Católicos Online - - - - AVISOS -


...

Pergunte!

e responderemos


Veja como divulgar ou embutir artigos, vídeos e áudios em seu site ou blog.




Sua opinião é importante!









Sites Católicos
Dom Estêvão
Propósitos

RSS Artigos
RSS Links



FeedReader



Download







Cursos do Pe Paulo Ricardo


Newsletter
Pergunte!
Fale conosco
Pedido


PESQUISAR palavras
 

Viva Cristo Rei!

Sabe-se que a Igreja encerra seu Ano Litúrgico com a Solenidade Nosso Senhor Jesus Cristo, Rei do Universo. No entanto, poucos se dão conta de que se trata de uma festa relativamente recente, pois só foi instituída em 1925, portanto há menos de cem anos.

Mas o que levou o papa Pio XI a dedicar a primeiríssima encíclica de seu pontificado à criação de uma festa de Cristo Rei? (cf. carta encíclica Quas primas, 11/12/1925).

No início do século XX, o mundo, que ainda estava se recuperando da Primeira Guerra Mundial, fora varrido por uma onda de secularismo e de ódio à Igreja, como nunca visto na história do Ocidente. O fascismo na Itália, o nazismo na Alemanha, o comunismo na Rússia, a revolução maçônica no México, anti-clericalismos e governos ditatoriais grassavam por toda parte.

É neste contexto que, sem medo de ser literalmente “politicamente incorreto”, o papa Pio XI institui uma festa litúrgica para celebrar uma verdade de nossa fé: mesmo em meio a ditaduras e perseguições à Igreja, Nosso Senhor Jesus Cristo continua a reinar, soberano, sobre toda a história da humanidade.

Recordar que Jesus é Rei do Universo foi um gesto de coragem do Santo Padre. Com as revoluções que se seguiram ao fim do primeiro conflito mundial, em 1917, o título de Cristo Rei tornara-se um tanto impopular. Se o Papa tivesse exaltado Jesus como profeta, mestre, curador de enfermos, servo humilde, vá lá! Qualquer outro título teria sido mais aceitável. Mas Cristo Rei?!…

Mesmo assim, nadando contra a correnteza e se opondo ao secularismo ateu e anti-clerical, o Vigário de Cristo na terra instituiu esta solenidade para nos recordar que todas as coisas culminam na plenitude do Cristo Senhor: “Eu sou o Alfa e o Ômega, o Princípio e o Fim de todas as coisas” (Ap 1, 8). É necessário reavivar a fé na restauração e na reparação universal realizadas em Cristo Jesus, Senhor da vida e da história.

Com esta solenidade o Papa Pio XI esperava algumas mudanças no cenário mundial:
Que as nações reconhecessem que a Igreja dever estar livre do poder do Estado (Quas primas, 32).
Que os líderes das nações reconhecessem o devido respeito e obediência a Nosso Senhor Jesus Cristo (Quas primas, 31).
Que os fieis, com a celebração litúrgica e espiritual desta solenidade, retomassem coragem e força e renovassem sua submissão a Nosso Senhor, fazendo com que ele reine em seus corações, suas mentes, suas vontades e seus corpos (Quas primas, 33).

Encerrar o Ano Litúrgico com a Solenidade de Cristo Rei é consagrar a Nosso Senhor o mundo inteiro, toda a nossa história e toda nossa vida. É entregar à sua infinita misericórdia um mundo onde reina o pecado.

Pilatos pergunta a Jesus se ele é rei. Nosso Salvador responde que seu Reino não é deste mundo. Ou seja, não é deste mundo “inventado” pelo homem e pelo pecado: o mundo da injustiça, da escravidão, da violência, do ódio, da morte e da dor. Ele é rei do Reino de seu Pai e, como rei-pastor, desde o alto da cruz, guia a sua Igreja em meio às tribulações.

Sabemos que o Reinado de Cristo não se realizará por um triunfo histórico da Igreja. É isto que nos recorda o Catecismo da Igreja Católica em seu número 677. Mesmo assim, no final, haverá sem dúvida uma vitória de Deus sobre o mal. Só que esta vitória acontecerá como acontecem todas as vitórias de Deus: através da morte e da ressurreição. A Igreja só entrará na glória do Reino se passar por uma derradeira Páscoa. A Esposa deve seguir o caminho do Esposo.

É assim que, nesta festa, o manto vermelho de Cristo assinala a realeza de Nosso Senhor, mas também nos recorda o sangue de tantos mártires Cristãos de nossa história recente. Foram fieis católicos que, ouvindo os apelos do Sucessor de Pedro, não tiveram medo de entregar suas próprias vidas e de morrer aos brados de “viva Cristo Rei!”


 

Bem-Aventurado Miguel Pró

23 de Novembro

Miguel Pró nasceu no dia 13 de janeiro de 1891, em Guadalupe, Zacatecas na República Mexicana. Desde sua infância, o sorriso e a alegria foram características importantes de sua personalidade. Aos 20 anos de idade ingressou no noviciado da Companhia de Jesus (Jesuítas). Muito pouco tempo depois, os noviços tiveram que sair do país por causa da Revolução Mexicana. Foi assim que chegou a ordenar-se Sacerdote Jesuíta na Bélgica, no dia 25 de agosto de 1925, no mesmo ano em que foi instituída a festa de Cristo Rei.

O Padre Pró sofreu gravemente de uma enfermidade de estômago e, mesmo depois de várias cirurgias, não obteve melhoras. Mais tarde, apesar da grande perseguição que a Igreja sofria em seu país, decidiu retornar ao México em 1926. Sentia o dever de gastar sua vida para levar Jesus a seus compatriotas. Esta foi sua grande missão.

Ainda por dois anos conseguiu atender secretamente aos corajosos católicos mexicanos, muitas vezes de forma incógnita ou disfarçada. Enfrentou inúmeros perigos até que foi decretada oficialmente sua prisão.

Foi acusado falsamente de traição e de envolvimento em um atentado, embora houvesse provas de sua inocência. Poucos dias antes de sua prisão, Padre Pró confidenciou a um amigo que havia entregue sua vida para salvar o México e que pensava que Deus tinha aceitado sua oferta.

No dia de sua execução, enquanto era levado para o paredão, perdoou o carcereiro e o pelotão de fuzilamento. Como seu último desejo, pediu permissão para orar; em seguida, recusando que lhe vendassem os olhos, estendeu seus braços em forma de cruz e com voz firme e forte exclamou: “VIVA CRISTO REI!” entregando assim sua vida consagrada a Deus Nosso Senhor.

 


Católicos Online - Bíblia Católica - Catecismo
Como você se sente ao ler este artigo?
Feliz Informado Inspirado Triste Mal-humorado Bizarro Ri muito Resultado
7 0
PUBLICAR - COMENTAR - EMAIL

Ver N artigos +procurados:
TÓPICO  ASSUNTO  ARTIGO (leituras: 8280815)/DIA
Diversos  Espiritualidade  4131 Dez conselhos na luta contra o demônio39.66
Diversos  Teologia  4132 A existência de Deus37.25
PeR  Escrituras  1355 Jesus jamais condenou o homossexualismo?30.02
Orações  Comuns  2773 Oração de Libertação14.43
PeR  O Que É?  0516 O Que é a ADHONEP?12.29
Diversos  Apologética  4130 Paulo desprezou Pedro?11.59
PeR  O Que É?  2142 Quiromancia e Quirologia11.23
Diversos  História  4042 R.R. Soares e Edir Macedo11.18
PeR  História  0515 O Recenseamento sob César Augusto e Quirino10.80
Diversos  Protestantismo  1652 Desafio aos Evangélicos: 32 Perguntas10.24
Diversos  Testemunhos  3922 Como o estudo da fé católica levou-me ao catolicismo9.01
Diversos  Prática Cristã  3780 Os pecados mortais mais comuns8.43
PeR  História  2571 Via Sacra, qual a origem e o significado?8.34
Diversos  Mundo Atual  4129 Direto do Inferno7.99
Aulas  Doutrina  1497 Ser comunista é motivo de excomunhão?7.94
Diversos  Ética e Moral  2832 Consequências médicas da homossexualidade7.92
Diversos  Anjos  3911 Confissões do demônio a um exorcista7.75
Diversos  Prática Cristã  3185 Anticonceptivos são Abortivos?7.71
PeR  Prática Cristã  1122 As 14 estações da Via Sacra7.56
PeR  O Que É?  0565 Lei Natural, o que é? Existe mesmo?7.32
Diversos  Testemunhos  3465 Ex-pastor conta como fazia para converter católicos7.31
PeR  Testemunhos  0450 Eu Fui Testemunha de Jeová7.05
Diversos  Protestantismo  3970 A prostituição da alma7.04
Vídeos  Mundo Atual  4128 A 'Humanae Vitae' e a apostasia dos cristãos6.99
Ao príncipe deste mundo foi ocultada a virgindade de Maria, seu parto e também a morte do Senhor.
Sto. Inácio de Antioquia (35-110)

Católicos Online