LISTA de AUTORES

     ||  Início  ->  Lista de Autores | Autores+Lidos
de paginação
<- ordem
V. de Carvalho (3)
Valber Diniz (2)
Valéria Martin (1)
Valter Cascioli (1)
Vanderlei de Lima (2)
Vanderlúcio Souza (1)
Vaticano (4)
Verdade Católica (1)
Veritatis (5)
Veritatis Splendor (2)
Victor Vidal (1)
Vladimir S. Soloviev (1)


Pesquisas sobre uso de camisinhas e educação sexual
 Educação Sexual
O pesquisador Philipps Cutright, comparando as verbas aplicadas e os aumentos de casos de gravidez entre adolescentes nos Estados Unidos nas décadas de 70 e 80, chegou à seguinte conclusão, que confirma as anteriores:

"Não temos evidência de que os programas de educação sexual tenham reduzido a gravidez indesejada, pois as áreas em que tais programas foram moderadamente aplicados ou de modo nenhum aplicados, demonstraram menor aumento ou maior declínio dos casos de gravidez do que as áreas fortemente atingidas pelos programas de educação sexual" (I. cit, p. 9).

O incremento de casos indesejados de gravidez se deve, em grande parte, ao fato de que as instruções referentes à contracepção excitaram nas adolescentes a vontade de ter relações sexuais "isentas de risco" mediante o uso da pílula. Ora o uso da pílula nas adolescentes é muito menos eficaz do que nas mulheres plenamente desenvolvidas:

"Os inventores das pílulas contraceptivas não tinham idéia de como esse produto contribuiria para fomentar a atividade sexual dos adolescentes. Em 1977 o Dr. Robert Kistner, da Harvard Medical School, reconheceu: 'Há cerca de dez anos eu declarei que a pílula não provocaria a promiscuidade. Eu me enganei'. Em 1981 o Dr. Min Chueh Chang disse: 'Pessoalmente vejo que a pílula iludiu os jovens.. . Ela os tornou mais permissivos' "...

Ver artigo de Dom Estêvão Bettencourt: Educação Sexual.