algumas observações sobre o Papa, a Igreja e os católicos. Explica por que João Paulo II muito fala sobre direitos humanos; ele o faz porque este tema interessa a toda a humanidade e o Papa se sente devedor de uma palavra a todos os homens; Isto, porém, não quer dizer que o Pontífice não aborda também assuntos profundamente teológicos e ascético-místicos. — Jean Guitton termina dizendo que o maior Inimigo do Catolicismo hoje são os católicos, desde que não vivam coerentemente aquilo que professam. Nesta afirmação exprime importante verdade, de modo que ela desperta nos católicos a convicção de que há necessidade premente de viver santamente a mensagem do Evangelho, pois os homens de hoje a julgam pelo comportamento de seus adeptos; blasfemam ou louvam o nome de Deus e de Jesus Cristo de acordo com o tipo de vivência dos que se dizem cristãos.

 

Em julho de 1991 o político socialista italiano Cario Martelli repetiu uma censura que vem fazendo ao Papa João Paulo II: seria um Papa iluminista, ou seja, racionalista. O atual Pontífice se distinguiria dos anteriores por uma forte secularização(1) da sua mensagem. Não só nos meios que adota, mas também nos valores e ideais que prega, entre os quais sobressai a questão dos direitos humanos, transpareceria o espírito secularizado de João Paulo II. visto que a temática dos direitos humanos está no âmago do Iluminismo.

 

(1) Secularização, no caso, quer dizer ‘laicização’, perda do caráter religioso.

 

A imprensa italiana reagiu a tais declarações através dos jornais L'Avvenire e Il Popolo.

 

A controvérsia teve seus ecos em Paris, na casa do pensador francês Jean Guitton, já nonagenário, mas muito lúcido; publicou recentemente um livro assaz comentado com o titulo Dieu et Ia Science, diálogo com dois cientistas famosos, que se tornou best-seller. Jean Guitton é o amigo dos Papas João XXIII, Paulo VI e João Paulo II; foi o único leigo que João XXIII chamou e investiu para participar da primeira sessão do Concílio do Vaticano II. Durante 27 anos leve fácil acesso a Paulo VI, que o autorizou a revelar diálogos, pensamentos e confidências de caráter reservado. Em suma. é um dos grandes intelectuais católicos do momento.

 

Jean Guitton foi entrevistado pelo repórter Luigi Amicone, da revista italiana II Sabato, que publicou o depoimento de J. Guitton em sua edição de 27/07/91. pp. 105. — É o texto da entrevista que vai, a seguir, reproduzido, em tradução brasileira.

 

FALA JEAN GUITTON

 

L. Amicone: "O Vice-Presidente do Conselho de Ministros, o Sr. Cláudio Martelli, afirmou que João Paulo II é o Papa dos direitos humanos. Por conseguinte, é um Papa iluminista, mais preocupado com os direitos dos homens do que com os direitos de Deus. Que responde o Sr. a isto?"

 

J. Guitton: "Respondo que isso não é novidade. Todos os Papas sempre foram contestados pela mentalidade mundana. Um Papa não pode agradar a todos; também não pode dizer tudo ao mesmo tempo. Pense no problema da identidade de Jesus Cristo. Cristo é verdadeiro Deus e verdadeiro homem. Mas certas vezes o Papa insiste na Divindade de Cristo; outras vezes, na sua humanidade. A verdade sempre decorre de ideias aparentemente contrárias. Pense na educação dos filhos: um pai deve necessariamente ter autoridade, mas também deixar ao menino a sua liberdade. A verdade é sintética, mas é outrossim complexa. Dizem que o Papa insiste demais nos direitos humanos e esquece os de Deus? É acusação injusta e parcial. Quando se considera a conduta do Pontífice e se releem atentamente os seus discursos, compreende-se bem como ele põe Deus infinitamente acima do homem".

 

L. Amicone: "Por conseguinte, é melhor a fórmula de André Frossard. que nas colunas do 'L'Express’ fala de João Paulo II como o Papa que reconciliou os direitos do homem com os direitos de Deus?"

 

J. Guitton: "Sim; muitas vezes diz-se, e é verdade, que o atual Papa é um grande reconciliador; fala a todos os homens, e não apenas aos cristãos; é de todos, e não apenas dos católicos; usa linguagem que todos os povos podem entender. Isto, porque os homens do nosso tempo não creem muito em Deus e, para dizer a verdade, nem no homem creem.

 

Por que João Paulo II fala de direitos humanos? Porque este é um tema compreensível a todo o gênero humano. Isto não significa que ele esqueça os direitos de Deus..."

 

L. Amicone: "O Sr. julga que a intenção de se voltar para todos os homens é uma atitude permanente em toda a história da Igreja ou é uma peculiaridade do atual Pontificado?"

 

J. Guitton: "Não; estou falando de João Paulo II em particular. Antes do Concilio do Vaticano II, Papas como São Pio X ou Pio XI não se sentiam preocupados com essa orientação pastoral. O seu interesse era, principalmente, dogmático. Somente após o Concílio os Papas começaram a se preocupar não apenas com o ensinamento da verdade como tal, mas também com a maneira de a ensinar, compreensível a todos os homens. E. já que hoje a humanidade inteira é sensível à questão dos direitos humanos, os Papas se têm esforçado por demonstrar claramente que a Igreja Católica não é contrária aos princípios da liberdade, da igualdade e da fraternidade. Doutro lado, não é difícil demonstrar que tudo o que a Revolução Francesa proclamou no mundo Inteiro, tem as suas raízes na fé católica."

 

L. Amicone: "O Sr. disse certa vez: 'O drama da hora presente é que o Catolicismo vai ganhando em extensão, já não tem adversários, difunde- se, mas fica a questão de saber se não perdeu algo de essencial'. Repetiria esta sentença hoje, após as ocorrências de 1989?"

 

J. Guitton: "É evidente no mundo inteiro, e especialmente na França, o desaparecimento do anticatolicismo e do anticlericalismo. Você pode passear pelo Quartfer Latin de clergyman ou de batina sem ser agredido ou desprezado, nem mesmo pelos jovens. Creio que na Itália isto também é evidente; já não há hostilidade nas relações com a Igreja Católica".

 

L. Amicone: "Na sua última conversa com o Sr., Paulo VI lhe exprimiu a sua preocupação dramática com o futuro da Igreja. Dizia: 'O que me impressiona, quando considero o mundo católico, é que dentro do Catolicismo parece às vezes predominar uma mentalidade não católica, e pode acontecer que essa mentalidade não católica no interior do Catolicismo amanha se torne preponderante'”.

 

J. Guitton: "Paulo VI era um homem muito inteligente, sagaz e informado. O mais informado dos Papas que conheci. Não quero dizer que João Paulo II não seja informado, mas Paulo VI tinha ouvidos muito abertos e estava a par de tudo. Paulo VI recebia informações de dois tipos: as que referiam os ataques feitos ao Catolicismo no plano da Moral (divórcio, contracepção, aborto), ataques que provinham de fora; além disto, era informado a respeito das dúvidas, das defecções, das suspeitas de Bispos e sacerdotes. Como se a Igreja tivesse inimigos internos. Paulo VI se preocupava principalmente com estes últimos. Às vezes quase chorava. Falava da 'fumaça de Satanás'. Estava evidentemente inquieto...'

 

L. Amicone: "Qual é, a seu modo de ver. o inimigo da Igreja hoje?"

 

J. Guitton: "O grande inimigo é que os católicos não são santos. Na França quase todos recebem a graça do Batismo. São quase todos católicos, mas têm costumes detestáveis. Os grandes inimigos do Catolicismo são os católicos. Somos todos nós. Se todos os católicos fossem santos, o Catolicismo triunfaria realmente Mas, ao contrário, nós somos como todos os outros".

 

COMENTANDO...

 

As palavras de Jean Guitton são fortes e penetrantes, principalmente em suas afirmações finais. Sugerem algumas observações:

 

1) É certo que João Paulo II se tem preocupado muito não só com os direitos humanos (tema que interessa a todos os homens, e não só aos católicos), mas também com as verdades da fé e sua transmissão a todo o mundo; tenhamos em vista as grandes Encíclicas teológicas de Sua Santidade: "Dives In Misericórdia" (sobre Deus Pai); "Redemptor Hominis" (sobre Deus Filho); "Dominum et Vivificantem" (sobre Deus Espírito Santo); "Redemptoria Mater" (sobre a Mãe do Redentor)... Além disto, é notório o zelo do Papa pela vida espiritual e a formação dos fiéis católicos em geral, como se depreende de seus escritos e alocuções aos Bispos, aos presbíteros, aos Religiosos e às Religiosas, aos leigos de diversas áreas do trabalho o do saber... Ninguém pode seriamente duvidar dos propósitos religiosos do Pontífice. Dado, porém, que S. Santidade tem viajado pelo mundo inteiro, dirigindo-se aos mais diversificados auditórios, compreende-se que aborde frequentemente temas menos acentuadamente religiosos ou de Direito natural.

 

2) Jean Guitton mostra-se otimista quando fala do respeito tributado à Igreja em diversos lugares antes tidos como anticatólicos ou anticlericais... Não há dúvida de que no Brasil a Igreja goza de grande confiabilidade; a pesquisa da opinião pública, realizada em fevereiro de 1990, revelou que 82% da população confia na Igreja, ao passo que o índice favorável aos empresários foi de 34%; favoráveis ao Governo Federal foram 29% e aos políticos 18%. — Todavia não se pode esquecer o grave perigo que as seitas e os novos Movimentos Religiosos acarretam para o Catolicismo, especialmente nos países latino-americanos. Jean Guitton, na França, não experimenta de tão perto esta problemática, segundo a qual muita gente cede à fantasia e às emoções religiosas superficiais, sem a firmeza da fé e de convicções esclarecidas...

 

3) "Os católicos não são santos"..: Só Deus pode dizer isto com segurança, pois só Ele sonda os corações e vê o que no íntimo dos homens existe. É certo, porém, que há grande número de fiéis católicos a levar uma vida coerente, corajosa, abnegada e santa. Acontece, porém, que a santidade não faz estardalhaço (ao contrário!), ao passo que o mal é alardeado e divulgado. Como quer que seja. as palavras finais de Guitton são de grande importância; vêm a ser o ponto alto da sua entrevista e a razão pela qual publicamos as suas declarações a Luigi Amicone; Guitton chama a atenção dos católicos para a premência da dar testemunho lúcido da sua fé mediante uma vida integra. Os homens de hoje julgam o Catolicismo e o Evangelho muito mais a partir do comportamento dos seus adeptos do que em função da sua mensagem e pregação teórica. A verdade da Boa-Nova só é acreditada se transformada em vida e gestos concretos. É necessário, pois, que os católicos, cientes do que professam, tratem de o distinguir bem de sistemas filosóficos ou religiosos meramente humanistas, naturalistas ou racionalistas, Não queiram remover o escândalo e a loucura da Cruz (1Cor 1,23), mas assumam-nos corajosamente e mostrem ao mundo que aí se encerra a verdadeira sabedoria, aquela que vem de Deus e leva de volta a Deus (cf. 1Cor 1,17-2,16).

 

Eis o fruto positivo que se pode colher das palavras pungentes de Jean Guitton.

 

Dom Estêvão Bettencourt (OSB)


Pergunte e Responderemos - Bíblia Católica - Catecismo
Como você se sente ao ler este artigo?
Feliz Informado Inspirado Triste Mal-humorado Bizarro Ri muito Resultado
6 1
PUBLICAR - COMENTAR - EMAIL

Ver N artigos +procurados:
TÓPICO  ASSUNTO  ARTIGO (leituras: 9521175)/DIA
PeR  Escrituras  1355 Jesus jamais condenou o homossexualismo?81.97
Diversos  Prática Cristã  3780 Os pecados mortais mais comuns24.00
Orações  Comuns  2773 Oração de Libertação15.48
Aulas  Doutrina  1497 Ser comunista é motivo de excomunhão?13.94
Diversos  História  4042 R.R. Soares e Edir Macedo13.85
PeR  O Que É?  0516 O Que é a ADHONEP?13.31
PeR  História  0515 O Recenseamento sob César Augusto e Quirino12.13
Diversos  Protestantismo  1652 Desafio aos Evangélicos: 32 Perguntas11.28
Diversos  Prática Cristã  3185 Anticonceptivos são Abortivos?10.98
PeR  O Que É?  2142 Quiromancia e Quirologia10.80
Diversos  Apologética  3729 Desmascarando Hernandes Dias Lopes9.14
Vídeos  Testemunhos  3708 Terra de Maria8.60
PeR  Escrituras  2389 O Pai Nosso dos Católicos e dos Protestantes8.19
PeR  O Que É?  0565 Lei Natural, o que é? Existe mesmo?7.95
Diversos  Ética e Moral  2832 Consequências médicas da homossexualidade7.85
PeR  Prática Cristã  1122 As 14 estações da Via Sacra7.84
PeR  O Que É?  1372 Eubiose, que é?7.68
PeR  História  2571 Via Sacra, qual a origem e o significado?7.64
PeR  Filosofia  0085 De Onde Viemos? Onde Estamos? Para Onde Vamos?7.46
PeR  Testemunhos  0450 Eu Fui Testemunha de Jeová6.92
Diversos  Testemunhos  3465 Ex-pastor conta como fazia para converter católicos6.58
Diversos  Testemunhos  3922 Como o estudo da fé católica levou-me ao catolicismo6.52
Diversos  Anjos  3911 Confissões do demônio a um exorcista6.49
PeR  Ciência e Fé  0558 Coma Reversível e Coma Irreversível6.24
Um membro doentio ou anêmico transmite menos vitalidade do que outro plenamente sadio. Por isto se diz com razão que Deus quer salvar a uns mediante outros, Cristo quer comunicar sua ação redentora aos membros do seu Corpo Místico, para que, de um modo ou de outro, colaborem (por graça de Deus) na mais importante de todas as obras, que é a santificação e a salvação dos homens.
Dom Estêvão Bettencourt

Católicos Online