Católicos Online - - - - AVISOS -


...

Pergunte!

e responderemos


Veja como divulgar ou embutir artigos, vídeos e áudios em seu site ou blog.




Sua opinião é importante!









Sites Católicos
Dom Estêvão
Propósitos

RSS Artigos
RSS Links



FeedReader



Download







Cursos do Pe Paulo Ricardo


Newsletter
Pergunte!
Fale conosco
Pedido


PESQUISAR palavras
 

PERGUNTE E RESPONDEREMOS 532 – outubro 2006

Quem és tu?

 

ALMA HUMANA = MATÉRIA QUE TOMOU CONSCIÊNCIA DE SI?

 

Em síntese: A antropologia de autores modernos nega a distinção de corpo e alma humana, de modo que, quando alguém morre, morre todo e, para que não haja hiato na existência desse alguém, professa a ressurreição logo após a morte. - Ora tal teoria é contraditada tanto pela filosofia quanto pela fé; esta afirma a ressurreição no fim dos tempos (1Cor 15, 23; 1Ts 4, 17; 2Cor 5, 1-5). A morte não é a extinção do ser humano, mas é a separação de corpo e alma; a alma, imortal por sua natureza, aguarda no além a re-união à matéria.

 

Está sempre em foco a questão antropológica: quantos elementos constituem o ser humano? - A resposta clássica propõe corpo material e alma espiritual como componentes de um todo unitário. Outra corrente admite corpo, alma e espírito, enquanto mais recentemente se diz que não há distinção entre corpo e alma. É a esta última sentença que dedicaremos as páginas subseqüentes.

 

1. O problema

 

Na "Revista de Espiritualidade Inaciana", junho de 2006, pp. 13s, o Pe. João Batista Libanio expõe a nova antropologia nos seguintes termos:

 

"Quadro da unidade radical indissociável entre corpo e alma

A mudança veio por influência das ciências naturais e da filosofia moderna. A concepção evolucionista e o avanço da microbiologia diminuíram o limiar entre matéria e espírito, entre corpo e alma, tanto no processo evolutivo quanto na realidade de cada ser. A unidade é pensada de tal modo que não se entende como se podem separar corpo e alma na morte, já que a alma é a matéria que tomou consciência de si e a matéria é a alma 'congelada'. Morre-se todo ou se volta ao nada ou Deus ressuscita imediatamente o todo".

 

Interessa-nos analisar mais atentamente tais noções de corpo e alma.

 

2. Alma humana: nova noção

 

A alma humana seria matéria que tomou consciência de si...

 

Imaginemos a matéria "rocha". Pode ela chegar a ter consciência de si pelo processo evolutivo? Está nas potencialidades da rocha "obter consciência de si mesma"? - Para responder, digamos o que é "ter consciência de si mesmo": é emergir acima de si mesmo e considerar-se como objeto do conhecimento; assim "escrevo e tomo consciência de que estou escrevendo". Essa tomada de consciência leva a refletir, raciocinar, progredir no saber... coisas que ultrapassam as potencialidades da matéria. Esta é sempre confinada ao "aqui e agora", incapaz de conceber noções universais, incapaz de falar algum idioma, incapaz de evoluir na sua "civilização". Na verdade, o pensar não é produto de reações físicas e químicas; caso o fosse, poder-se-ia um dia produzir matéria pensante em laboratório. As citadas operações supõem haver dentro da matéria um princípio vital capaz de transcender as dimensões do concreto "aqui e agora", ou seja, um princípio vital imaterial ou espiritual.

 

Destas ponderações se segue que o corpo humano só pode ser sujeito que reflete sobre si mesmo, se ele é penetrado por um princípio vital (alma intelectiva) que transcende o singular e concreto objeto dos sentidos (visão, audição, tato...).

 

3. Corpo humano = alma "congelada"

 

"Alma congelada" é expressão metafórica. Que significa essa locução? Parece ser um conjunto de palavras que não se podem concretizar.

 

As ciências empíricas têm evoluído mostrando que a matéria, densa como é, consta, em última análise, de partículas atômicas e subatômicas, que guardam certa distância (mínima) entre si. Tal estrutura não deixa de ser material. A ciência, por mais avançada que seja, não atinge a noção de espírito, de modo que não se pode dizer que a ciência moderna aproximou entre si matéria e espírito ou diminui a distância entre um e outro desses elementos. A distinção entre matéria e espírito é tema de filosofia e não pode ser anulada pelo progresso das ciências empíricas, que não chegam à noção de espírito.

 

4. Dualismo, dualidade e monismo

 

Os autores modernos repudiam o dualismo de corpo e alma como se a matéria corpórea fosse um ente mau e o espírito uma criatura boa por si mesma. Tais pensadores têm razão; não há ser algum que seja mau por sua própria índole; tal teoria seria o maniqueísmo. Todavia, para fugir do dualismo, não é necessário professar o monismo, que identifica entre si corpo e alma, matéria e espírito. Entre dualismo e monismo, existe a dualidade, que admite dois princípios distintos um do outro, não porém antagônicos (como no dualismo) e sim complementares. Assim, por exemplo, entre homem e mulher não existe dualismo (oposição) nem monismo (o homem não é idêntico à mulher), mas dualidade (complementaridade). Desta maneira corpo e alma estão em dualidade, não em dualismo nem em monismo.

 

Até aqui falou a filosofia. Vejamos o que propõe a Teologia.

 

5. A Teologia que diz?

 

5.1. A mensagem bíblica

 

A Escritura é muito enfática ao afirmar a distinção de corpo e alma e a ressurreição no fim dos tempos:

Mt 10, 28: "Não temais aqueles que podem matar o corpo, mas não podem matar a alma; temei, antes, aquele que pode acabar com corpo e alma no fogo".

Jo 6, 39: "Esta é a vontade daquele que me enviou: que eu não perca nenhum daqueles que Ele me confiou, mas os ressuscite no último dia".

Jo 6, 44: "Ninguém pode vir a mim se o Pai... não o atrair, e eu o ressuscitarei no último dia". Ver Jo 6, 54.

1Cor 15, 22s: "Visto que todos morrem em Adão, todos recuperarão a vida por Cristo. Cada qual por sua vez: o primeiro é Cristo; depois, quando Ele voltar, aqueles que pertencem a Cristo".

1Ts 4, 16: "Quando o Senhor... descer do céu, então os mortos em Cristo ressuscitarão".

 

5.2. Aprofundamento teológico

 

A Teologia é a fé que procura compreender. Por conseguinte o teólogo é um homem de fé. A fé é a adesão à Palavra de Deus comunicada por seus órgãos oficiais, ou seja, pela Escritura e a Tradição oral que a Igreja exprime de maneira autêntica por seu magistério assistido pelo Espírito Santo. Ora o magistério da Igreja formulou os dados da Revelação Divina referente à Escatologia nos seguintes termos:

 

1. A Igreja crê na ressurreição dos mortos.

2. A Igreja entende que esta ressurreição se refere ao homem todo; para os eleitos, ela não é senão a extensão aos homens da própria Ressurreição de Cristo.

3. A Igreja afirma a sobrevivência e a subsistência [continuationem et subsistentíam], depois da morte, do elemento espiritual, dotado de consciência e de vontade, de tal modo que subsista [subsistaf] o "eu humano", ainda que temporariamente privado do complemento do próprio corpo. Para designar este elemento, a Igreja usa o termo "alma" [anima], consagrado pela Sagrada Escritura e pela Tradição. Embora não ignore que na Sagrada Escritura este termo tome significados diversos, julga, no entanto, que não há motivos válidos para rejeitá-lo, e o considera, além disso, um instrumento verbal absolutamente necessário para sustentar a Fé dos cristãos.

4. A Igreja exclui toda forma de pensamento ou de expressão que torne absurda, ou incompreensível à inteligência, sua oração, os ritos fúnebres, o culto dos mortos: todas estas coisas que, quanto à sua substância, constituem lugares teológicos.

5. A Igreja, segundo as Sagradas Escrituras, espera a manifestação gloriosa de Nosso Senhor Jesus Cristo (cf. 1Tm 6, 14; Tt 2, 13), que no entanto crê distinta e futura [dilatam] com relação à condição dos homens logo após a morte.

6. A Igreja, em seu ensinamento [in sua doctrína proponenda] sobre o destino do homem depois da morte, exclui toda explicação que esvazie o sentido da Assunção da Virgem Maria no que ela tem de singular; isto é, no sentido de que a glorificação corporal da Virgem antecipa aquela glorificação que é destinada a todos os outros eleitos.

7. A Igreja, aderindo fielmente ao Novo Testamento e à Tradição, crê na bem-aventurança dos justos, que um dia estarão com Cristo. Ela crê também que o pecador será punido com o castigo eterno [poena aeterna], ficando privado da visão de Deus, e ainda numa repercussão desta pena em todo o ser do próprio pecador. Quanto aos eleitos, a Igreja crê, além disso, que pode haver uma purificação prévia à visão de Deus, que no entanto é completamente distinta da pena dos condenados. É isto o que entende a Igreja quando fala do inferno e do purgatório.

(Carta Recentiores episcoporum da Congregação para a Doutrina da Fé 27.5.1979)

 

Como se vê, o texto afirma a existência da alma separada do corpo até o fim dos tempos, quando se dará a ressurreição da carne. A glorificação de Maria em corpo e alma antes do fim dos tempos é um caso singular: não se repete. Tal concepção não é objeto de uma definição ex cathedra, mas emana do magistério ordinário da Igreja, que merece o respeito dos fiéis e, de modo especial, dos teólogos. Não se lhe devem opor objeções em nome da razão, pois nenhum absurdo ou nada de irracional aí se encontra.

 

A propósito ainda se deve observar: a dualidade de corpo e alma exclui a trilogia "corpo, alma e espírito", pois a alma humana é espírito. Não há no ser humano outro espírito (criado) além da sua alma espiritual.

 

 

Dom Estêvão Bettencourt (OSB)


Pergunte e Responderemos - Bíblia Católica - Catecismo
Como você se sente ao ler este artigo?
Feliz Informado Inspirado Triste Mal-humorado Bizarro Ri muito Resultado
5 1
PUBLICAR - COMENTAR - EMAIL

Ver N artigos +procurados:
TÓPICO  ASSUNTO  ARTIGO (leituras: 10282294)/DIA
PeR  Escrituras  1355 Jesus jamais condenou o homossexualismo?85.83
Diversos  Prática Cristã  3780 Os pecados mortais mais comuns30.87
Orações  Comuns  2773 Oração de Libertação16.15
Diversos  História  4042 R.R. Soares e Edir Macedo15.06
Aulas  Doutrina  1497 Ser comunista é motivo de excomunhão?14.44
PeR  O Que É?  0516 O Que é a ADHONEP?13.37
PeR  História  0515 O Recenseamento sob César Augusto e Quirino13.18
Diversos  Prática Cristã  3185 Anticonceptivos são Abortivos?12.36
Diversos  Protestantismo  1652 Desafio aos Evangélicos: 32 Perguntas11.82
Diversos  Apologética  3729 Desmascarando Hernandes Dias Lopes11.33
PeR  O Que É?  2142 Quiromancia e Quirologia10.36
Vídeos  Testemunhos  3708 Terra de Maria9.38
PeR  Escrituras  2389 O Pai Nosso dos Católicos e dos Protestantes8.82
PeR  O Que É?  0565 Lei Natural, o que é? Existe mesmo?8.80
PeR  Prática Cristã  1122 As 14 estações da Via Sacra8.33
Diversos  Ética e Moral  2832 Consequências médicas da homossexualidade8.28
PeR  O Que É?  1372 Eubiose, que é?8.20
PeR  Filosofia  0085 De Onde Viemos? Onde Estamos? Para Onde Vamos?7.77
Diversos  Apologética  3960 Deus não divide sua glória com ninguém?7.73
PeR  História  2571 Via Sacra, qual a origem e o significado?7.43
Diversos  Santos e Místicos  3587 Poesia de Santa Teresinha7.27
PeR  Testemunhos  0450 Eu Fui Testemunha de Jeová6.85
Diversos  Testemunhos  3922 Como o estudo da fé católica levou-me ao catolicismo6.78
Diversos  Mundo Atual  3795 O que há de vir?6.72
A maior prova do erro protestante está na cara de todos: DIVIDIR o cristianismo. O Espírito Santo não habita em divisões.
Claudio Maria

Católicos Online